Abrir menu principal

Wikipédia β

Estádio Palestra Itália

Jardim Suspenso.
Disambig grey.svg Nota: Se procura o novo estádio, veja Allianz Parque.

O Estádio Palestra Itália, também conhecido popularmente como Parque Antártica, foi um estádio de futebol pertencente à Sociedade Esportiva Palmeiras, localizado entre no distrito da Barra Funda, na zona oeste da cidade de São Paulo.

Estádio Palestra Itália
Estádio Palestra Itália.JPG

Nomes
Nome Estádio Palestra Itália
Apelido Parque Antártica
Antigos nomes Campo do Parque da Antarctica Paulista
Características
Local Rua Turiaçu, São Paulo, SP, Brasil
Gramado Grama natural (110×75 m)
Capacidade 27.650[1]
Construção
Data Campo: 1902
Estádio: 1933
Inauguração
Data 3 de maio de 1902[2]
Partida inaugural Mackenzie 2–1 Germânia
Data 9 de julho de 2010
Partida final Palmeiras 0–2 Boca Juniors
Recordes
Público recorde 35 533 pagantes[3]
(40 283 presentes[4])
Data recorde 18 de agosto de 1976
Partida com mais público Palmeiras 1–0 XV de Piracicaba
Outras informações
Remodelado década de 1950 e 2008
Expandido década de 1990
Fechado 10 de julho de 2010, para a construção do Allianz Parque
Demolido 2011
Proprietário Palmeiras[5]
Custo de aquisição 500 contos de réis[6]
Mandante Palmeiras[7]

Em julho de 2010, deixou de receber partidas de futebol e demais eventos, em virtude do início das reformas para transformar o local em uma moderna arena multiuso, o Allianz Parque.

Antes da reforma, possuía capacidade para 27 650 pessoas, e em 1973, sua capacidade era para 31 704, segundo laudo do Corpo de Bombeiros divulgado pela Folha de S. Paulo[8], tendo recebido públicos maiores em sua história.

Após a conclusão do Allianz Parque, a nova arena do Palmeiras passou a ter capacidade para receber até 43 600 pessoas.

Índice

HistóriaEditar

A Companhia AntarcticaEditar

 
Fachada do estádio em 1921.

No final do século XIX, a Companhia Antarctica Paulista criou o Parque da Antarctica, um espaço de lazer de trezentos mil metros quadrados para seus funcionários, próximo a fábrica, contendo uma vasta área verde (com um pequeno lago, coreto e bosques), parque infantil, restaurantes, choperia e áreas para a prática esportiva (incluindo pistas de atletismo, quadra de tênis e um dos primeiros campos de futebol da cidade). Com a chegada e expansão do futebol, esse espaço passou a ser cada vez mais requisitado e a empresa aproveitou a oportunidade ao alugar o campo de futebol para pequenos clubes da cidade no início do século XX.

Além de se tornar um dos principais campos para a prática do futebol, o parque era referência para uma série de eventos ao ar livre, como exibições de boxe e até corrida de automóveis. Em julho de 1908, sediou a primeira corrida automobilística disputada na América do Sul, o "Circuito de Itapecerica", que terminou com vitória do paulista Sílvio Penteado.

Em 3 de maio de 1902, o Mackenzie College venceu por 2 a 1 o Germânia (atual Esporte Clube Pinheiros) no Parque da Antarctica, dando início ao primeiro campeonato oficial de futebol do Brasil, o Campeonato Paulista.

Palestra Itália (Palmeiras)Editar

No início, o Germânia (clube de origem alemã) mandava seus jogos no Parque Antártica, mas em 1916 a Companhia Antarctica Paulista alugou o estádio para o América F.C. (um clube paulistano que tinha esse nome em homenagem ao América do Rio e Janeiro). Esse clube, por sua vez, sublocou o Estádio ao Palestra Itália no ano seguinte. O contrato previa que o América utilizaria o campo nas terças, quintas, sábados, domingos e feriados na parte da manhã, enquanto o Palestra Itália utilizaria nos mesmos no período da tarde, tanto para treinos como para as partidas oficiais.

 
Vista interna do Estádio Palestra Itália em 2010.

