Abrir menu principal

Alterações

29 471 bytes adicionados, 03h31min de 30 de março de 2008
sem resumo de edição
É uma variedade dos elementais do ar. Além dos '''Silfos''' ou '''Sílfides''' temos também fazendo parte deste elemento as [[fadas]] e os [[hamadríades]]. São criaturas que reinam no Ar, de aspirações e transcendência, voando entre o céu e a terra, entre o corpo e o espírito liberto. Todas as tormentas e ventos estão associados com os Seres do Ar, desde a mais suave brisa, generalizada como um suspiro de na [[Ilha de Man]] (Irlanda), até os grandes e destrutivos poderes das Monções Árabes, causadas pelo furioso [[Jinn]]. Estes seres têm uma capacidade intelectual sensível, chegando a favorecer o homem na sua imaginação. Ajudam a conservar e desenvolver corpo e mente e estimulam a inspiração e a criatividade. Trabalham ainda, para elevar nossos pensamentos e inteligência, equilibrando o uso conjunto das faculdades racionais e intuitivas. Elas proporcionam rapidez mental, agilidade de idéias e tornam possível a [[telepatia]]. Podem ser invocadas para que nos conceda um desejo relacionado com o vento ou com o pensamento, como para agilizar negócios que envolvam papéis e trazer uma pessoa que nos interesse. Em muitos momentos de nossa vida as sílfides intervêm, como quando nos surpreendemos com uma idéia para a solução de um problema ou quando nos vêm à mente uma palavra que há muitos dias buscávamos. Como todos os elementos da natureza, a relação entre seu estado de ânimo e como se manifestam é muito direta. Enquanto são uns seres doces e delicados, quando irritados são as responsáveis pelos ventos fortes, vendavais e furacões.
{{Wikificação|data=Fevereiro de 2008}}{{Sem-fontes|data=Fevereiro de 2008}}
'''Silfos''' ou '''Sílfides''' são seres mitológicos da tradição ocidental. O termo provém de [[Paracelso]], que os descreve como [[elementais]] que reinam no ar, nos ventos, assemelhando-se a anjos. Têm uma capacidade intelectual sensível, chegando a favorecer o homem na sua imaginação. São reconhecidamente belos, assumindo vários tons de violeta e de rosa. As lendas contam que são os sílfos que modelam as nuvens com suas brincadeiras, para embelezar o dia-a-dia do homem na Terra.
 
==Origem do Nome==
[[Categoria:Mitologia]]
O nome de silfo provém da língua grega e designa um animal pertencente à classe dos "coleópteros".
Passou para o âmbito mitológico através das concepções cabalistas, entre outras, que em conjunto e por evolução cultural e temporal, colocaram o silfo numa esfera em que se revestiu de características feéricas, tal como as sílfides.
A palavra "sílfide", como conhecemos atualmente, vem do latim "sylfiorum", silfo, gênio, espírito elemental do ar, e por derivação de "silfo" se criou a forma "sílfide", ninfa do ar.
==A Missão dos Silfos==
Nem todos os silfos trabalham e vivem obrigatoriamente na atmosfera. Muitos possuem elevada inteligência e trabalham para criar o ar e correntes atmosféricas adequadas à vida na Terra. Quando respiramos profundamente e sentimos um doce frescor no ar, estamos nos familiarizando com o fruto do trabalho deles. Vários silfos desempenham funções específicas ligadas à atividade humana. Alguns trabalham para aliviar a dor e o sofrimento. Outros para estimular a inspiração e criatividade. Uma de suas tarefas mais específicas consiste em prestar auxilio às almas de crianças que acabam de fazer a transição. Também atuam temporariamente como anjos da guarda até estarmos mais receptivos e preparados.
==O Poder dos Silfos==
Os estudiosos de magia dizem que são os mais elevados de todos os elementais, já que seu elemento nativo é o de mais alta taxa vibratória. Vivem centenas de anos, freqüentemente atingem um milênio de idade e nunca parecem envelhecer, não têm doenças e vivem muito mais tempo do que nós, e têm visão e audição e todos os outros sentidos muito mais agudos que os nossos, no mesmo sentido que o ar é mais puro que a água e o éter do que o ar.
 
