Cerinto: diferenças entre revisões

245 bytes adicionados ,  21h39min de 19 de novembro de 2007
sem resumo de edição
'''Cerinto''' (''c'' 100) foi um dos primeiros líderes do antigo gnosticismo que foi reconhecido como [[Heresia|herético]] pelos [[primeiros Cristãos]] devido aos seus ensinamentos sobre [[Jesus Cristo]] e suas interpretações sobre o [[cristianismo]]. Ao contrário dos ensinamentos da [[Cristandade proto-ortodoxa]], a escola [[gnosticismo|gnóstica]] de Ceríntio seguiu a lei Judaica, negando que o deus supremo tinha feito o mundo físico e negando a divindade de Jesus. Na interpretação de Ceríntio, o espírito de "Cristo" veio a Jesus no momento do seu [[batismo de Jesus|batismo]], guiando-lhe em todo o seu ministério, mas abandonando-o momentos antes de sua [[morte e ressurreição de Jesus|crucificação]].
 
Cerinto, assim como os [[Ebionismo|ebionitas]], usava apenas uma versão do evangelho de Mateus como escritura, rejeitando os demais escritos, principalmente os do [[apóstolo Paulo]] por o considerarem apóstata da lei. Esforçava-se e se sujeitava aos usos e costumes da lei judaica e à maneira de viver dos judeus. Venerava a cidade de Jerusalém como se fosse a casa de Deus. <ref> Henry Bettenson, Documentos da Igreja Cristã, Editora Aste, 2007</ref>
 
Cerinto ensinou numa época em que a relação do Cristianismo com o Judaísmo estava se tornando irreconciliável. Para definir o criador do mundo como [[Demiurgo]], combinou a filosofia grega com os ensinos sincréticos dos [[Gnósticos|gnósticos]]. Sua descrição de Cristo como um espírito sem corpo que residido temporariamente no homem Jesus combina com o gnosticismo de Valentim.
 
A tradição Cristã antiga descreve Cerinto como um contemporâneo e oponente de [[João, o Evangelista]], que escreveu o [[Evangelho segundo João]] contra ele <ref>CatholicEnciclopédia Encyclopedia article cited belowCatólica</ref>.
Tudo que nós sabemos sobre CeríntioCerinto vem da escrita de seus oponentes teologicosteológicos.
 
==Biografia==
 
A data de seu nascimento e sua morte são desconhecidas. Na [[Ásia (província romana)|província Romana na Ásia]], ele fundou uma escola gnóstica e recolheu discípulos. Nenhum dedos escrito realescritos de CeríntioCerinto parecem ter sobrevivido,sobreviveu e é improvável que ele fosse disseminado muito extensamente. Como é o casomais usual, nós podemos interpretarconhecer seus ensinos somente com o que seus mais [[Ortodoxia|ortodoxo]]s inimigos relataram.
PeloOs tempoensinamentos nósde temosCerinto a contabilidade asão mais detalhadaconhecidos dosdevido ensinamentosa deobra Ceríntio,do debispo [[Epiphanius]], nodo [[Século IV]], ostodos relatos são todos de segunda ou de terceira-mão e nãocuja sãoconfiabilidade deé confiançaquestionável, como nas notas da ''[[enciclopédia Católica]]'' de 1910.
 
==Lenda==
 
Os relatos mais antigos que sobreviveram sobre CeríntioCerinto é a refutação do Gnosticismognosticismo de [[Ireneu de Lyon|IrenæusIreneu]]<ref>I: xxvi; III: ii, iii and xi; livro I e III - ligações externas abaixo</ref>, que foi escrito aproximadamente em 170. De acordo com Irenæus[[Ireneu de Lyon|Ireneu]], CeríntioCerinto, era um homem educado na sabedoria dos Egípcios, comcuja inspiração era reivindicada por [[anjo]]s.
 
===Escritura===
Antes de Irenaeus[[Ireneu de Lyon|Ireneu]], as várias comunidades Cristãscristãs usaram geralmente um evangelho sobre o outro. CeríntioCerinto usou uma versão do Evangelho de Mateus, o mais judeu dos quatro evangelhos canônicos. Ao contrário de Marcion, um outro herético associado com o Gnosticismognosticismo, a escritura Judaicajudaica defendida por CeríntioCerinto eera oa do deusDeus do Antigo Testamento.
 
