Abrir menu principal

Estação Ferroviária de Santo Tirso

estação ferroviária em Portugal
Santo Tirso IPcomboio2.jpg
IPestacao.jpg
Linha(s) Linha de Guimarães (PK 30,400)
Coordenadas 41° 21′ 02,43″ N, 8° 28′ 23,02″ O
Concelho Santo Tirso
Serviços Ferroviários Logo CP 2.svgBSicon LSTR yellow.svgUBSicon LSTR green.svgICBSicon LSTR blue.svgAP
Horários em tempo real
Serviços Ligação a autocarros Serviço de táxis Bilheteiras e/ou máquinas de venda de bilhetes
Sala de espera Restaurante Telefones públicos
Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Parque de estacionamento Lavabos adaptados Lavabos Bar ou cafetaria
NYCS-bull-trans-Z-Std.svgSTR1


Logos IP.png
BSicon CONTfa grey.svg
BSicon BHF grey.svgCaniços (Sentido Guimarães)
BSicon BHF grey.svgSanto Tirso
BSicon KBHFe grey.svgLousado (Sentido Lousado)


A Estação Ferroviária de Santo Tirso, originalmente denominada de Santo Thyrso, é uma interface da Linha de Guimarães, que serve a localidade de Santo Tirso, no Distrito do Porto, em Portugal.

Índice

CaracterizaçãoEditar

Localização e acessosEditar

Situa-se junto a Santo Tirso, tendo acesso pela Rua Dr. Oliveira Salazar.[1]

Descrição físicaEditar

Em Janeiro de 2011, apresentava duas vias de circulação, ambas com 277 m de comprimento; as respectivas plataformas tinham ambas 150 m de extensão, e 90 cm de altura.[2]

HistóriaEditar

 
Antiga estação de Santo Tirso. Ainda apresentava a denominação original, "Santo Thyrso".

InauguraçãoEditar

A ligação entre as Estações de Trofa e Vizela, no qual esta interface se encontra, abriu ao serviço em 31 de Dezembro de 1883, pela Companhia do Caminho de Ferro de Guimarães.[3][4][5]

Ligação prevista a FamalicãoEditar

Pelo Decreto 13.829, de 17 de Junho de 1927, foi ordenada a realização de uma revisão geral ao plano da rede ferroviária, tendo a comissão técnica responsável pela zona a Norte do Rio Douro proposto a construção de vários lanços, de forma a unir as várias linhas de via estreita nesta região, que se encontravam isoladas uma das outras.[6] Assim, um dos lanços apresentados ligaria Famalicão, então a estação terminal da Linha do Porto à Póvoa e Famalicão, a Santo Tirso, interligando desta forma as duas linhas; por seu turno, da Estação de Caniços sairia a Linha do Ave, unindo-se à Linha do Tâmega, então em construção, em Arco de Baúlhe.[6] O troço de Famalicão a Santo Tirso deveria passar pelas Caldas da Saúde, prevendo-se que teria cerca de 12 Km de comprimento, e que seria de fácil construção.[6]

Ver tambémEditar

Unidade de Suburbanos do Grande Porto

(Serviços ferroviários suburbanos de passageiros no Grande Porto)
Serviços:   Aveiro  Braga
  Marco de Canaveses  Guimarães


 
         
 Marco de Canaveses (d)
 
         
 Livração (d)
(g) Guimarães 
         
 Recesinhos (d)
(g) Covas 
         
 Vila Meã (d)
(g) Nespereira 
         
 Oliveira (d)
(g) Vizela 
         
 Caíde (d)
(b) Braga 
         
 Pereirinhas (g)
(b) Ferreiros 
         
 Meinedo (d)
(b) Mazagão 
         
 Cuca (g)
(b) Aveleda 
         
 Bustelo (d)
(b) Tadim 
         
 Lordelo (g)
(b) Ruilhe 
         
 Penafiel (d)
(b) Arentim 
         
 Giesteira (g)
(b) Couto de Cambeses 
         
 Paredes (d)
(m)(b) Nine 
         
 Vila das Aves (g)
(m) Louro 
         
 Oleiros (d)
(m) Mouquim 
         
 Caniços (g)
(m) Famalicão 
         
 Irivo (d)
(m) Barrimau 
         
 Santo Tirso (g)
(m) Esmeriz 
         
 Cête (d)
(m)(g) Lousado 
         
 Parada (d)
(m) Trofa 
         
 Recarei-Sobreira (d)
(m) Portela 
         
 Trancoso (d)
(m) São Romão 
         
 Terronhas (d)
(m) São Frutuoso 
         
 S. Martinho do Campo (d)
(m) Leandro 
         
 Valongo (d)
(m) Travagem 
         
 Suzão (d)
(m)(d) Ermesinde 
         
 Cabeda (d)
(m) Ág. Santas / Palm.ª 
         
 
(m) Rio Tinto 
         
 
(m) Contumil 
         
 General Torres (n)
(n)(m) Porto (Campanhã) 
         
 Vila Nova de Gaia (n)
(m) Porto (São Bento) 
         
 Coimbrões (n)
(n) Aveiro 
         
 Madalena (n)
(n) Cacia 
         
 Valadares (n)
(n) Canelas 
         
 Francelos (n)
(n) Salreu 
         
 Miramar (n)
(n) Estarreja 
         
 Aguda (n)
(n) Avanca 
         
 Granja (n)
(n) Válega 
         
 Espinho (n)
(n) Ovar 
         
 Silvalde (n)
(n) Carvalheira-Maceda 
         
 Paramos (n)
(n) Cortegaça 
             
 Esmoriz (n)

Linhas: d Linha do Dourog Linha de Guimarães
b Ramal de Bragam Linha do Minhon Linha do Norte
Fonte: Página oficial, 2010.04

Referências

  1. «Santo Tirso - Linha de Guimarães». Infraestruturas de Portugal. Consultado em 15 de Maio de 2016 
  2. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2012. Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. p. 71-85 
  3. TORRES, Carlos Manitto (16 de Março de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 71 (1686). pp. 133–140. Consultado em 15 de Maio de 2016 
  4. REIS et al, 2006:12
  5. «Troços de linhas férreas portuguesas abertas à exploração desde 1856, e a sua extensão» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 69 (1652). 16 de Outubro de 1956. p. 528-530. Consultado em 6 de Agosto de 2013 
  6. a b c SOUSA, José Fernando de (1 de Setembro de 1935). «Linha Férrea do Ave» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1145). p. 373-374. Consultado em 6 de Agosto de 2013 

BibliografiaEditar

  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 

Ligações externasEditar