 
==Manifestação==
Segundo os esotéricos, os elementais não têm conhecimento do bem ou do mal, cumprem suas funções e obedecem ordens. Não são conselheiros pois não são essas suas tarefas. Ajudam dando informações dos próprios elementos, por ex: "Esta planta está morrendo", "Este cristal está sujo", "O ar está poluido", "O mar está perigoso", etc. Os elementais normalmente se apresentam aos que possuem uma maior sensibilidade para poder vê-los, na forma em que imaginamos que eles sejam. Por exemplo: As maiores informações que recebemos sobre os gnomos, é que eles são aqueles homenzinhos medievais. Assim sendo, um gnomo vai ler a nossa mente, receber a imagem que produzimos a respeito dele e assim ele irá se apresentar a nós. E assim, acabamos nos esquecendo que em cada região, os elementais irão se apresentar de forma diferente. Na Europa, temos as sereias como mulheres de pele clara, cabelos loiros e olhos azuis, porque lá as pessoas têm essa imagem como a de uma sereia (ou Ondina). E a nossa Iara? Ela também é uma Ondina. No entanto tem a aparência de uma índia, porque quem á via tinha essa concepção do que seria uma sereia. As pessoas do interior não vêem o tal homenzinho medieval(gnomo), e sim o saci-pererê, porque nunca tiveram acesso a livros que falam deste tipo de gnomos que se apresentam nas formas de homens medievais. O importante de tudo isso, é sabermos preservá-los perto de nós. As concepções variam também de acordo com as culturas, podendo ser vistos como entes maléficos ou, pelo contrário, como seres bondosos, conotados com o ar e o vento.
==Os Silfos e os Homens==
Quando o elemental (ou elementais) aderem ao ser humano, estabelece-se um vínculo energético natural, um intercâmbio: O elemental enriquece e potencializa a energia vital do ser humano dando-lhe o seu elemento enquanto o ser humano, por sua própria vibração e inteligência , faz o elemental ficar mais inteligente. Neste sentido homem e elemental harmonizados, evoluem juntos , faz com que homem e natureza sejam unos.
Alguns dizem que uma conexão muito forte com os espíritos e elementais do ar torna nossa mente tão ativa que ela passa a requerer constante controle e direção. Pode gerar excesso de curiosidade e intrometimento, paralisar a vontade em virtude da exagerada análise mental e hiperestimular o sistema nervoso, fazendo com que necessitemos de freqüentes mudanças. Além disso, pode ocasionar diversas formas de excentricidade, ou ainda induzir a um fanatismo acompanhado de falta de emoção e de sensibilidade. Também costuma gerar um desprendimento em relação ao que é físico e total desinteresse pelas atividades terrenas.
Já a falta de afinidade com os seres deste reino, incluindo o nosso silfo pessoa, pode distorcer nossa capacidade de percepção a ponto de eliminar o bom senso. É possível que fiquemos tão envolvidos com atividades e emoções que não sobre tempo para refletir sobre a própria vida. A tremenda falta de visão perspectiva que resulta disso pode debilitar gravemente o sistema nervoso e, sob essas condições, a curiosidade e imaginação tornam-se escassas ou mesmo inexistentes. Esta conexão quando feita de forma equilibrada
facilita a assimilação de novos conhecimentos, pois nosso silfo pessoa trabalha conosco para expandir a sabedoria. Eles também são úteis na proteção do lar e propriedades em geral, porque suas abundante energia confunde as mentes de possíveis intrusos, preocupando-os e fazendo com que pensem duas vezes antes de invadir o espaço alheio.
A sintonia com o silfo pessoal confere acesso ao reino dos arquétipos. Ajuda a coordenar e verbalizar nossas percepções. Estimula a liberdade, o equilíbrio mental e uma saudável curiosidade. A maneira mais eficaz de controlar nosso silfo pessoal é por meio da constância. Uma abordagem consistente e determinada da vida é indubitavelmente a melhor de todas, pois só ela assegura o pleno cumprimento de nossas resoluções. As fadas do ar possuem uma energia sutil e fluídica. Em termos místicos, estes seres alados são tão rápidos quanto o pensamento e trazem mensagem dos Deuses.
==O Elemento Ar==
O ar é o elemento do intelecto, é o domínio do pensamento, que constitui o primeiro passo para a criação. Em termos de magia, o ar é a visualização clara, límpida e pura, a qual é um poderoso instrumento de mudança. É também movimento, o ímpeto que envia a visualização ao encontro da manifestação. O ar auxilia o curador quando alguém precisa muito se dar conta da sua vida (encarnação) e da sua morte (transmutação), do inspirar (ganhar vida) e do expirar (doar vida).
O ar é a fonte de toda energia vital. Tem recebido nomes variados em diversas partes do globo como prana, chi, ki etc. mas é sempre essencial à vida. Podemos passar sem comida ou água por períodos mais ou menos longos, entretanto é impossível viver sem ar por um período prolongado de tempo, pois respirar é necessidade básica à manutenção da existência. Rege os encantamentos e rituais envolvendo viagens, instrução, liberdade, obtenção de conhecimento, descoberta de itens perdidos, revelação de mentiras e coisas do gênero!
O ar inalado é o alento que sustenta a vida; o ar exalado carrega palavras, poesias e as canções que comunicam idéias e saber aos humanos. Porém as palavras ferem tanto como falam, condenam do mesmo modo que exaltam. Por essa razão, o símbolo mágico do ar é uma espada de duplo fio.A mais suave das brisas, assim como o mais violento dos furacões são resultado de seu trabalho.São elas que controlam o vento e dele dependem muitos fenômenos naturais: como o deslocamento das nuvens que provocam as chuvas e as tormentas; intervêm no movimento das águas, em maremotos; na primavera são fundamentais para a polinização, transportando pelo ar o pólen das flores e ainda com todos os fenômenos relacionados com o ar como a brisa, ciclones, etc.
==Conectando-se com um Silfo==
Na magia, o ar se corresponde com a reflexão, as idéias e a comunicação. Se necessitas atuar nesses campos de tua vida, pode solicitar a ajuda desses elementais.
Misture uma colher de lavanda seca (alfazema), duas colheres de resina de benzoína, duas de resina de acácia, outras duas de sândalo e umas gotas de azeite de erva cidreira. Queime uma mão cheia ou duas dessa mistura sobre um pouco de carvão vegetal (encontra-se a venda em lojas de artigos eclesiásticos ou de ocultismo). Magicamente, a ascensão dessa fumaça represente o elemento ar. Assim que sentires que conseguiu atrair a atenção dos silfos fale: "Senhores do Ar, imploro vossa ajuda para execução de minha tarefa".
Feche os olhos e relaxe, para realizar uma viagem de encontro aos silfos. Visualize o sol aquecendo um parado primaveril e uma cálida brisa agita as flores. Através das nuvens, empurradas pelo vento, aparecerá diante de ti um elemental do ar. Note com detalhes sua aparência e diga teu nome. Em seguida peça ajuda para tudo que diga respeito a aprendizagem intelectual, à concentração, à melhoria de tua imaginação, memória e claridade de juízo. Quando estiver disposto(a) a regressar, manifesta tua gratidão ao elemental e retorne a consciência de vigília.
 
