Abrir menu principal

Estado Islâmico (Sinai)

Wilayat Sinai logo.jpeg

Estado Islâmico — Província do Sinai (Wilayat Sayna) é um dos ramos do grupo jihadista salafista Estado Islâmico do Iraque e do Levante (Daesh), que opera no Egito, na península do Sinai. O grupo foi formado em 13 de novembro de 2014 após membros do Ansar Bait al-Maqdis (ABM) jurarem lealdade ao Estado Islâmico. [1][2]

HistóricoEditar

Durante 2014, o Ansar Bayt al-Maqdis enviou emissários para o Estado Islâmico na Síria para buscar apoio financeiro, armas e conselhos táticos. [3] Em 10 de novembro de 2014, muitos membros do Ansar Bayt al-Maqdis fizeram um juramento de fidelidade a Abu Bakr al-Baghdadi, líder de Estado Islâmico, [4][5] adotaram o nome Província do Sinai e desde então tem realizado ataques, principalmente no Sinai do Norte, mas também em outras partes do Egito. [1] Não obstante o grupo já matou centenas de agentes de segurança egípcios, e também tem sido responsável por ataques a civis, incluindo o assassinato do engenheiro croata Tomislav Salopek. [6]

Em 1 de julho de 2015, o grupo lançou um ataque em grande escala em torno da cidade de Sheikh Zuweid, no Sinai, que acabou sendo rechaçado pelas forças de segurança egípcias depois de pelo menos 100 militantes e 17 soldados serem mortos nos combates. [7] De acordo com Brian Fishman da New America Foundation, as táticas usadas pelos agressores — bombistas suicidas apoiados por fogo direto e indireto, disparos de morteiro em combinação com armas pequenas e ataques simultâneos em vários locais — sugeriram uma transferência de conhecimento dos combatentes do Estado Islâmico no Iraque e Síria. [8] O grupo afirmou ter disparado três foguetes BM-21 Grad do Sinai ao sul de Israel perto da Faixa de Gaza. Dois ataques com foguetes foram confirmados em Eshkol. Ninguém ficou ferido e nenhum dano foi feito. [9] Em 16 de julho de 2015, o grupo assumiu a responsabilidade pelo lançamento de um foguete em um barco de patrulha da marinha egípcia ao longo da costa norte do Sinai e perto da Faixa de Gaza. [10]

O grupo reivindicou a responsabilidade pela derrubada do avião russo Voo Metrojet 9268, transportando 224 passageiros, que voava para São Petersburgo a partir de Sharm el-Sheikh em 31 de outubro de 2015, quando caiu sobre Hasna (Egito), matando todos a bordo. [11] Dados obtidos das caixas-pretas do avião deram credibilidade à ideia de que houve um atentado a bomba. [12] Em 17 de novembro de 2015, o presidente russo Vladimir Putin confirmou que um ataque a bomba derrubou a aeronave. [13]

Um dos líderes do grupo, Ashraf Ali Hassanein Gharabali, foi baleado e morto em um tiroteio com as forças de segurança egípcias no Cairo em 10 de novembro de 2015. O Ministério do Interior egípcio vinculou Gharaballi a uma série de ataques, incluindo uma tentativa de assassinato contra o Ministro do Interior. [14][15][16]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b «Sinai Province: Egypt's most dangerous group». BBC News 
  2. «Islamic State leader urges attacks in Saudi Arabia: speech». Reuters. 13 de novembro de 2014 
  3. «Islamic State Sprouting Limbs Beyond Its Base». The New York Times. 14 de fevereiro de 2015 
  4. «Militant Group in Egypt Vows Loyalty to ISIS». New York Times. 10 de novembro de 2014 
  5. «Egypt jihadists vow loyalty to IS as Iraq probes leader's fate». AFP. 10 de novembro de 2014 
  6. Loveluck, Louisa (12 de agosto de 2015). «Isil claim to have beheaded Croatian hostage in Egypt». Telegraph 
  7. «Islamic State attack in Egypt's North Sinai kills more than 100». Reuters. 1 de outubro de 2015 
  8. «Jihadist Attacks on Egypt Grow Fiercer». The New York Times. 1 de julho de 2015 
  9. «IS-linked Sinai terrorists claim latest rocket fire». The Times of Israel 
  10. «ISIS carry out rocket strike on Egyptian navy patrol boat in the Mediterranean». Mail Online 
  11. «Russian plane crash: Isil claims it 'brought down' airliner that crashed in Sinai with 224 people on board - latest news». The Telegraph (uk) 
  12. «Russian plane black boxes point to 'attack', Putin halts flights». AFP. 6 de novembro de 2015 
  13. «Putin Says Sinai Plane Crash Was Caused by Terror Attack». Bloomberg. 17 de novembro de 2015 
  14. «Egypt police kill leading ISIL operative in Cairo - World Bulletin». World Bulletin 
  15. «PressTV-Egypt police kill top Daesh operative». www.presstv.ir 
  16. «Egypt kills top Islamic State operative in Cairo, says interior ministry». Telegraph.co.uk