Estação Ferroviária de Algueirão - Mem Martins

estação ferroviária em Portugal

A Estação Ferroviária de Algueirão - Mem Martins, originalmente denominada de Algueirão,[3] é uma interface de caminhos de ferro da Linha de Sintra, que serve as localidades de Algueirão e Mem Martins, no concelho de Sintra, em Portugal. É servida pelos comboios da rede de comboios suburbanos de Lisboa.

Algueirão - Mem Martins
Comboio rebocado por locomotiva a vapor na Estação Ferroviária de Algueirão - Mem Martins, em 1953
Identificação:[1] 61069 AMM (Al-M.Martins)
Denominação: Apeadeiro de Algueirão - Mem Martins
Classificação: A (apeadeiro)[2]
Coordenadas:
38° 47′ 51,44″ N, 9° 20′ 29,17″ O
Concelho: bandeiraSintra
Linha(s): Linha de Sintra (PK 23,100)
Coroa: 3
Serviços:
Estação anterior Comboios de Portugal Comboios de Portugal Estação seguinte
Portela de Sintra
Sintra
  CP Lisboa
Linha de Sintra
  Mercês
Rossio
    Mercês
Oriente
Alverca

Conexões: 437 446 447 455 456 458 460
Serviço de táxis
Equipamentos: Bilheteira e/ou máquina de venda de bilhetes Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Caixas Multibanco Sala de Espera Telefones públicos Parque de estacionamento
Website:
Letras em estilo art déco na fachada da estação

DescriçãoEditar

LocalizaçãoEditar

Esta interface situa-se junto ao Largo 25 de Abril e à Rua da Estação, na localidade de Mem Martins.[4]

HistóriaEditar

Esta estação situa-se no troço entre Alcântara-Terra e Sintra, que entrou à exploração no dia 2 de Abril de 1887.[5]

 
Passagem de nível contígua à estação, eliminada na década de 1960

Século XXEditar

Na construção do edifício de passageiros, procurou-se usar um design que aliasse os estilos clássico e moderno.[6]

Em 1934, o Apeadeiro de Algueirão ficou em 4.º lugar numa iniciativa de ajardinamento da Linha de Sintra.[7]

Em abil de 1965 ocorreu um acidente nesta estação, envolvendo três composições e causando 22 vítimas mortais.

Em 1996, estava prevista a modernização da estação de Algueirão para 2000-2001, no âmbito do projecto de modernização da Linha de Sintra.[8]

Em 7 de Dezembro de 2000, caiu uma placa sobre uma catenária na estação de Algueirão, afectando os serviços na Linha de Sintra; este acidente, que ocorreu por volta das 08:40, foi provocado por uma vaga de mau tempo que atingiu o território nacional nessa semana.[9]

CP-USGL + CP-Reg + Soflusa + Fertagus
 
             
 
(n) Azambuja 
               
 Praias do Sado-A (u)
(n) Espadanal da Azambuja 
               
 Praça do Quebedo (u)
(n) Vila Nova da Rainha 
             
 Setúbal (u)
**(n) Carregado 
     
 
 
     
 Palmela (u)
(n) Castanheira do Ribatejo 
             
 Venda do Alcaide (u)
(n) Vila Franca de Xira 
       
 
 
 Pinhal Novo (u)(a)
(n) Alhandra 
             
 Penteado (a)
(n) Alverca   Moita (a)
(n) Póvoa   Alhos Vedros (a)
(n) Santa Iria   Baixa da Banheira (a)
(n) Bobadela   Lavradio (a)
(n) Sacavém   Barreiro-A (a)
(n) Moscavide   Barreiro (a)
(n) Oriente   (Soflusa)
(n)(z) Braço de Prata 
         
 
 
 Terreiro do Paço (a)
 
 
 
 
 
 
 
 
 Penalva (u)
(n)(ẍ) Santa Apolónia 
 
 
 
 
 
       
 Coina (u)
(z) Marvila 
 
         
 Fogueteiro (u)
(z) Roma-Areeiro 
           
 Foros de Amora (u)
(z) Entrecampos 
           
 Corroios (u)
(z)(7) Sete Rios 
           
 Pragal (u)
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Campolide (z)(s)(u)*
(s) Benfica   Rossio (s)
(s) Santa Cruz-Damaia   Cais do Sodré (c)
(s) Reboleira   Santos (c)
(z) Alcântara-Terra 
 
 
 
 
   
 Alcântara-Mar (c)
(s) Amadora   Belém (c)
(s) Queluz-Belas   Algés (c)
(s) Monte Abraão   Cruz Quebrada (c)
(s) Massamá-Barcarena   Caxias (c)
(s)(o) Agualva-Cacém   Paço de Arcos (c)
 