=== Oração aos Silfos ===
“Espírito de sabedoria, cujo sopro dá e retoma a forma de todas as coisas;
tu, diante de quem a vida dos seres é uma sombra que muda e um vapor que passa;
tu, que sobes às nuvens e que caminhas nas asas dos ventos;
tu, que expiras, e os espaços sem fim são povoados;
tu, que aspiras, e tudo o que de ti vem a ti volta: movimento sem fim da estabilidade eterna,
sê eternamente bendito. Nós te louvamos e te bendizemos no império móvel da luz criada, das sombras, dos reflexos e das imagens, e aspiramos incessantemente à tua imutável e imperecível claridade.
Deixa penetrar até nós o raio da tua inteligência e calor do teu amor:
então o que é móvel ficará fixo, a sombra será um corpo, o espírito do ar será uma alma, o sonho será um pensamento.
E nós não seremos mais arrastados pela tempestade, porém seguraremos as rédeas dos cavalos alados da manhã e dirigiremos o curso dos ventos da tarde, para voarmos diante de ti.
Ó espírito dos espíritos, ó alma eterna das almas,
ó sopro imperecível de vida, ó suspiro criador,
ó boca que aspiras e expiras a existência de todos os entes, no fluxo e refluxo da tua eterna palavra, que é o oceano divino do movimento e da verdade. Amém.”
=== Invocação aos Silfos ===
Eu vos saúdo, Silfos,
Que constituís a representação do ar e dos ventos,
Portadores das mensagens para toda a terra,
Eu deposito em vós
A minha imensa confiança,
Pois meus pensamentos, são sempre positivos,
Voltados para o amor de todas as coisas existentes.
Fazei de mim a imagem do esplendor da luz.
Fazei deste pensamento, meu milagre!
Mestres do ar,
Eu vos saúdo, fraternalmente.
Amém.
 