Em 1920, o América se afundou em problemas financeiros e acabou sendo extinto. Em meio a isso o Palestra Itália efetuou a compra do terreno, incluindo não apenas o estádio mas também todas as outras instalações esportivas, pelo valor total de 500 contos de réis (algo em torno de R$600.000,00[9]), sendo 250 contos à vista, e outras duas parcelas anuais de 125 contos cada, além de um contrato perpétuo de venda dos produtos da Companhia Antarctica nas dependências do estádio.

Na época isso chegou a ser chamado de "A Loucura do Século", porque muitos duvidaram que o Palestra pudesse pagar as prestações, já que era um clube ainda com poucos anos de existência e com poucos recursos. Realmente, em 1922 o Palestra Itália não tinha condições de pagar a última parcela, e a solução foi vender uma parte do terreno para as Industrias Matarazzo (é o terreno onde hoje existe um shopping center).

 
Vista lateral externa do Estádio Palestra Itália em 2010

Em cerca de 13 anos o clube investiu em grandes reformas - incluindo a reforma da arquibancada geral, ainda de madeira, e a construção de uma imponente tribuna social, reservada aos associados do clube.

Constrói grandes arquibancadas em concreto armado e, em 13 de agosto de 1933, na partida Palestra Itália 6 x 0 Bangu (tendo Gabardo assinalado o primeiro gol), pelo Torneio Rio-São Paulo, inaugura o "Stadium Palestra Itália": maior e mais moderno estádio de futebol do País (na época), com capacidade para trinta mil torcedores. Neste mesmo período, a sede social do clube foi transferida do centro da cidade para o entorno do estádio.

 
Jogo no Palestra Itália entre Palmeiras e Sport em 2007

No dia 18 de agosto de 1976, o Palmeiras conquistou seu 18º título do Campeonato Paulista ao vencer o XV de Piracicaba por 1 a 0 na partida final, atingindo um público recorde de 40 283 pessoas (35 913 pagantes). O recorde anterior era da partida Palmeiras 1–0 São Paulo, em 11 de junho de 1969, com 37 282 pessoas.[10]

O Estádio Palestra Itália é palco de outras grandes conquistas do Palmeiras. Uma das maiores delas aconteceu no dia 16 de junho de 1999, quando o alviverde foi campeão da Copa Libertadores da América, principal competição de clubes da América. O Palmeiras venceu na final da competição o Deportivo Cali, da Colômbia, com grande destaque para o goleiro Marcos, escolhido o melhor jogador do torneio.

No tempo normal, a equipe brasileira derrotou o time colombiano por 2 a 1. Como o adversário havia vencido por 1 a 0 no jogo de ida, o campeão foi conhecido por meio na disputa de pênaltis. Num dos momentos mais dramáticos da história do estádio, o Palmeiras levou a melhor, chegando ao título depois de vencer a disputa por 4 a 3[11].

 
Partida entre Palmeiras e Goiás disputada em 2009

Um ano antes da conquista histórica da Copa Libertadores da América, o Palmeiras já havia obtido seu primeiro título internacional oficial no Palestra Itália com a conquista da Copa Mercosul de 1998. Numa final que foi realizada em três partidas contra o Cruzeiro, o alviverde perdeu o primeiro jogo, no Estádio do Mineirão, por 1 a 0, mas venceu as duas partidas seguintes, por 3 a 1 e por 1 a 0, respectivamente, no estádio paulistano[12].

Nos dois anos seguintes, o Palmeiras voltou às finais da Copa Mercosul, com os jogos decisivos novamente disputados no Estádio Palestra Itália. O alviverde terminou as duas competições como vice-campeão, depois de perder as decisões para o Flamengo, em 1999[13], e para o Vasco da Gama, em 2000[14].

No dia 9 de julho de 2010, um jogo amistoso entre Palmeiras e Boca Juniors, que contou com vitória por 2 a 0 da equipe argentina, marcou a despedida definitiva do Estádio Palestra Itália[15] antes do início de uma profunda reforma que pretende transformar o espaço numa Arena multiuso, com entrega prevista para o primeiro trimestre de 2014, ano do centenário do clube e da realização da Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

Meses antes do amistoso, no dia 22 de maio, na vitória do Palmeiras por 4 a 2 sobre o Grêmio, o estádio recebeu a última partida oficial do alviverde.[16]

Localização e vias de acessoEditar

O Estádio Palestra Itália (assim como o Allianz Parque, hoje) era considerado um dos estádios mais acessíveis da capital paulista (assim como o Pacaembu). Localizado na Rua Turiaçu, 1840, no bairro Água Branca (limite entre os bairros da Barra Funda e de Perdizes), no chamado "centro expandido" da cidade de São Paulo, ficava às margens das linhas 7 e 8 da CPTM (antigas Estrada de Ferro Santos Jundiaí e Estrada de Ferro Sorocabana, respectivamente) e do Metrô, com as estações Palmeiras-Barra Funda e Água Branca.