 
 
         
 Santo Amaro (c)
(o) Mira Sintra-Meleças   Rio de Mouro (s)
(s) Mercês   Oeiras (c)
(s) Algueirão - Mem Martins   Carcavelos (c)
(s) Portela de Sintra   Parede (c)
(s) Sintra   São Pedro Estoril (c)
(o) Telhal 
           
 São João Estoril (c)
(o) Sabugo 
           
 Estoril (c)
(o) Pedra Furada 
           
 Monte Estoril (c)
(o) Mafra 
           
 Cascais (c)
(o) Malveira 
   
 
   
 Jerumelo (o)**

2015-2019 []

Linhas: a L.ª Alentejoc L.ª Cascaiss L.ª Sintra C.ª X.
n L.ª Norteo L.ª Oestez L.ª Cinturau L.ª Sul7 C.ª 7 R.
(*) vd. Campolide-A   (**)   continua além z. tarif. Lisboa

(***) Na Linha do Norte (n): há diariamente dois comboios regionais nocturnos que param excepcionalmente em todas as estações e apeadeiros.
Fonte: Página oficial, 2020.06

Século XXIEditar

Em Outubro de 2006, a Junta de Freguesia de Algueirão - Mem Martins enviou uma carta ao Ministério das Obras Públicas, onde protestou contra o mau estado em que se encontrava esta estação, relatando vários problemas, como a insegurança que se fazia sentir, o reduzido tamanho e número dos abrigos, e a falta de iluminação nos acessos.[10] Em Fevereiro de 2009, a CDU defendeu a remodelação da estação, e a construção de um parque de estacionamento.[11]

Em Março de 2011, estavam a decorrer obras no Largo 25 de Abril, prevendo-se que seria introduzido um novo sistema de controlo de acessos à estação.[12] Nesse ano, a REFER Património realizou obras de remodelação na estação de Algueirão - Mem Martins.[13]

Ver tambémEditar

Referências

  1. (I.E.T. 50/56) 56.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50 : Rede Ferroviária Nacional. IMTT, 2011.10.20
  2. Instrução de exploração técnica nº 2 : Índice dos textos regulamentares em vigor. IMTT, 2012.11.06
  3. Ficheiro:Anuncio CRCFP Tarifa Especial 2 Lisboa Sintra - GazetaCF 359 1902.jpg
  4. «Algueirão». Comboios de Portugal. Consultado em 16 de Março de 2015 
  5. TORRES, Carlos Manitto (16 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1682). p. 61-64. Consultado em 16 de Março de 2015 
  6. NUNES, José (16 de Junho de 1949). «A Via e Obras nos Caminhos de Ferro de Portugal» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 62 (1476). p. 418-422. Consultado em 23 de Setembro de 2014 
  7. «O Ajardinamento da Linha de Sintra» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 46 (1116). 16 de Junho de 1934. p. 308-309. Consultado em 12 de Julho de 2010 
  8. MARTINS et al, 1996:216
  9. LOPES, Maria (8 de Dezembro de 2000). «Chuva, vento e muitos sustos». Público. 11 (3918). Lisboa: Público, Comunicação Social, S. A. p. 20-21 
  10. ALVES, Sandra (16 de Outubro de 2006). «Estação de Algueirão espera obras há dez anos». Jornal de Notícias. Consultado em 16 de Março de 2015 
  11. «Eurodeputado da CDU Pedro Guerreiro na Agualva-Cacém». Organização Regional de Lisboa do Partido Comunista Português. 9 de Fevereiro de 2009. Consultado em 16 de Março de 2015 
  12. «Reinício das obras no largo da Estação de Algueirão-Mem Martins fecha trânsito automóvel». Jornal de Sintra. 13 de Março de 2011. Consultado em 16 de Março de 2015 
  13. «Gestão Imobiliária e de Espaços Comerciais». Relatório e Contas Consolidado Grupo REFER 2011. Lisboa: Rede Ferroviária Nacional. 31 de maio de 2012. p. 20-24. Consultado em 16 de Março de 2015 

BibliografiaEditar

  • MARTINS, João; BRION, Madalena; SOUSA, Miguel de; et al. (1996). O Caminho de Ferro Revisitado. O Caminho de Ferro em Portugal de 1856 a 1996. Lisboa: Caminhos de Ferro Portugueses. 446 páginas 
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Estação Ferroviária de Algueirão - Mem Martins

Ligações externasEditar