*Dizem os místicos Que com esta Invocação, pode-se obter a condução de pensamentos positivos, para uma determinada pessoa, para resoluções de negócios ou para uma situação preocupante.
==Origem Mitológica==
Na mitologia grega encontramos a hárpia, como a primeiras criatura alada descrita como desapiedada, cruel e violenta. Seu aspecto é horrendo e raptava pessoas e as torturavas a caminho do Tártaro. As vezes era representada sobre as tumbas, apoderando-se do espírito do morto. As hárpias personificavam os ventos violentos e as tempestades capazes de arrastar os homens para as mansões subterrâneas.
 
==Folclore==
Em diferentes relatos folclóricos, desde os desertos árabes até a América do Norte e as Ilhas Britânicas, há referências que os tornados seriam produto de uma horda de espíritos feéricos enfurecidos.
No folclore, o líder dos silfos chama-se Paralda e reside na montanha mais alta da Terra.
Cada civilização colocou seus próprios nomes aos elementais
O folclore e a mitologia de todos os povos abundam de lendas dessas figuras, dos que assombram castelos, guardam tesouros nas profundezas da terra. As fadas são delícias das histórias infantis.
Alguns acreditam que os Silfos se reúnem em torno da mente de um sonhador, dos artistas, dos poetas,e os inspiram com seu conhecimento íntimo das maravilhas e obras da natureza. Seu temperamento é alegre, mutável e excêntrico. A eles atribuem a tarefa de modelar os flocos de neves e arrebanhar as nuvens, tarefa esta que desempenham com a ajuda das Ondinas, que lhes fornecem a umidade. Esta Invocação deverá ser feita às primeiras horas da manhã e de preferência, caminhando, com os pés descalços, em lugar tranqüilo, portando um Incenso do aroma que você preferir ou de seu anjo da Guarda.
Alguns acreditam que os Silfos se reúnem em torno da mente de um sonhador, dos artistas, dos poetas,e os inspiram com seu conhecimento íntimo das maravilhas e obras da natureza. Seu temperamento é alegre, mutável e excêntrico. A eles atribuem a tarefa de modelar os flocos de neves e arrebanhar as nuvens, tarefa esta que desempenham com a ajuda das Ondinas, que lhes fornecem a umidade. Esta Invocação deverá ser feita às primeiras horas da manhã e de preferência, caminhando, com os pés descalços, em lugar tranqüilo, portando um Incenso do aroma que você preferir ou de seu anjo da Guarda.
As culturas em que mais presente se encontram esta concepção de espíritos pertencentes a um mundo mitológico são as que possuem raízes dos Germanos e dos Celtas, uma vez que as suas tradições são ricas neste gênero de seres.
==Os Silfos na visão de Paracelso==
Em 1566 o médico e alquimista Paracelso no seu "Tratado sobre os Espíritos Elementais" chamou de "silfos" espíritos do ar como os "elfos da luz" nórdicos (talvez do latim sylva com o grego nympha),
Phillippus Aureolus Paracelsus – Príncipe dos Alquimistas e filósofos Herméticos, um grande conhecedor na natureza espiritual acreditava que cada um dos quatro elementos primários era constituído de um princípio sutil, vaporoso e de uma substância corporal densa (semimaterial).
Acreditava também que o ar, água, fogo, terra tem duas naturezas, uma visível e outra invisível. Os minerais, os vegetais, os animais e os homens vivem num mundo composto da parte densa desses quatro elementos., todos são construídos combinandos os elementos.
Água é representada pela ciência moderna por Hidrogênio, o ar em oxigênio, o fogo por nitrogênio e a terra por carbono. Da mesma forma a parte invisível é representada por diversos seres invisíveis, esses múltiplos seres são chamados de ELEMENTAIS ou ESPIRITOS DA NATUREZA.
Paracelso dividiu esses seres em grupos dentro de seus quatro elementos. Chamando de elementais classificados nos grupos com os nomes de Gnomos, ondinas, silfos e salamandras.
Paracelso ao descrever as substâncias que constituem os corpos dos elementais, dividia a carne em dois tipos. A primeira é a carne física, visível. A segunda é semimaterial, não visível ao plano físico. Acrescenta ainda que enquanto o homem é composto de espírito, alma, mente e corpo, os elementais são constituídos apenas dessa substância sutil que ele chama de éter (essência espiritual). Portanto cada elemento possui seu éter, isso faz com que cada grupo viva apenas dentro de seu elemento (como os peixes dentro da água). Afirma que não existe contato entre os grupos familiares de um elemento com outro elemento.
Os espíritos da natureza não podem ser destruídos pelos elementos mais grosseiros, tais como: Fogo físico, avalanche, terremoto, inundação, pois estão noutra faixa vibracional. Porém possuem carne, osso e são mortais.
Segundo Paracelso não possuem espírito individual e imortal, e na morte simplesmente se desintegram de volta ao elemento no qual originalmente se tinham individualizados. Nenhuma consciência individual se preserva após sua morte, pois não há um veículo superior para contê-la. Sendo os elementais feito de uma única substância, não há fricção entre os veículos, por isso os elementais vivem idades avançadas.
Os compostos de éter terrestre (mais denso) vivem menos tempo, os do ar são os que vivem mais. A duração média de vida fica entre 300 à 1.000 anos. Vivem em condições similares aos humanos, sujeitos a doenças.
Eles vivem em quatro elementos: as ninfas no elemento água; os silfos no elemento ar; os elfos ou duendes na terra; as salamandras no fogo. Cada espécie move-se dentro do seu elemento, como o ar para nós, água para os peixes.
==Os Silfos e o Pentagrama==
Os adeptos à religião [[Wicca]] crêem que tudo foi criado a partir dos cinco elementos. O [[pentagrama]] é para eles um símbolo poderoso de proteção e equilíbrio. Levi criou o Tetragrammaton - o pentagrama com inscrições cabalísticas - Cada uma de suas cinco pontas representa um dos cinco elementos manifestados (Fogo, Ar, Água e Terra) e o unificador elemento do Espírito.
O Ar é representado em amarelo pela Ponta 3 - Representa as forças aéreas e os poderes dos Silfos. Corresponde à inteligência , ao poder do saber, a força da comunicação e da criatividade.
 
Rivas Neto afirma que no encontro das forças o ar alimenta o fogo que movimenta a água, que fertiliza a terra que produz o ar, esse processo cíclico, a energia desce pelo éter e se transforma em força.
 
