Estação Ferroviária de Freixo de Espada à Cinta

estação ferroviária no noroeste de Portugal

A Estação Ferroviária de Freixo de Espada à Cinta foi uma estação da Linha do Sabor, que servia nominalmente a vila de Freixo de Espada à Cinta (situando-se a 19 km desta)[1], no distrito de Bragança, em Portugal.

Freixo de Espada à Cinta
Estação Ferroviária de Freixo de Espada à Cinta
Estação de Freixo de Espada à Cinta em 2023
Linha(s): Linha do Sabor (PK 42,327)
Altitude: 620 m (a.n.m)
Coordenadas: 41°10′47.52″N × 6°47′57.12″W

(=+41.17987;−6.7992)

Mapa

(mais mapas: 41° 10′ 47,52″ N, 6° 47′ 57,12″ O; IGeoE)
Concelho: border link=Freixo de Espada à CintaFreixo de Espada-à-Cinta
Inauguração: 6 de julho de 1927 (há 96 anos)
Encerramento: 1988 (há 35 anos)
 Nota: Para outras interfaces ferroviárias com nomes semelhantes ou relacionados, veja Apeadeiro de Freixo ou Apeadeiro de Freixo de Numão.

História editar

 Ver artigo principal: Linha do Sabor § História

Construção e aberta ao serviço editar

Em Julho de 1926, foi noticiado que iriam recomeçar as obras na Linha do Sabor no troço além de Carviçais, após um longo período de interrupção; nesta altura, já várias estações estavam concluídas há vários anos, incluindo a de Freixo de Espada à Cinta;[2] o edifício de passageiros situava-se do lado sudeste da via.[3] O troço entre Carviçais e Lagoaça abriu à exploração em 6 de Julho de 1927.[4]

Ligações rodoviárias editar

Entre 1931 e 1935, a Junta Autónoma das Estradas ligou esta estação à vila de Freixo de Espada à Cinta[5] (atual EN220) encurtando a distância por estrada para 19 km (desnível acumulado de +334−475 m).[1]

Encerramento editar

 
Interior da Estação

A linha foi encerrada em 1988.[6]

Ver também editar

Referências

  1. a b https://www.openstreetmap.org/directions?engine=graphhopper_car&route=41.1835%2C-6.8413%3B41.0905%2C-6.8084#map=13/41.1377/-6.8161&layers=Y
  2. «Linhas Portuguesas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 39 (925). 1 de Julho de 1926. p. 208. Consultado em 10 de Agosto de 2014 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  3. (anónimo): Mapa 20 : Diagrama das Linhas Férreas Portuguesas com as estações (Edição de 1985), CP: Departamento de Transportes: Serviço de Estudos: Sala de Desenho / Fergráfica — Artes Gráficas L.da: Lisboa, 1985
  4. TORRES, Carlos Manitto (16 de Fevereiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 70 (1684). p. 91-95. Consultado em 10 de Agosto de 2014 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  5. «Publicações recebidas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Via 49 (1177). 1 de Janeiro de 1937. p. 21. Consultado em 10 de Agosto de 2014 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  6. REIS et al, 2006:150

Bibliografia editar

  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 

Leitura recomendada editar

  • TABORDA, Joaquim Augusto Ramos (2004). Freixo de Espada à Cinta: monografia. Lisboa: Negócios. 74 páginas. ISBN 972-99392-0-9 

Ligações externas editar

  Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.