Diferenças entre edições de "Jean Rotrou"

1 byte adicionado ,  17h00min de 13 de março de 2008
m
sem resumo de edição
m
m
[[Image:JeanRotrou.jpg|thumb|200px|Jean Rotrou]]
 
'''Jean (de) Rotrou''' (n.[[Dreux]], [[21 de Agosto]] de [[1609]] - m.— [[28 de junho]] de [[1650]]) foi um [[Poesia|poeta]] e [[Dramaturgia|dramaturgo]] [[França|francês]].
 
== Estudos ==
Nascido em [[Dreux]] na [[Normandia]], muda-se para [[Paris]] após a conclusão dos estudos preliminares na sua cidade natal.
 
Nascido em [[Dreux]] na [[Normandia]], muda-se para [[Paris]] após a conclusão dos estudos preliminares na sua cidade natal.
 
Embora três anos mais novo que [[Pierre Corneille]], inicia a sua obra literária antes deste e, em [[1631]] torna-se [[encenador]] da equipa de [[actor]]es do ''Hôtel de Bourgogne'', palco conhecido pela estreia do primeiro acto da peça ''[[Cyrano de Bergerac]]'' de Rostand)
 
== Obra teatral ==
 
Salvo algumas excepções, os únicos eventos mais importantes que ficaram registados para a posterioridade, foram as sucessivas aparições em peças teatrais e o seu empenhamento, em [[1635]], na equipa de cinco [[poeta]]s que tinha como função colocar em cena as obras dramáticas de [[Richelieu]].
 
A primeira peça de Rotrou, ''L'Hypocondriaque'' (produzido pela primeira vez em [[1631]]), dedicada a Louis de Bourbon, conde de Soissons, foi colocada em cena quando tinha apenas dezoito anos. Ainda no mesmo ano, publicou a colecção de ''Œuvres poetiques'', onde estõa incluídos [[elogio]]s, [[epístola]]s e versos [[religião|religiosos]].
 
[[Imagem:LasoeurRotrou.jpg|thumb|right|200px|Capa da primeira edição de "''La sœur''", [[Paris]], T. Quinet, ([[1647]]).]]
 
 
== A peste negra ==
 
Em [[1650]], a [[peste negra]] atinge Dreux mas Rotrou mantem o seu cargo, embora deseje salvar-se da [[epidemia]] fugindo para Paris. É apanhado pela doença e morre poucas horas depois, tendo sido [[cremação|cremado]] em Dreux a [[28 de Junho]] de [[1650]].
 
== O legado da sua obra ==
 
Uma vez que foram reunidas trinta e cinco peças para além de muitas outras que perdidas ou não contabilizadas, a promissora obra de Rotrou, ou a inconstante incerteza e hesitação mostrados quase até final da sua vida entre os estilos clássico e romântico terão sido as razões que mais prejudicaram o seu trabalho. Não existe uma peça ou acto considerados consistentes, embora as suas cenas sejam consideradas quer patéticas, quer nobres, e como poeta dramático, por assim dizer, o seu melhor nível terá sido tão bom como Corneille ou [[Jean Racine]]. No entanto, os nos seus diálogos encontra-se uma força e brilho raros no drama francês entre Corneille e [[Victor Hugo]].
 
Pierre Rotrou de [Saudreville, irmão de Rotrou, deixou uma obra em sua memória, infelizmente perdida, embora esta tenah sido citada por Abbé Brillon ([[1671]]-[[1736]]), na ''Notice biographique sur Jean Rotrou'', publicada pela primeira vez em [[1835]], em [[Chartres]], pelo editor L. Merlet.
 
 
 
{{esboço-biografia}}
{{Wikiquote|Jean Rotrou}}
 
 
 
[[Categoria:Dramaturgos da França|Rotrou, Jean]]
[[categoria:Poetas da França|Rotrou|Jean]]
[[categoria:Escritores da França|Rotrou, Jean]]
 
286 019

edições