 
 
 
 
 
==Os Silfos Expressos na Arte==
O compositor [[Fréderic Chopin]] faz menção a esses elementais no bailado "As Sílfides".
Uma das obras de [[William Shakespeare]], "La Tempestad", inclui um personagem sílfico, Ariel cuja canção era capaz de desencadear os ventos, encantar os homens ou enlouquecê-los. Ariel, portanto, é um elemental que controla os poderes do ar. Seus ventos giram em torno da Terra.
No último discurso de Sócrates, tal como foi preservado no Fédon de Platão, o filósofo condenado à morte diz: ".....acima da Terra, existem seres vivendo em torno do ar tal como nós vivemos em torno do mar, alguns em ilhas que o ar forma junto ao continente; e numa palavra, o ar é usado por eles tal como a água e o mar o são por nós, e o éter é para eles o que o ar é para nós.
 
==A Visão Espírita Sobre os Silfos==
As edições da Revista Espirita de trazem artigos que falam sobre os espíritos da natureza . Na primeira , Erasmo , um espírito da equipe da Codificação Espirita, faz comentários, em resposta a perguntas de Kardec sobre o assunto, relatando que há Espíritos encarregados de trabalhar com as forças da natureza , para execução das ordens de Deus. Na segunda, há uma comunicação psicografada pela médium Senhora Boyer, que transcrevemos abaixo.
O Gênio das Flores
 
