Estêvão da Gama (pai de Vasco da Gama)

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Estêvão da Gama.
Estêvão da Gama
Nascimento 1430
Morte 1497
Nacionalidade Reino de Portugal Português
Ocupação Navegador

Estêvão da Gama (1430-1497) foi um navegador português do século XV, pai dos exploradores Paulo e Vasco da Gama. Ocupou várias posições dentro do Reino de Portugal e serviu aos reis de seu tempo.

VidaEditar

Estêvão da Gama nasceu em 1430, filho mais velho de Vasco da Gama e irmão de outras três pessoas.[1] Muito jovem, entrou no serviço do rei Duarte I (r. 1433–1438) e, por suas capacidades e provas prestadas, foi nomeado cavaleiro do príncipe Fernando. Disfarçado de mercador, fez o reconhecimento da praça de Anafé, no atual Marrocos, e participou no cerco e destruição do local, em 1468, por Fernando. Sob Afonso V (r. 1438–1477), esteve na conquista de Tânger e nas guerras contra a Coroa de Castela e por seus serviços foi feito alcaide-mor de Sines e comendador de Cercal. Mais adiante ainda adquiriria as saboarias de Estremoz, Sousel e Fronteira, as judiarias de Santiago do Cacém e a tença anual de 7 000 reais brancos.[a][2][3] É possível que seja o comendador homônimo de Seixal.[4] Por fim, era comendador da Ordem de Santiago.[5]

Diz-se implausivelmente que foi julgado e condenado por cumplicidade com Diogo, filho de Fernando, em seu complô para apunhalar João II, que não só sobreviveu ao plano, mas apunhalou Diego em 28 de agosto de 1484. Estêvão desposou Isabel Sodré, filha de João Resende e Maria Sodré, e teve consigo os futuros navegadores Paulo e Vasco da Gama. [6] Manuel I (r. 1495–1521) o confiou com a missão de conduzir a expedição que descobriria a rota marítima à Índia em 1497, mas faleceria antes mesmo da expedição zarpar e ela foi confiada a seu filho Vasco.[7]

NotasEditar

[a] ^ Não há consenso acerca das datas que recebeu todos as suas honrarias e posições. Sua alcaidia, por exemplo, pensa-se que recebeu nos fins de 1470, talvez 1478.[8] Também não há consenso se foi alcaide do Castelo de Silves, que fontes mais antigas lhe atribuem,[9] enquanto autores mais recentes atribuem a seu sobrinho Estêvão da Gama.[10]

Referências

  1. Gama 2009, p. 6.
  2. Fonseca 1998, p. 19.
  3. Santos 1999, p. 197.
  4. Rebelo 1959, p. 20.
  5. Bouchon 1999, p. 34.
  6. Santos 1999, p. 197-198.
  7. Kelly 2009, p. 28.
  8. Marques 1997, p. 130.
  9. Mendes 1886, p. 159.
  10. Fonseca 1998, p. 17.

BibliografiaEditar

  • Bouchon, Geneviève (1999). Vasco da Gama. Biografia. Traduzido por Silva, Ana Santos; Pinhão, Maria da Graça; Torres, Manuela; Gil, A. Nogueira; Nougué, Carlos. Rio de Janeiro e São Paulo: Record 
  • Gama, Vasco da (2009). Em nome de Deus: The Journal of the Frist Voyage of Vasco da Gama to India, 1497-1499. Traduzido por Ames, Glenn J. Leida e Boston: Brill 
  • Fonseca, Luís Adão de (1998). Vasco da Gama: o homem, a viagem, a época. Lisboa: Comissariado da Exposição Mundial de Lisboa de 1998 
  • Kelly, Katy (2009). That's Not in My Geography Book: A Compilation of Little-Known Facts. Lanham, Nova Iorque, Boulder, Toronto e Plemua: Taylor Trade Publications 
  • Marques, Alfredo Pinheiro (1997). Vida e obra do "Príncipe Perfeito" Dom João II. Lisboa: Centro de Estudos do Mar 
  • Mendes, António Lopes (1886). A India Portugueza. breve descripção das possessões portuguezas na Asia. Lisboa: Imprensa Nacional 
  • Rebelo, Manuel de Oliveira (1959). Retalhos da minha terra: monografia do Concelho do Seixal. Seixal 
  • Santos, João Marinho dos; Silva, José Manuel Azevedo e (1999). Vasco da Gama: a honra, o proveito, a fama e a glória. Vila Nova de Gaia: Editora Ausência