Abrir menu principal

Estêvão, bispo do Porto e de Lisboa

Frei Estêvão, O.F.M. (? - Cuenca, 1326) foi bispo do Porto (1310-1313) e bispo de Lisboa (1313-1322).

Era frade menor; tendo ido a Avinhão, para onde se deslocara a sede do Papado, a fim de tratar de vários negócios do rei D. Dinis junto da Santa Sé, encontrou-se com o Papa Clemente V, que o fez sucessivamente bispo do Porto (1310), administrador dos bens dos Templários nos Reinos de Portugal e Algarve (1312) e, por fim, bispo de Lisboa (por bula de 8 de Outubro de 1312).

Depois disso teve certas dissensões com o monarca e com o cabido da Sé de Lisboa, o que o levou a regressar a Avinhão; em 1322, vagando o bispado de Cuenca, em Castela, foi nele investido pelo Papa João XXII. Aí viria a falecer, no ano de 1326, tendo sido, a seu pedido, sepultado no Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, para o qual houvera conseguido diversas benesses papais.

Precedido por
Fradulo (ou Trédulo)
Brasão episcopal
Bispo do Porto

1310 - 1312
Sucedido por
Fernando Ramires
Precedido por
João Martins de Soalhães
Brasão episcopal
Bispo de Lisboa

1312 - 1322
Sucedido por
Gonçalo Pereira
Precedido por
Pascoal
Brasão episcopal
Bispo de Cuenca

1322 - 1326
Sucedido por
Fernando
Ícone de esboço Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.