A Avenida Francisco Matarazzo, onde se situavam os portões principais do estádio, é servida pelo corredor de ônibus Pirituba-Lapa-Centro da SPTrans, o que facilitava ainda mais o acesso ao estádio a partir do centro da cidade, que podia ser feito em quinze minutos a partir da Praça Ramos de Azevedo, mesmo em horários de maior movimento.

Ampliações e reformasEditar

 
Estádio Palestra Itália em 2000

No final da década de 1950, foi iniciada uma grande reforma, sob o comando do engenheiro Clóvis Felipe Olga, em que a arquibancada foi reconstruída e passou a ter mais do que o dobro da capacidade anterior. Além disso, o campo foi suspenso e foram construídos vestiários no subsolo. A reinauguração aconteceu em 7 de setembro de 1964, com a realização da partida entre Palmeiras e Esportiva de Guaratinguetá, pelo Campeonato Paulista, quando 31,9 mil pagantes presenciaram a vitória do time da casa por 2 a 0.

Placar eletrônicoEditar

  • 1970 — inaugurado o primeiro placar eletrônico do estádio, em parceria com a Citizen. Tratava-se, à época, de um sistema muito moderno, que permitia a sua utilização tanto em jogos diurnos como noturnos.
  • 1988 — instalação do placar eletrônico que perdurou até 2010.

Reformas entre 1998 e 2010Editar

  1. Em 1998, foi construído um novo anel ligando as arquibancadas com as numeradas descobertas, fechando assim, uma curva do estádio dando-o forma de "ferradura".
  2. A partir de 1999, foram realizadas as seguintes obras:
    • Nova fachada;
    • Novas torres de iluminação (em parceira com a Eletropaulo) com gerador para emergências;
    • Pintura e numeração das arquibancadas;
    • Reestruturação na parte destinada à torcida visitante, com novas rampas de acesso na rua Padre Antonio Tomás, reformas nos bares e nas arquibancadas;
    • Recuperação total nos camarotes, com a colocação de novas cadeiras, novos sanitários e a instalação de TV a cabo;
    • Reforma e pintura das cabines de rádio e televisão
    • Reforma e pintura dos banheiros
    • Construção de um camarote especial para o patrocinador, também com TV a cabo;
    • Instalação de catracas eletrônicas para a entrada do público nos jogos;
    • Instalação de um novo conjunto de pára-raios;
    • Novos restaurantes, lanchonetes e camarotes VIP.
    • Criação do setor VISA, para 5 mil espectadores.

Transformação em ArenaEditar

 
Canteiro de obras da transformação do Estádio Palestra Itália em Arena
 Ver artigo principal: Allianz Parque

Em 30 de junho de 2008, o Conselho Deliberativo do Palmeiras aprovou um projeto de reformas no clube, com o intuito de transformar o estádio numa arena multiuso, mais tarde ratificado pela Assembleia dos associados em 30 de agosto do mesmo ano.

O Allianz Parque tem capacidade para 45 mil lugares, todos cobertos, para as partidas de futebol. Para eventos da Fifa, a quantidade de lugares é de 47 mil (45 mil espectadores e 2 mil jornalistas). Eventos múltiplos podem receber até 55 mil espectadores. A transformação foi fruto de um acordo assinado entre o Palmeiras e a empresa WTorre Arenas, do grupo WTorre. Após a entrega da arena, a WTorre administrará o local durante trinta anos, e o Palmeiras terá participação nas receitas neste período.

