Eudóxia da Geórgia

Eudóxia da Geórgia
გულქან
Imperatriz-consorte de Trebizonda
Reinado 20 de março de 13902 de maio de 1395
Consorte Manuel III de Trebizonda
Antecessor(a) Teodora Cantacuzena
Sucessor(a) Ana Filantropena
Dinastia Bagrationi (nasc.)
Mega Comneno (matr.)
Morte m. 2 de maio de 1395
Filho(s) Aleixo IV de Trebizonda
Pai David IX da Geórgia
Mãe Sindukhtar Jaqeli

Gulkhan-Eudóxia (em georgiano: გულქან-ევდოკია) foi uma imperatriz-consorte de Trebizonda, primeira esposa de Manuel III de Trebizonda. Seu nome original era Gulkhan Khatun ("senhora Gulkhan") e Eudóxia, seu nome cristão adotado após o casamento.

FamíliaEditar

Gulkhan era filha de David IX da Geórgia e sua esposa Sindukhtar Jaqeli e irmã de Pancrácio V da Geórgia.[1] Seu avô paterno era Jorge V da Geórgia de uma esposa de nome desconhecido. As "Crônicas Georgianas", do século XVIII, relatam seu casamento com uma filha do "imperador grego, senhor Miguel Comneno". Porém, a dinastia reinante na ocasião no Império Bizantino era a dos Paleólogos e não a dos Comnenos. O casamento de uma filha de Miguel IX Paleólogo e sua esposa, Rita da Armênia, com um monarca georgiano não aparece nas fontes bizantinas. Nada se sabe também sobre alguma filha ilegítima de Miguel IX.[2] Porém, os Comnenos governavam o Império de Trebizonda e um Miguel Comneno foi imperador ali entre 1344 e 1349. Sua esposa era Acropolitissa e a única filha dos dois, segundo as fontes primárias foi João III de Trebizonda.[3]

O avô materno de Gulkhan era Qvarqvare II Jaqeli, príncipe reinante (eristavi[a]) de Mesquécia.[5]

CasamentoEditar

Gulkhan foi primeiro prometida ou casada com Andrônico de Trebizonda, um filho ilegítimo de Aleixo III. Em 14 de março de 1376, Andrônico caiu de uma janela no palácio imperial e morreu em seguida. De acordo com Miguel Panareto, apenas sua mãe e a imperatriz-mãe participaram do funeral e o noivado foi transferido para Manuel III de Trebizonda, que Panareto descreve como um filho "jovem, adequado e legítimo" do imperador. Detalhes como este levaram os historiadores a suspeitarem do incidente.[6] A "Europäische Stammtafeln: Stammtafeln zur Geschichte der Europäischen Staaten" (1978), de Detlev Schwennicke, relata que ele teria sido atirado de uma torre.[7]

Panareto apresenta também a cronologia do casamento de Gulkhan. O acordo marital foi negociado com ela ainda no Reino da Geórgia e ela só deixou o reino do pai para se encontrar o grupo imperial em Macragialos em 15 de agosto de 1377. Juntos, o grupo chegou em Trebizonda num domingo, 30 de agosto. Em 5 de setembro, Gulkhan foi coroada imperatriz e adotou o nome cristão de Eudóxia, casando-se com Manuel no dia seguinte pelo metropolita de Trebizonda, Teodósio. As festividades duraram uma semana.[6]

O único filho conhecido dos dois reinou como Aleixo IV de Trebizonda.[8]

ImperatrizEditar

Em 20 de março de 1390, Aleixo III morreu e Manuel III o sucedeu, com Eudóxia como imperatriz-consorte. Mas seu reinado foi curto, terminando com sua própria morte em 2 de maio de 1395.[9] Manuel se casou novamente com Ana Filantropena.

Ver tambémEditar

Eudóxia da Geórgia
Nascimento:  ? Morte: 1395
Títulos reais
Precedido por:
Teodora Cantacuzena
Imperatriz-consorte de Trebizonda
1390–1395
Sucedido por:
Ana Filantropena

NotasEditar

  1. Uma espécie de governador ou comandante militar similar ao título bizantino de estratego[4]

Referências

  1. Listing of Bagrationi, page 3
  2. Cawley, Charles, Profile of George V, Medieval Lands database, Foundation for Medieval Genealogy , Predefinição:Self-published inline[carece de fonte melhor]
  3. Cawley, Charles, Profile of John III and his children, Medieval Lands database, Foundation for Medieval Genealogy , Predefinição:Self-published inline[carece de fonte melhor]
  4. Mariam Lordkipanidze , "Georgia in the XI-XII centuries", Glossary
  5. Cawley, Charles, Profile of George V and his son, Medieval Lands database, Foundation for Medieval Genealogy , Predefinição:Self-published inline[carece de fonte melhor]
  6. a b Panareto, Crônica, 48. Texto grego em Original-Fragmente, Chroniken, Inschiften und anderes Materiale zur Geschichte des Kaiserthums Trapezunt, part 2; in Abhandlungen der historischen Classe der königlich bayerischen Akademie 4 (1844), abth. 1, p. 36; Tradução alemã, pp. 64f
  7. Detlev Schwennicke, Europäische Stammtafeln: Stammtafeln zur Geschichte der Europäischen Staaten (1978), vol. 2, page 176
  8. Cawley, Charles, Profile of Alexios IV, Medieval Lands database, Foundation for Medieval Genealogy , Predefinição:Self-published inline[carece de fonte melhor]
  9. Panareto, Crônica, 54. Texto grego em Original-Fragmente, p. 40; Tradução alemã, p. 68

Ligações externasEditar