''Sou Hettani, um dos espíritos que presidem à formação das flores, à diversidade de seus perfumes. Sou eu, ou antes, somos nós, pois somos milhares de espíritos, que ornamos os campos e os jardins; que damos ao horticultor o gosto pelas flores. Não lhe poderíamos ensinar a mutilação que por vezes praticas mas lhe ensinamos a variar seus perfumes, a lhes embelezar as formas tão graciosas já. Contudo é principalmente para as flores abertas naturalmente que se volta toda nossa atenção. A estas prodigalizamos mais cuidados ainda: são as nossas preferidas. Tudo quanto é só necessita de auxílio. Eis porque delas cuidamos melhor. Também somos encarregados de espalhar os perfumes. Levamos ao exilado a lembrança da pátria fazendo entrar na sua prisão o perfume das flores que ornavam o jardim paterno.... ao que chora, uma lembrança dos que se foram ,
fazem desabrochar em seus túmulos as rosas e violetas...
...Penso que estais admirados, ouvindo-nos dizer que há Espíritos para tudo isto. E, contudo é a pura verdade , Jamais encarnamos e talvez jamais encarnaremos em vosso meio. Entretanto, alguns já foram homens , mas poucos, entre os Espíritos dos elementais. Em vossa Terra nossa missão nada é : progredimos como vós; mas é principalmente nesses planetas superiores que somos felizes . Em Júpiter; nossas flores emitem sons...
Adeus. Que um perfume de caridade vos anime . As próprias virtudes têm seu perfume.
Alguns dias mais tarde, Allan Kardec endereçou algumas perguntas aos Espíritos da Codificação e foram respondidas pelo Espirito São Luiz :
-"Outro dia tivemos uma comunicação espontânea de um Espírito que disse presidir às flores e seus perfumes .Há realmente Espíritos que possam ser olhados como gênios das flores?"
-- "Esta expressão é poética e bem aplicada ao assunto . Mas , a bem dizer , seria defeituosa. Não deveis duvidar de que o Espírito, por toda a Criação, preside ao trabalho que Deus lhe confia. Assim deve ser entendida essa comunicação"
- "Esse Espírito chama-se Hettani . Como tem um nome , se jamais encarnou ?"
-- "É uma ficção . O Espírito não preside, de maneira particular , à formação das flores. O Espírito elementar antes de passar à série animal , dirige sua ação fluídica para a criação vegetal. Este ainda não encarnou : não age senão sob a direção de inteligências mais elevadas, que já viveram o bastante para adquirir a ciência necessária à sua missão . Foi um desses que se comunicou . Ele vos fez uma mistura poética da ação de duas classes de Espíritos , que atuam na criação vegetal "
- “Assim o espírito que se comunicou não é o que habita e anima a flor?”
--" Não , não . Eu vo-lo disse claramente : ele é o que guia. '
====Os Seres Da Natureza No Livro Dos Espíritos====
No livro dos Espíritos, Kardec formula uma pergunta sobre a ação desses Espíritos que controlam a Natureza.
"540 . OS ESPÍRITOS QUE EXERCEM AÇÃO NOS FENÔMENOS DA NATUREZA OPERAM COM CONHECIMENTO DE CAUSA, USANDO DO LIVRE-ARBÍTRIO, OU POR EFEITO DE INSTINTIVO OU IRREFLETIDO IMPULSO"
"uns sim, outros não . estabeleçamos uma comparação. Considerando essas miríades de animais que, pouco a pouco, fazem emergir do mar ilhas e arquipélagos. Julgas que não há ai um fim providencial e que essa transformação da superfície do globo não seja necessária à harmonia geral ?
Entretanto, são animais de ínfima ordem que executam essas obras , promovendo às suas necessidades e sem suspeitarem de que são instrumento de Deus Pois bem, do mesmo modo os Espíritos mais atrasados oferecem
utilidades ao conjunto. Enquanto se ensaiam para a vida , antes que tenham plena consciência de seus atos e estejam no gozo do pleno do livre-arbítrio , atuam em certos fenômenos , de que inconscientemente se constituem os
agentes . Primeiramente , executam. Mais tarde , quando suas inteligência já houverem alcançado um certo desenvolvimento , ordenarão e dirigirão as coisas do mundo material . Depois poderão dirigir as do mundo moral. É assim que tudo serve , que tudo se encadeia na Natureza , desde o átomo primitivo até o arcanjo, que também começou por ser átomo . Admirável lei de harmonia , que o vosso acanhado espírito ainda não pode apreender em conjunto !"
====Entrevista com Divaldo Franco na Revista Espírita Allan Kardec====
Divaldo , existem os chamados espíritos elementares ou espíritos da natureza?