O projeto ainda prevê:

  • Anfiteatro para até doze mil pessoas
  • Centro de convenções
  • Restaurantes, praça de alimentação e lanchonetes
  • Quinze elevadores e três conjuntos de escadas rolantes
  • Dois vestiários padrão FIFA
  • 160 camarotes com capacidade para 12, 17, 18 e 21 lugares localizados em diferentes zonas e níveis.
  • Estacionamento com duas mil vagas cobertas;
  • Construção de um edifício poliesportivo com três pavimentos, incluindo:
  • Campos de Futebol Society (Com pista para caminhada);
  • Seis quadras poliesportivas;
  • Seis quadras de tênis;
  • Construção de um edifício administrativo, com seis pavimentos;
  • Memorial da Sociedade Esportiva Palmeiras.

EventosEditar

Além de partidas de futebol, o Estádio Palestra Itália costumava receber importantes eventos musicais, graças à sua estratégica localização. Alguns dos shows de grande destaque no cenário musical que aconteceram no estádio foram:

  • 5 de junho de 2010: Apresentação e Gravação do Album Exaltasamba – 25 Anos Ao Vivo, do grupo Exaltasamba
  • 29 de maio de 2010: show da banda estadunidense de hard rock Aerosmith;[17]
  • 13 de março de 2010: show da banda estadunidense de hard rock Guns N' Roses;[18]
  • 29 de outubro de 2008: show do Grupo mexicano RBD
  • 5 de abril de 2008: show do roqueiro britânico Ozzy Osbourne, com abertura das bandas norte-americanas Korn e Black Label Society;[19]
  • 4 de abril de 2008: show do roqueiro britânico Rod Stewart;
  • 2 de março de 2008: apresentação da banda britânica de heavy metal Iron Maiden;
  • 21 de abril de 2007: show da banda estadunidense de rock Evanescence;
  • 22 de outubro de 2006: São Paulo Mix Festival com show das bandas brasileiras Charlie Brown Jr. e CPM 22, além das bandas estadunidenses Yellowcard e Fall Out Boy;
  • 6 de dezembro de 1997: festival comemorativo de aniversário de doze anos da rádio 89 FM, com shows da banda britânica de hard rock Whitesnake, da banda estadunidense de thrash metal Megadeth, da banda estadunidense de heavy metal progressivo Queensrÿche e da banda brasileira de rock Charlie Brown Jr.;
  • 1 e 2 de maio de 1993: shows da banda estadunidense de heavy metal Metallica;
  • 1 de agosto de 1992: apresentação da banda britânica de heavy metal Iron Maiden.
  • 23 de setembro de 1990: show do roqueiro britânico David Bowie;
  • 11 e 12 de agosto de 1990: duas apresentações e gravação do álbum As Quatro Estações ao Vivo, da banda brasileira, Legião Urbana;
  • 17, 18 e 19 de março de 1989: shows da banda norueguesa A-ha;
  • 12 de outubro de 1988: show do roqueiro norte-americano Bruce Springsteen.

EstatísticasEditar

Retrospecto geral do Palmeiras no estádioEditar

Estatística

Dados

  Jogos Disputados

1 572[20]

  Vitórias

1 064

  Empates

319

  Derrotas

189

  Gols pró

3 700

  Gols contra

1 488

  Saldo de gols

+ 2 212

Partidas importantesEditar

16 de junho de 1999
21h45
 Palmeiras 2–1  Deportivo Cali Público: 32 000
Árbitro: Ubaldo Aquino

Evair (pen)   64'
Oséas   75'
Zapata (pen)   69'
    Penalidades  
Zinho: na trave
Júnior Baiano: marcou
Roque Júnior: marcou
Rogério: marcou
Euller: marcou
4–3 Dudamel: marcou
Gaviria: marcou
Yepes: marcou
Bedoya: na trave
Zapata: pra fora
 

26 de dezembro de 1998
16h40
Palmeiras 3–1 Cruzeiro Público: 27 775
Árbitro:  Cláudio Cerdeira[21]

Cléber   8'
Oséas   52'
Paulo Nunes   85'
Fábio Júnior   3'

29 de dezembro de 1998
21h55
Palmeiras 1–0 Cruzeiro Público: 28 959
Árbitro:  Luciano Almeida[21]

Arce   62'

20 de dezembro de 1999
21h45
Palmeiras 3–3 Flamengo Público: 32 000
Árbitro:  Luciano Almeida

Arce   20'
Arce   65'
Paulo Nunes   67'
Caio   50'
Rodrigo Mendes   56'
  83'

