Diferenças entre edições de "Assembleia Espiritual"

4 193 bytes adicionados ,  00h52min de 29 de dezembro de 2007
sem resumo de edição
'''Assembléis Espiritual''' é um termo dado por [[`Abdu'l-Bahá]] que refere-se ao conselho elegível que governam a [[Fé Bahá'í]]. Devido ao fato da Fé Bahá'í não possuir clero, eles carregam a responsabilidade de administrar todas as questões da fé. As Assembléias Espirituais existem em nível local e nacional ("nacional" pode se referir algumas vezes a uma porção de um país, ou um grupo de países)
 
==História==
===Assembléias Espirituais Locais===
A instituição da Assembléia Local foi delineada por [[Bahá'u'lláh]] no livro das leis, [[Kitáb-i-Aqdas]]:
 
Em 1902 `Abdu'l-Bahá enviou uma epístola muito importante para o corpo conciliar de Chicago onde ele disse “deixe a designação desse corpo ser uma ‘Assembléia Espiritual’—por essa razão, no qual antes era usado o termo ‘Casa de Justiça’, o governo daqui por diante poderia supôr que ele estivesse atuando como uma corte da Lei, ou se envolvendo em assuntos políticos, ou que, em um tempo indeterminado do futuro, ele se envolveria nos assuntos do governo.... Esta mesma designação tem sido universalmente adotada por todo o Irã.”<ref>Stockman, ''The Bahá'í Faith in America,'' vol. 2, 72 (the new translated quoted in this article is found in footnote 139, pp. 448-49).</ref> Por essa razào, os corpos locais e nacionais Bahá'ís são designados como “Assembléias Espirituais” atualmente.
 
===Assembléias Espirituais Nacionais===
As Assembléias Espirituais Nacionais foram pela primeira vez mencionadas no [[A Última Vontade e Testamento]] de `Abdu'l-Bahá , mas o fato foi que eles estabeleceram-se anos antes da obra ser publicamente disponível em 1922. Em 1909, Hippolyte Dreyfus escreveu extensamente sobre o papel da Casa de Justiça nacional (era assim que era designado anteriormente) na sua obra ''A Religião Universal: Bahaísmo, Sua Ascensão e Importação Social.''<ref>Hippolyte Dreyfus, ''The Universal Religion: Bahaism, Its Rise and Social Import'' (London: Cope and Fenwick, 1909), 126-51.</ref> Nesse ano, também, os Bahá'ís dos [[Estados Unidos]] e [[Canadá]] elegeram nove membros da “Comitê Executiva” para o Templo Bahá'í de Unidade, um corpo conciliar continental formado para construir a [[Casa de Adoração Bahá'í]] em Wilmette, Illinois, um distrito em Chicago. Subseqüentemente o Templo Bahá'í de Unidade, que organizava eventos anuais, apontou comitês para a publicação da [[Literatura Bahá'í]], coordenando a dispersão da Fé Bahá'í por volta da América do Norte, e rever as publicações Bahá'ís para a sua exatidão. Até o tempo do falecimento de `Abdu'l-Bahá em Novembro de 1921, o Templo Bahá'í de Unidade funcionava como um corpo coordenador Bahá'í "nacional".
 
Na mesma carta de 5 de Março de 1922 para os Bahá'ís do mundo que pediu a eleição das Assembléias Espirituais Locais, Shoghi Effendi convidou-os “indiretamento” para eleger Assembléia Espiritual Nacional. Ele também enumerou as comitês que a Assembléia Espiritual Nacional deve ter a fim realizar suas responsabilidades. A eleição "indireta" refere-se ao processo, mencionado na obra A Última Vontade e Testamento de `Abdu'l-Bahá, de os Bahá'ís elegerem um ou mais delegados de cada localidade, que os representaria em uma convenção nacional e votaria para os nove membros da Assembléia Espiritual Nacional. O tópico do ''Mundo Bahá'í'' em 1928 listou nove Assembléias Espirituais Nacionais: Pérsia ([[Irã]]); [[Estados Unidos]] e [[Canadá]]; [[Alemanha]]; [[Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda|Reino Unido e Irlanda]]; [[Índia]] e [[Burma]]; [[Egito]]; [[Turquistão]]; [[Cáucaso]]; e [[Iraque]]. Destes, o conselho do Irã era ainda a "Assembléia Espiritual Central", em Teerã, eleitos pelos Bahá'ís daquela comunidade; até 1934 uma lista de membros nacional Bahá'í pode ser elaborada que permitiu a eleição dos delegados e a reunião de uma convenção nacional inteiramente representativa. É possivel que os conselhos de Turquistão e do Cáucaso também fossem preliminares. Por volta de 1953 o número de Assembléias Espirituais Nacionais ao redor do mundo aumentou para 12; em 1963, 56; em 1968, 81, em 1986, 168; em 2001, 182. Uma parte importante do processo foi o estabelecimento das Assembléias Espirituais Nacionais "regionais"; assim em 1951 toda a América do Sul elegeu uma única Assembléia Espiritual Nacional, mas em 1963 quase todas as nações nesse continente tinha o seu próprio. As Assembléias Espirituais Nacionais ainda estão sendo formadas enquanto as áreas do mundo conseguem a liberdade religiosa. Algumas Assembléias Espirituais Nacionais foram formadas em áreas menores que uma nação: [[Alaska]], [[Havaí]], e [[Porto Rico]] tem o seu próprio conselho “nacional” por causa que eles são geograficamente separados dos outros quarenta e oito estados; [[Sicília]] tem o seu próprio porque Shoghi Effendi disse que as ilhas principais como também no Caribe devem eleger Assembléias Espirituais Nacionais independentes. Como as Assembléias Espirituais Locais, todas as Assembléias Espirituais Nacionais tem nove membros e são eleitos anualmente, normalmente durante o Festival de Ridván (Abril 21-Maio 2). Todas as eleições Bahá'ís ocorrem em uma atmosfera de oração onde as nomeações, a campanja, e toda a discussão das pessoas são proibidas.
 
Os membros das Assembléias Espirituais Nacionais coletivamente serve para eleição da [[Casa Universal de Justiça]], a autoridade máxima da Fé Bahá'í, o que foi pela primeira vez formado em 1963.
 
 
 
{{esboço-bahá'í}}
[[categoria:Fé Bahá'í]]