Sim, existem os espíritos que contribuem em favor de desenvolvimento dos recursos da Natureza. Em todas as épocas eles foram conhecidos . Identificando-se através de nomenclatura variada , fazendo parte da Mitologia dos povos e tornando-se , alguns deles "deuses" que se faziam temer ou amar.
Qual é o estágio evolutivo desses espíritos?
Alguns são de elevada categoria e comandam os menos evoluídos, que se lhes submetem docilmente , laborando em favor do progresso pessoal e geral, na condição de auxiliares daqueles que presidem aos fenômenos da Natureza.
Então eles são submetidos hierarquicamente a outra ordem mais elevada de espíritos?
Sim, De acordo com o papel que desempenham, de maior ou menor inteligência, tornam-se responsáveis por inúmeros fenômenos ou contribuem para que os mesmos aconteçam. Os que se fixam nas ocorrências mais materiais, são , portanto , pela própria atividade que desempenham , mais atrasados e submetidos aos de grande elevação, que os comandam e orientam.
Estes espíritos apresentam-se com formas definidas, como por exemplo fadas, duendes , gnomos... Alguns deles, senão a grande maioria dos menos evoluídos , que ainda não tiveram reencarnações na Terra, apresentam-se não raro, com formas especiais, de pequena dimensão, o que deu origem aos diversos nomes nas sociedades mitológicas do passado . Acreditamos ,pessoalmente por experiências mediúnicas, que alguns vivem o período intermediário entre as formas primitivas e hominais , preparando-se para futuras reencarnações humanas.
Quer disser que já passaram ou passam, como nós , espíritos humanos , por
ciclos evolutivos, reencarnação ?
A reencarnação é lei da Vida através de cujo processo o psiquismo adquire sabedoria e "desvela o seu Deus interno". Na questão 538 de O Livro dos Espíritos , Allan Kardec interroga "Formam categorias especial no mundo
espírita os Espíritos que presidem aos fenômenos da Natureza? Serão seres à parte , ou Espíritos que foram encarnados como nós ? É os Benfeitores da Humanidade responderam : "Que foram ou que serão ".
Algum dia serão , ou já foram homens terrestres ?
Os mais elevados já viveram na Terra, onde desenvolveram grandes aptidões . Os outros menos evoluídos , reencarnar-se-ão na Terra ou em outros mundos , após se desincumbirem de deveres que os credenciam ao crescimento moral e intelectual, avançando sempre , porque a perfeição é meta que a todos os seres está destinados.
Os elementais são autóctones ou vieram de outro planeta?
Pessoalmente acreditamos que um número teve sua origem na Terra e outros vieram de diferentes mundos , a fim d contribuírem com o progresso do nosso planeta
Que tarefas executam?
Inumeráveis . Protegem os vegetais ,os animais, os homens . Contribuem para acontecimento diversos : tempestades, chuvas , maremotos, terremotos , ...interferindo nos fenômenos "normais "da Natureza sob o comando dos
Engenheiros Espirituais que operam em nome de Deus que "não exerce ação direta sobre a matéria . Ele encontra agentes dedicados em todos os graus da escala dos mundos ", como responderam os Venerandos Guias a Kardec, na
questão 536b de o livro dos Espíritos.
"todos eles sabem manipular conscientemente os fluidos da natureza?
Nem todos , Somente os condutores sabem o que fazem e para o que fazem , quando atuam nos elementos da Natureza . Os mais atrasados "oferecem utilidade para o conjunto" não suspeitando sequer que são "instrumentos de
Deus".
Nós não os vemos normalmente, isto significa que não se reveste de matéria densa ?
O conceito de matéria, na atualidade , é muito amplo . A sua "invisibilidade" aos olhos humanos , a alguns indivíduos, de forma alguma demonstra que não sejam constituídos de maneira equivalente aos demais espíritos da Criação . Encontram-se em determinada fase de desenvolvimento , que são perceptíveis somente aos médiuns , a pessoas dotadas de percepção especial qual ocorre também com os Espíritos Nobres , que não são detectáveis por qualquer pessoa destituída de faculdade mediúnica.
Qual é o habitat natural destes espíritos?
A Erraticidade, o mundo dos Espíritos , pertencendo a uma classe própria é, portanto , vivendo em regiões compatíveis como seu grau de desenvolvimento , de evolução "Misturam-se" aos homens e vivem , na grande maioria , na própria Natureza, que lhes serve de espaço especial.
 