12 de dezembro de 2000
21h45
Palmeiras 1–0 Vasco da Gama Público: 18 396
Árbitro:  Oscar Roberto Godói

Neném   21'

20 de dezembro de 2000
21h45
Palmeiras 3–4 Vasco da Gama Público: 29 993
Árbitro:  Márcio Rezende de Freitas

Arce (pen)   36'
Magrão   37'
Tuta   45'
Romário (pen)   59', (pen)   68',   90+3'
Juninho Paulista   86'

19 de junho de 1996
21h40
Palmeiras 1 - 2 Cruzeiro Público: 29 139
Árbitro:  Sidrack Marinho dos Santos

Luizão 5' Roberto Gaúcho 25'
Marcelo Ramos 83'

4 de maio de 2008
16h00
Palmeiras 5 - 0 Ponte Preta Público: 27 927 pagantes
Árbitro:  Cléber Wellington Abade

Ricardo Conceição (contra)  19'

Alex Mineiro   33'

Valdivia   72'

Alex Mineiro   74'

Alex Mineiro   83'


9 de maio de 1937
15h00
Palestra Itália 2–1 Corinthians Público: 18 000
Árbitro:  Antonio Sotero de Mendonça

Luizinho   1'

Moacir   10'

Filó   61'

  • Penúltima partida do Campeonato Paulista de 1996 (disputado em dois turnos de pontos corridos), que marcou a conquista do 21º título paulista do Palmeiras, na melhor campanha da história do futebol profissional de uma equipe paulista, com 102 gols marcados.
2 de junho de 1996
16h00
Palmeiras 2—0 Santos Público: Não disponível
Árbitro:  Oscar Ruiz

Luizão   6'

Cléber   79'


18 de agosto de 1976
16h00
Palmeiras 1–0 XV de Piracicaba Público: 40 283
Árbitro:  Romualdo Arpi Filho

Jorge Mendonça   39'

  • Partida decisiva do Campeonato Paulista de Futebol de 1933, que representou o quinto título paulista do Palestra Itália, antigo nome do Palmeiras. O jogo também fez parte da tabela do primeiro Torneio Rio-São Paulo da história, que foi vencido um mês depois também pelo Palestra Itália.
12 de novembro de 1933
15h00
Palestra Itália 1–0 São Paulo Público: 35 000
Árbitro:  Alzemiro Ballio

Avelino   71'

27 de dezembro de 2000
21h40
São Caetano 1–1 Vasco Público: 29 288
Árbitro:  Carlos Eugênio Simon

~César   14' Romário   27'

23 de julho de 2004
21h40
Santo André 2–2 Flamengo Público: 20 994
Árbitro:  Wilson de Souza de Mendonça

Osmar   51'

Romerito   59'

Roger Guerreiro   25'

Athirson   83'


  • Último jogo oficial do Palestra Itália, em 2010, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro, entre Palmeiras e Grêmio:
22 de maio de 2010
18h30
Palmeiras 4–2 Grêmio Público: 18 635
Árbitro:  Paulo Godoy Bezerra

Ewerthon   15'   29'

Maurício Ramos   60' Cleiton Xavier   70'

Jonas   31'

Hugo   49'


10 de dezembro de 1933
17h00
Palmeiras 2–1 Fluminense Público: 25 000
Árbitro:  Loris Cordovil[22]

Gabardo   15'
Dula   19'
Bermudes   94'

Fatos sobre o estádioEditar

  • "Palestra", em grego e em italiano, significa ginásio esportivo ou ginástica;
  • Em 16 de maio de 1920[23], a primeira partida como legítimo proprietário do estádio, o Palestra Itália aplicou uma goleada sobre o Mackenzie, por 7 a 0, gols de Caetano (3), Heitor (2), Fabbi e Imparato.
  • Em 15 de agosto de 1914, o Estádio Palestra Itália sediou a primeira partida internacional do Corinthians, que perdeu para o Torino (da Itália) por 3 a 0;
  • Em 8 de agosto de 1920, o estádio sediou o Palestra Itália na maior goleada de sua história: 11 a 0 contra o S.C Internacional, pelo Campeonato Paulista;
  • Em 26 de outubro de 1922, o Palmeiras venceu o Paraguai por 4 a 1, no primeiro jogo internacional do estádio;[24]
  • Em 3 de novembro de 1933, ocorreu a maior goleada contra o maior rival: Palestra Itália 8×0 Corinthians;[25]
  • Em 16 de dezembro de 1934, o Palestra Itália perdeu para a seleção brasileira por 4 a 1 (gol de Carazzo);[26]
  • Em 21 de janeiro de 1976, o Estádio Palestra Itália viu seu último clássico entre Palmeiras e Corinthians: empate por 1 a 1[25] .
  • De 1986 a 1990, um número expressivo de 68 jogos de invencibilidade foi construído no Palestra Itália, recorde no futebol brasileiro e mundial[27].
 
