Abrir menu principal

Estrutura em grande escala do universo

Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde outubro de 2011). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.

Em cosmologia física, o termo estrutura em grande escala se refere à caracterização das distribuições observáveis de matéria e luz nas maiores escalas (tipicamente da ordem de bilhões de anos luz). As expedições de observação do céu e o mapeamento em várias faixas de comprimento de onda da radiação eletromagnética (em particular as emissões de 21 cm) tem proporcionado muita informação sobre o conteúdo e a estrutura do Universo. A organização da estrutura parece seguir um modelo hierárquico, em que na maior escala encontram-se os superaglomerados e filamentos. Além dessa escala, parece que não há nenhuma estrutura contínua, um fenômeno que tem sido conhecido como o "Final da Grandeza".

Cosmologia
WMAP 2008.png
Universo · Big Bang
Idade do universo
Cronologia do Universo
Portal da Cosmologia
Vista panorâmica de todo o céu no infravermelho próximo revela a distribuição de galáxias além da Via Láctea. A imagem foi obtida do catálogo 2MASS, com mais de 1,5 milhões de galáxias e o Point Source Catalog (PSC), com cerca de 500 milhões de estrelas na Via Láctea. As galáxias estão representadas por cores associadas a seu desvio para o vermelho obtidos do UGC, CfA, Tully NBGC, LCRS, 2dF, 6dFGS, e das expedições SDSS (e de várias observações compiladas pelas bases de dados extragalácticos da NASA) ou fotometricamente deduzidas da banda K (2,2 um). As azuis são as fontes mais próximas (z < 0,01), as verdes estão a distâncias moderadas (0,01 < z < 0,04) e as vermelhas são as mais distantes que o catálogo 2MASS pode resolver (0,04 < z < 0,1). O mapa está projetado em coordenadas galácticas.[1] Gráficos de Thomas Jarret (IPAC)

Ver tambémEditar