Abrir menu principal

Estação Brás

estação de trem e metrô na cidade de São Paulo
Metrô-SP icon.svg CPTM icon.svg Brás
Prédio da estação, parte da CPTM.
Uso atual Estação de Metrô Estação de metrô
Bahn aus Zusatzzeichen 1024-15.svg Estação de trens metropolitanos
Proprietário Governo do Estado de São Paulo
Administração Metrô-SP icon.svg Metrô de São Paulo (1979–atualmente)
RFFSA (1969–1984)
CBTU Logo2.svg CBTU (1984–1994)
CPTM icon.svg CPTM (1994–atualmente)
Linhas 3red.png Vermelha
7roxo.png Rubi
10turquoise.png Turquesa
10turquoise.png Expresso Linha 10+
11orange.png Coral
12blue.png Safira
13green.png Jade–Connect
Sigla BAS
Serviços Acesso à deficiente físico Escada rolante Elevador Bicicletário Restaurante Estacionamento
Informações históricas
Nomes antigos Braz
Estação do Norte
Roosevelt
Inauguração 16 de fevereiro de 1867 (152 anos)
(estação ferroviária)
10 de março de 1979 (40 anos)
(Metrô)
3 de outubro de 2018 (1 anos)
(Linha 13–Jade - Connect)
Localização
Localização Gnome-globe.png Estação Brás
Endereço Praça Agente Cícero, s/n.º, Brás
Município São Paulo
País Brasil
Próxima estação
Sentido
Palmeiras–Barra Funda
3red.png Sentido
Corinthians–Itaquera
Pedro II Bresser–Mooca
Brás
Sentido
Francisco Morato/Jundiaí
7roxo.png Sentido Brás
Luz -
Brás
Sentido Brás 10turquoise.png Sentido Rio Grande da Serra
- Juventus–Mooca
Brás
Sentido Luz 10turquoise.png Sentido Pref. Celso Daniel–Santo André
Luz Tamanduateí
Brás
Sentido Luz 11orange.png Sentido Guaianases/Estudantes
Luz Tatuapé
Brás
Sentido Brás 12blue.png Sentido Calmon Viana
- Tatuapé
Brás
Sentido Brás 13green.png Sentido
Aeroporto–Guarulhos
- Tatuapé
Brás

A Estação Integrada do Brás ou Estação Brás, conhecida originalmente também como Estação Roosevelt ou Estação do Norte, é um empreendimento ferroviário de integração entre os trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e do Metrô de São Paulo, localizada no bairro do Brás, região central do município de São Paulo.

A estação está em atividade desde 1867, possui plataformas laterais e central, além de contar com acesso adaptado para pessoas com deficiência. Um ponto de destaque é sua estrutura, toda em concreto aparente e cobertura metálica.[1] Com capacidade para atender milhares de pessoas diariamente, os trens funcionam de domingo a sexta-feira das 4 horas à meia-noite e aos sábados das 4 horas à 1 hora de domingo. Já o metrô funciona diariamente das 4h40 à 0h33, exceto aos sábados, quando a operação se encerra à 1 hora de domingo.[2]

HistóriaEditar

 
Antiga Estação Brás da São Paulo Railway.

Na metade do século XIX, o cultivo de café no estado de São Paulo impulsionou o crescimento do comércio na capital paulista, a partir de então a Industrialização e a urbanização do município de São Paulo passou a se intensificar rapidamente. Em 1859, o empresário e investidor Irineu Evangelista de Souza (Barão de Mauá), juntou-se a investidores ingleses e propôs ao governo imperial uma estrada de ferro que interligasse Jundiaí ao Porto de Santos, passando pela cidade de São Paulo.

Assim, em 1867 foi inaugurada a nova estrada de ferro denominada São Paulo Railway Company (SPR), a primeira construída em solo paulista. Juntamente com a ferrovia, foi inaugurada no dia 16 de fevereiro do mesmo ano, a estação ferroviária Braz na região central da capital paulista, que durante muitas décadas transportou café, mercadorias e passageiros, entre o interior, a capital e o porto santista.

Por localizar-se em terrenos baratos na região do Brás e da Mooca, diversos trabalhadores se instalaram ao redor do local. Além disso, muitas fábricas foram montadas as margens dos trilhos, já que assim estariam envoltas de transporte[3]. Na época, a construção foi vista como uma mudança inoportuna, pois para ela acontecer, muitas casas e cortiços tiveram que ser desapropriados, acarretando dificuldades para a população que residia ali[3].

Fazendeiros da região do Vale do Paraíba, decidiram construir uma ferrovia que levasse a produção de café desta região, até os trilhos da SPR na cidade de São Paulo, então fundaram a Estrada de Ferro do Norte (EFN). Em 6 de novembro de 1875, inauguraram como ponto inicial da ferrovia a Estação do Norte, construída exatamente ao lado da Estação Braz, para possibilitar o transbordo do café entre as composições e poder seguir para o porto de Santos. Em 1896, a EFN foi incorporada pela Estrada de Ferro D. Pedro II (antecessora da Estrada de Ferro Central do Brasil), com o propósito de formar o chamado de Ramal de São Paulo, que ligaria São Paulo diretamente ao Rio de Janeiro[4].

 
Estação do Norte da antiga Estrada de Ferro do Norte, em 1914.

Nos anos 1940, passou por uma reforma geral que mudou toda a estrutura do prédio, dando-lhe estilo art decó. Em 15 de setembro de 1945, por meio de decreto-lei presidencial, a Estação do Norte teve o seu nome alterado para Roosevelt, em homenagem ao presidente americano Franklin Roosevelt, morto naquele ano.