 
==Bibliografia==
*http://www.portalangels.com
*http://www.infopedia.pt
*El Mágico Mundo de las Hadas - Gilly Sergiev
*La Magia de las Hadas - Sirona Knight
*El Oráculo Celta - Rosemarie Anderson
*El Anillo de las Hadas - Anna Franklin
*Faries, Dooways to Enchanted Realm - Lory Eisenkraft Palazzola
*Celtic Fairy Tales - Joseph Jacobs
*Paracelso – O livro das Ninfas,Silfos, Gnomos e Salamandras e outros espíritos
*O Reino dos Deuses-Gofffrey Hodson
*O Reino dos Devas e Espíritos da Natureza-Gofffrey Hodson
*Os espíritos elementais da Natureza-Jorge Angel Livragna
*Introdução e Teoria dos Elementais-Antonio Jorge Thor
*O mundo real das fadas-Doris Van Gelder
*Los Celtas mitos y leyendas - Charles Squire
*El Oráculo de las Hadas - Jessica Macbeth
*El Gran Libro de las Hadas - Alejandra Ramírez Zarzuela
*Dogma e Ritual da Alta Magia-Eliphas Levi
* Revista Espírita (edições de 1859 e 1869)
*O Livro dos Espíritos
 
[[Categoria:Mitologia]]
[[Categoria:Elementos e elementais]]
 
5

edições