Estádio Rei Pelé

Estádio Rei Pelé, popularmente conhecido como "Trapichão", é um estádio de futebol, localizado no bairro do Trapiche da Barra, na cidade de Maceió, capital do estado de Alagoas, Brasil.


Estádio Rei Pelé
Sisbrace: [1]


Nomes
Nome Estádio Rei Pelé
Apelido Trapichão
Antigos nomes Rei Pelé
Características
Local Maceió, Alagoas, Brasil
Coordenadas
Gramado Grama natural (105 x 68 m)
Capacidade 17.126 espectadores[2]
Construção
Data 1968
Inauguração
Data 25 de outubro de 1970 (53 anos)
Partida inaugural Seleção de Alagoas 0x5 Santos
Primeiro gol Douglas (Santos)
Recordes
Público recorde 45.865 pessoas
Data recorde 25 de Outubro de 1970
Partida com mais público Seleção de Alagoas 0 x 5 Santos
Outras informações
Remodelado 1992
Proprietário Governo do Estado de Alagoas
Administrador CRB
CSA

As equipes alagoanas CRB e CSA lhe utilizam habitualmente. Atualmente o estádio tem capacidade para 20.800 pessoas.[2]

É o único do Brasil com o nome do jogador Pelé, apelidado de "Rei".[3] Nas instalações do Rei Pelé estão o Museu dos Esportes Edvaldo Alves Santa Rosa, o Hall da Fama e o Memorial Rainha Marta.[4]

História

editar

O Trapichão seria chamado na época de Lamenha Filho, governador que construiu a praça esportiva, em 1970, mas o tricampeonato mundial da Seleção fez o político mudar de ideia.[3]

Foi inaugurado no dia 25 de outubro de 1970 com o jogo amistoso entre Seleção Alagoana e Santos.[4] Esse jogo contou com a presença de Pelé,[4][3] então recém tri campeão do mundo pela Seleção Brasileira no Mundial do México. O primeiro gol do Trapichão foi de autoria do santista Douglas. O jogo foi ganho pelo Santos por 5 a 0, com 2 gols de Pelé,[5] com um público de 45.865 presentes.[6]

O Rei Pelé foi um dos 12 palcos do país que receberam jogos da Taça Independência em 1972, chamada na época de “Minicopa”. Recebeu dois jogos, França 2 x 0 África e Argentina 7 x 0 Concacaf.[6]

A primeira edição oficial da história da Copa do Nordeste, em 1994, foi realizada inteiramente em Alagoas, com todos os jogos ocorrendo no Rei Pelé a partir das quartas de final. A decisão foi disputada entre CRB e Sport, com empate sem gols e título do rubro-negro pernambucano nos pênaltis.[5]

Em 2000 e 2001, junto com o Estádio Almeidão (João Pessoa-PB), sediou a Copa dos Campeões, competição nacional organizada pela CBF, sendo palco da final de partida única em 2000 (Palmeiras 2 a 1 Sport) e do segundo jogo da final de 2001 (Flamengo 2 a 3 São Paulo; Flamengo campeão pelo agregado: 7 a 6).[7]

Em 2010, Pelé colocou os pés na calçada da fama do estádio ao lado de Douglas, que fez o primeiro gol no estádio.[3]

Em 2017, a Série C do Campeonato Brasileiro, o primeiro título nacional do futebol alagoano, foi conquistada no Trapichão, com o empate sem gols entre CSA e Fortaleza. O público foi de 17.809 torcedores.[5]

Seleção Brasileira

editar

O time principal do Brasil jogou três vezes no maior estádio alagoano, com 1 vitória e 2 empates. O principal jogo foi em 2004, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2006, na 10ª rodada, um empate sem gols com a Colômbia.[5]

O estádio também recebeu dois jogos da Seleção Olímpica (2 vitórias, incluindo partida com Bebeto e Romário em 1988) e um da Seleção Feminina, vitória com Marta em campo – num 3 x 0 sobre o Chile, em 2011, com um gol da Rainha.[5]

Jogos da seleção principal

editar
  • 23 de setembro de 1981 – Brasil 6 x 0 Irlanda (36.982 pessoas, amistoso)
  • 8 de agosto de 1993 – Brasil 1 x 1 México (18.788 pessoas, amistoso)
  • 13 de outubro de 2004 – Brasil 0 x 0 Colômbia (20.000 pessoas, Eliminatórias da Copa 2006)

Rainha Marta

editar

O projeto de lei ordinária nº 03/2019, de autoria do deputado Antonio Albuquerque (PTB) propõe a alteração do nome do “Estádio Rei Pelé” para “Rainha Marta”, devido à sua representatividade para o Estado.[8]

Não houve apreciação do governador Renan Filho e o projeto está engavetado desde 2020.[3][9]

Referências

  1. «Classificação de estádios de futebol (Sisbrace)». Ministério dos Esportes. 25 de fevereiro de 2017 
  2. a b «Torcida do CSA lota Trapichão e bate recorde de público de 2017 em Alagoas». 26 de setembro de 2017. Consultado em 17 de fevereiro de 2019 
  3. a b c d e «Em AL, Pelé deixou a marca dos pés no Hall da Fama do estádio que leva seu nome». ge. Consultado em 31 de dezembro de 2022 
  4. a b c www.ebrothers.com.br, Ebrothers-. «Secretaria do Esporte e Lazer da Juventude - Estádio Rei Pelé». selaj.com.br. Consultado em 13 de novembro de 2022 
  5. a b c d e Zirpoli, Cassio (25 de outubro de 2020). «10 curiosidades sobre o Estádio Rei Pelé, a casa do futebol alagoano há 50 anos». Cassio Zirpoli. Consultado em 13 de novembro de 2022 
  6. a b «Rei Pelé, 50 anos: o projeto, a mudança de nome e as curiosidades sobre a construção do estádio». ge. Consultado em 26 de abril de 2021 
  7. Cavalcante, Mac. «Rei Pelé, 50 anos: Fla e Palmeiras conquistam a Copa do Campeões no estádio, e Zagallo brilha em casa». ge. Consultado em 28 de fevereiro de 2023 
  8. «Projeto que altera o nome do estádio Rei Pelé é discutido em plenário — Assembleia Legislativa de Alagoas». www.al.al.leg.br. Consultado em 13 de novembro de 2022 
  9. «Rei Pelé, 50 anos: projeto de mudança do nome do estádio para Rainha Marta está parado». ge. Consultado em 31 de dezembro de 2022 

Ligações externas

editar
  Este artigo sobre estádios de futebol do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.