Estação Ferroviária de Fontela

estação ferroviária em Portugal

A Estação Ferroviária de Fontela é uma interface da Linha do Oeste, que serve a localidade de Fontela, no concelho de Figueira da Foz, em Portugal.

Fontela
Identificação:[1] 64089 FOA (Fontela)
Denominação: Estação de Fontela
Administração: Infraestruturas de Portugal (centro)[2]:3.3.3.2
Classificação: E (estação)[3]
Tipologia: D [2]5.3.1.1
Linha(s): Linha do Oeste (PK 212,094)
Altitude: 5 m (a.n.m)
Coordenadas: 40°8′30.97″N × 8°48′49.69″W

(≍+40.14194;−8.8138)

(mais mapas: 40° 08′ 30,97″ N, 8° 48′ 49,69″ O)
Concelho: bandeiraFigueira da Foz
Serviços: UC R
Equipamentos: Sala de espera Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Lavabos
Endereço: Rua da Vidreira, s/n
Vila Verde
PT-3090-653 Figueira da Foz
Inauguração: 5 de setembro de 1926 (há 95 anos)
Website:
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre estação na Linha do Oeste; dois apeadeiros do mesmo nome, em locais próximos, constam também desta linha. Se procura o antigo apeadeiro, veja Apeadeiro de Fontela. Se procura o atual apeadeiro, veja Apeadeiro de Fontela-A.
Alavancas de A.M.V.s na Estação de Fontela.

CaracterizaçãoEditar

Aspetos da estação de Fontela, em 2007.

Localização e acessosEditar

Tem acesso pela Rua da Vidreira, junto à localidade de Vila Verde.[4]

Caracterização físicaEditar

Em Janeiro de 2011, apresentava duas vias de circulação, ambas com 270 m de comprimento; as plataformas tinham 193 e 160 m de extensão, e 35 e 85 cm de altura.[5] O edifício de passageiros situa-se do lado nordeste da via (lado direito do sentido ascendente, a Figueira da Foz).[6][7]

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: Linha do Oeste § História

AntecedentesEditar

Esta interface situa-se no troço entre as estações de Leiria e Figueira da Foz, que abriu à exploração em 17 de Julho de 1888, pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses.[8]

 
Aviso de 1926, relativo à abertura da estação da Fontela.

Abertura ao serviçoEditar

No entanto, não fazia parte originalmente deste troço, tendo entrado ao serviço apenas em 5 de Setembro de 1926, substituindo os Apeadeiros de Fontela e Santo Aleixo, que foram encerrados.[9] A nova estação ficou desde logo preparada para o transporte de passageiros, animais e veículos, nos regimes de Grande e Pequena Velocidades.[9]

Expansão da estaçãoEditar

Um diploma do Ministério das Comunicações, publicado no Diário do Governo n.º 99, II Série, de 28 de Abril de 1955, aprovou o processo de expropriação de uma parcela de terreno, com a área de 198,60 m², situada entre os pontos quilométricos 211+862 e 211+928,20 da Linha do Oeste, do lado direito, e que se destinava às obras de expansão da estação de Fontela.[10]

Comboios em Coimbra
(Serviços ferroviários pesados suburbanos e
regionais de passageiros, na região de Coimbra)

      em operação •   extinto em 2010
  ext. anunc. 2020 •     extinto em 2009


 
   
 
(ã) Lobazes 
   
 Moinhos (ã)
(ã) Miranda do Corvo 
   
 Trémoa (ã)
(ã) Padrão 
   
 Vale de Açor (ã)
(ã) Meiral 
   
 Ceira (ã)
(ã) Lousã-A 
   
 Conraria (ã)
(ã) Lousã 
   
 Carvalhosas (ã)
(ã) Prilhão-Casais 
   
 S. José (Calhabé) (ã)
(ã) Serpins 
 
 
 Coimbra-Parque (ã)
(ã) Coimbra 
 
 
 
 
 
 
       
 
 
 
 
 
   
 
 
 
(ã)(n) Coimbra-B   
(n) Souselas 
       
 
 
 
(f)(n) Pampilhosa 
   
 Bencanta (n)
(f) Mala 
   
 Espadaneira (n)
(f) Silvã-Feiteira 
   
 Casais (n)
(f) Enxofães 
   
 Taveiro (n)
(f) Murtede 
   
 V. Pouca Campo (n)
(f) Cordinhã 
   
 Amial (n)
(f) Cantanhede 
   
 Pereira (n)
(f) Limede-Cadima 
   
 Formoselha
(f) Casal 
   
 Alfarelos (a)(n)
(f) Arazede 
   
 Montemor (a)
(f) Bebedouro 
   
 Marujal (a)
(f) Liceia 
   
 Verride (a)
(f) Santana-Ferreira 
   
 Reveles (a)
(f) Costeira 
   
 Bif. de Lares (a)(o)
(f) Alhadas 
   
 Lares (o)
(f) Carvalhal 
   
 Fontela (o)
(f) Maiorca 
   
 Fontela-A (o)
 
   
 Figueira da Foz (f)(o)

Ver tambémEditar

Referências

  1. (I.E.T. 50/56) 56.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50 : Rede Ferroviária Nacional. IMTT, 2011.10.20
  2. a b Diretório da Rede 2021. IP: 2019.12.09
  3. Instrução de exploração técnica nº 2 : Índice dos textos regulamentares em vigor. IMTT, 2012.11.06
  4. «Fontela - Linha do Oeste». Infraestruturas de Portugal. Consultado em 19 de Fevereiro de 2017 
  5. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2012. Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. p. 71-85 
  6. (anónimo): Mapa 20 : Diagrama das Linhas Férreas Portuguesas com as estações (Edição de 1985), CP: Departamento de Transportes: Serviço de Estudos: Sala de Desenho / Fergráfica — Artes Gráficas L.da: Lisboa, 1985
  7. Diagrama das Linhas Férreas Portuguesas com as estações (Edição de 1988), C.P.: Direcção de Transportes: Serviço de Regulamentação e Segurança, 1988
  8. TORRES, Carlos Manitto (16 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1682). p. 61-64. Consultado em 26 de Junho de 2014 
  9. a b «Viagens e Transportes» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 39 (929). 1 de Setembro de 1929. p. 268. Consultado em 26 de Junho de 2014 
  10. «Parte Oficial» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 68 (1620). 16 de Junho de 1955. p. 199. Consultado em 19 de Fevereiro de 2017 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.