Torcida do Palmeiras no Estádio Palestra Itália em dezembro de 2007.

Referências

  1. «Estádio Palestra Itália». Site Oficial. Consultado em 9 de fevereiro de 2010 
  2. Data de inauguração referente apenas ao campo
  3. «Palmeiras vence o XV e é campeão de 76». São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. O Estado de S. Paulo (29 151). 30 páginas. 19 de agosto de 1976. ISSN 1516-2931. Consultado em 13 de julho de 2015 
  4. Felipe Zito, Rodrigo Faber e Tossiro Neto (27 de novembro de 2016). «Jogo do título registra o maior público da história do Palmeiras no Palestra». Globoesporte.com. Consultado em 27 de novembro de 2016 
  5. Inicialmente sob administração da Companhia Antarctica, o estádio foi vendido ao Palmeiras (na época Palestra Itália) em 1920
  6. Aquisição realizada em 1920, quando a Companhia Antarctica vendeu o campo ao Palestra Itália
  7. Até a aquisição do campo pelo Palestra Itália, o local era alugado e tinha como mandantes o próprio Palestra Itália, Germânia e América F.C. (clube extinto no início do século XX)
  8. Folha de S. Paulo, 6 de abril de 1973, página 18
  9. «Conversor de moedas brasileiras» 
  10. [Placar, coluna "Garoto do Placar", de 4 de junho de 1976]
  11. "Especial Libertadores 1999", UOL, 16/6/1999
  12. "Em 1998, Palmeiras conquistava a 1ª edição da Copa Mercosul", Placar, 29/12/2014
  13. "Em 1999, Flamengo tornava-se campeão da Copa Mercosul", Placar, 20/12/2014
  14. "Em 2000, Vasco conquistava seu único título da Copa Mercosul", Placar, 20/12/2014
  15. "Com derrota «para o Boca Juniors, Palmeiras dá 'ciao' ao Palestra Itália", Globoesporte.com, 9/7/2010» Verifique valor |url= (ajuda) 
  16. "Palmeiras «ignora crise, afunda o Grêmio e faz a festa na despedida do Palestra", UOL Esporte, 22/5/2010» 
  17. «Unidos e com trocas de elogios, Aerosmith mostra em SP que está longe dos colapsos que viveu no ano passado» (Página de Web). UOL. 30 de maio de 2010. Consultado em 30 de maio de 2010  |coautores= requer |autor= (ajuda)
  18. Notícias, G1 Música; Amauri Arrais do G1, São Paulo (14 de março de 2010). «Começa show do Guns em São Paulo» (Página de Web). G1. Consultado em 21 de março de 2010 
  19. "Ozzy «mescla carreira solo com fase do Black Sabbath", UOL/Agência Estado, 6 de abril de 2008» 
  20. "Estádio «Palestra Itália - História", Site Oficial do Palmeiras, visitado em 5 de abril de 2015» 
  21. a b Futebol 80 - Fichas técnicas do Palmeiras 1998
  22. RSSSF Brasil Fichas técnicas de partidas que decidiram o Torneio Rio-São Paulo
  23. Fonte site Palmeiras: http://www.palmeiras.com.br/historia/estadio. Pesquisado em Maio 2014
  24. «Só Palmeiras: "Curiosidades" - Escrito por Felipe Yokota em 26 de agosto de 2006,». Consultado em 15 de maio de 2008.  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  25. a b «Blog do Birner: "Curiosidades sobre Palmeiras x Corinthians", por José Renato,». Consultado em 15 de maio de 2008.  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  26. «Porconet: "Curiosidades do Verdão",». Consultado em 15 de maio de 2008.  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  27. "O recorde mundial de invencibilidade dentro do Palestra", Terra, 21/5/2010

Ligações externasEditar