Em 1946, o governo assumiu as linhas da São Paulo Railway Company e seu nome foi alterado para Estrada de Ferro Santos-Jundiaí (EFSJ). No ano de 1969, o governo federal unificou a administração da EFSJ e da Estrada de Ferro Central do Brasil sob a Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima (RFFSA).

Em 1979, foi inaugurada a Estação Brás (com "s") da Linha 3–Vermelha do Metrô de São Paulo, junto às duas, e aos poucos as três estações foram se integrando e se fundindo em um padrão, formando a Estação Integrada Brás. Deixou de haver separação entre as estações, que passaram a utilizar passarelas para cruzar as linhas, podendo acessá-las seja pela antiga Estação Roosevelt no largo da Concórdia, pela antiga Estação Braz ou pela Estação Brás do Metrô.

Em 1994, a CPTM assumiu a administração dos trens de subúrbio e reformou a estação. Foi construída uma cobertura que abrange as plataformas da ex-Central e ex-Santos-Jundiaí e, após o aperfeiçoamento do local, o nome Roosevelt deixou oficialmente de ser usado, e a estação passou a ser chamada de Brás.[5]

Linhas ferroviáriasEditar

Atualmente, a Estação Brás atende às linhas Linha 7–Rubi, 10–Turquesa, 11–Coral e 12–Safira da CPTM, além da Linha 3–Vermelha do Metrô.[6] Em outubro de 2018, a estação passou a fazer parte do Serviço Connect da Linha 13–Jade[7], e em abril de 2019, do Serviço Expresso Linha 10+.[8]

Linhas ativasEditar

Viagens a curta distância, operadas pela CPTM e pelo Metrô, estão ativas na estação.

Linha Terminais Estações
3
Vermelha
Palmeiras–Barra FundaCorinthians–Itaquera 18
7
Rubi
Brás ↔ Jundiaí 19
10
Turquesa
Brás ↔ Rio Grande da Serra 13
10
Turquesa
(Expresso Linha 10+)
LuzPrefeito Celso Daniel–Santo André 5
11
Coral
LuzEstudantes 16
12
Safira
Brás ↔ Calmon Viana 11
13
Jade
(Connect)
Brás ↔ Aeroporto–Guarulhos 5

Diagrama das estaçõesEditar

Diagrama da Estação Brás (CPTM)
Sentido Francisco Morato/Jundiaí/Luz
1

a

b
2

c

d
3

e

f
4

g

h
5
Sentido Rio Grande da Serra/Estudantes/Calmon Viana/Aeroporto-Guarulhos

Legenda

                     Linha férrea

  Plataforma


Linhas

Plataforma 1: Linha 10–Turquesa da CPTM
Plataforma 2b: Linha 7–Rubi da CPTM (dias úteis)
Plataformas 2c e 3d: Linha 11–Coral da CPTM
Plataforma 3e: Não utilizada
Plataformas 4f e 4g: Linha 12–Safira da CPTM
Plataforma 5: Linha 13–Jade (Connect) da CPTM

Via a: Sentido Luz/Rio Grande da Serra (Embarque e desembarque)
Via b: Sentido Francisco Morato/Jundiaí (Embarque e desembarque)
Via c: Sentido Luz
Via d: Sentido Estudantes
Via e: Sem uso
Via f: Sentido Calmon Viana (Embarque e desembarque)
Via g: Sentido Calmon Viana (Embarque e desembarque)
Via h: Sentido Aeroporto-Guarulhos (Embarque e desembarque)

Diagrama da Estação Brás (Metrô)
Sentido Palmeiras-Barra Funda
1

a
2

b
3
Sentido Corinthians-Itaquera

Legenda

                     Linha férrea

  Plataforma


Linhas

Plataformas 1, 2 e 3: Linha 3-Vermelha do Metrô de São Paulo

Via a: Sentido Corinthians-Itaquera
Via b: Sentido Palmeiras-Barra Funda

Linhas desativadasEditar

A Estação Roosevelt era a central da antiga ferrovia Central do Brasil. Com a liquidação da Rede Ferroviária Federal, em 1994, a linha de longa distância foi desativada. Hoje, são operados apenas os trechos metropolitanos em São Paulo, administrado pela CPTM, e no Rio de Janeiro, administrado pela SuperVia.

Linha Terminais Estações Administração
Central do Brasil Roosevelt (SP) ↔ Barra do Piraí (RJ) n/d E.F. Norte (1875–1889), Central do Brasil (1889–1975), RFFSA (1975–1994) e CPTM (1994–atual)

Companhia Paulista de Trens MetropolitanosEditar

TabelaEditar

Sigla Estação Inauguração Integração Plataformas Posição Notas
BAS Brás 16 de fevereiro de 1867 (SPR); 6 de novembro de 1875 (EF do Norte) Bilhete Único da SPTrans e Linha 3–Vermelha do Metrô Centrais e laterais Superfície A Estação Brás é composta de três estações que foram unificadas: estações da EF do Norte, SPR e do Metrô

Metrô de São PauloEditar

A Estação Brás atende à Linha 3–Vermelha do Metrô de São Paulo. É uma estação elevada com plataformas laterais e central, estrutura em concreto aparente e cobertura espacial metálica treliçada. Possui acesso adaptado para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. Conta com uma área construída de 23 350 metros quadrados e tem uma capacidade de sessenta mil passageiros por hora nos horários de pico.[9]

TabelaEditar

Sigla Estação Inauguração Capacidade Integração Plataformas Posição Notas
BAS Brás 10 de março de 1979 60 mil passageiros hora/pico Linhas Linha 7–Rubi, 10–Turquesa, 11–Coral e 12–Safira da CPTM, Bilhete Único da SPTrans Laterais e central Elevada Estação com estrutura de concreto pré-moldado.

Referências

Ligações externasEditar