===Criação===
 
Ensinou que o mundo e o céu visíveis não foram feitos pelo ser supremo, mas pelo poder ([[Demiurgo]]) distinto dele. NãoA criação do mundo não teria sido feita por [[Tetragrammaton|Jehovah]] mas por [[anjos]], terque fêztambém o mundo e dadoderam a lei. Estes criadoranjos-anjoscriadores eram ignorantes da existência do [[ser supremo]]. Seu uso do termo Demiurgo(literalmente, "artesão") para o criador cabeprovêm ada filosofia grega, que dominou o ambiente instruído do Mediterrâneo oriental. Ao contrário de Gnósticosoutros verdadeiromestres gnósticos que o seguiuexistiram, CeríntioCerinto ensinou que o Demiurgo era bom, mais comoparecido logoscom o "Logos" de filoFilo do que com o deus mau de Valentim.
 
===Jesus===
 
CerinthusCerinto distinguiuensinava entre o homemque Jesus e Cristo eram seres distintos. Negou o nascimento sobrenatural de Jesus, fazendo -lhe o filho de Jose e de Maria, e distinguindo -o do Cristo, que desceu emsobre cimaele delepor noocasião do seu batismo e àque esquerdao deleabandonou outramomentos vezantes emda seusua crucificação. CeríntioCerinto também é ditoconhecido tambémpor ter ensinado que Jesus estaráserá levantado dos mortos no último dia, quando todos os homens se levantarão com ele. EmAo descrever Jesus como um homem de nascimento natural, CeríntioCerinto concordou com o judeus Cristãosgnósticos denominados [[Ebionistas]]. EmAinda retrataremsegundo seus ensinamentos, Cristo comoera um espírito que veio do céu, empreendeu sua tarefa divina no mundo material, e retornou então ao seu lugar de origem, antecipaconforme o Gnosticismognosticismo inteiramente desenvolvidoensinado por Valentim entree outros gnósticos.
 
===Lei Judaica===
 
CeríntioCerinto ensinou aos seus seguidores obedecemque deveriam obedecer a lei Judaicajudaica para alcançar oa salvação. Esta visão contradiz o conselho deconcílio Jerusalém ('' 50'' c), em que [[Paulo de Tarso]] tinha estabelecidodefendido com sucesso a compreensão de que os cristãos não necessitaram ser circuncidados ou, no geral, obedecer as leis de Moisés. Vários outros grupos Cristãos Judaicos, como Ceríntianosos Ceríntios, seguiram a lei Judaicajudaica e se opuseram aà visão de [[Cristandade Paulina|cristandade defendida por Paulo]].
 
===Escatologia===
 
CeríntioCerinto acreditouinterpretou que Cristo estabeleceria um reino terrestre em 1.000 anos antes da [[Ressurreição]] de todos os mortos e o reinoestabelecimento de deusum reino espiritual no [[céu]]. Esta opinião, conhecida como [[Pré-milenarismo]], era comum entre os Cristãos antigos <ref>" o ponto o mais impressionante na escatologia da idade anti-Nicena é o chiliasmo proeminente, ou milenarianismo, que é a opinião de um reino visível de Cristo na terra com os santos levantados por mil anos, antes doda ressurreição e do julgamento final. NãoEsta não era, certamente, a doutrina da igreja em nenhum credo ou formato de devoção, mas uma opinião extensamente atual de mestre, taismestres como Barnabas, Papias, Justino, Irenaeus, Tertullian, Methodius, e Lactantius, quando Caius [8], Origen, Dionysius, o grande [9], Eusebius (e mais tarde Jerome e Augostinho) se opôseram a ele." [[Philip Schaff]] em a ''History of the Christian Church'', Vol. 2 (Peabody, MA: Hendrickson, n.d.) 381.[http://www.ccel.org/s/schaff/history/About.htm]</ref>, porque é uma interpretação literal dado Revelação deApocalipse 20:1-6 até 20:1-60. O conselho de NiceiaNicéia e Agostinho de Hippo ambosHippona se opuseram a esta opinião, eque veio ser considerada herética.
 
== oponentesOponentes Cristãos==
 
De acordo com Irenaeus, [[Policarpo]] contou uma história que [[João, o Evangelista]], em particular, ter dito que temia Ceríntio e que fugiu uma vez de uma casa de banho quando ao entrar achou que Ceríntio estava lá dentro, gritando “vamos fujir, a fim de que não o edifício caísse em cima de nós; pois Cerinthus, o inimigo da verdade, está lá dentro!“<ref>Irenaeus menciona o anedota sobre Policarpo em ''Adv. Haer.'', III.3.4.</ref> Uma tradição defende que João escreveu seu evangelho para combater a heresia de Ceríntio. Irenaeus se opôs ao Gnosticismo, incluindo os ensinamentos de Ceríntio em sua obra [[na detecção e na abolição das Heresias dos assim chamados Gnósticos|contra a heresia]]. Epiphanius de Salamis documentou muitos heresias e heréticos, Ceríntio entre eles, em seu [[Panarion]].
232

edições