Abrir menu principal
Jaysh al Mahdi
جيش المهدي
Flag of Promised Day Brigades.svg
País Iraque
Criação 2003
História
Guerras/batalhas Guerra do Iraque
Logística
Efetivo 60 000 (auge em 2007)[1]
50 000 (2014)[2]
Comando
Comandante Muqtada al-Sadr
Sede
Guarnição Bagdá[3]

Jaish al-Mahdi , também conhecido como Exército Mahdi ou ainda Milícia Mahdi (em árabe: جيش المهدي), é um grupo paramiliar iraquiano criado pelo clérigo xiita Muqtada al-Sadr em junho de 2003.[4]

O grupo surgiu no contexto da Guerra do Iraque, lutando contra as forças de ocupação estrangeiras (lideradas pelos Estados Unidos) e também contra outras facções iraquianas, especialmente contra os rivais sunitas. Em 2004, eles lideravam o movimento xiita de insurgência. Com isso, seu líder, Muqtada al-Sadr, se tornou um homem procurado, taxado como terrorista. Com o passar do tempo, al-Sadr tentou mudar as diretrizes do grupo para torná-lo um movimento político mais legítimo, com o propósito de tentar alcançar alguma coisa nas eleições de 2005. Muqtada al-Sadr ordenou então que o Exército Mahdi baixasse suas armas e pediu um cessar-fogo. A trégua, contudo, durou menos de um mês, antes da violência voltar com toda a força. Nesse momento, o Iraque passou por um período de enorme conflito e tensão sectária e religiosa, que deixou centenas de milhares de mortos. Em 2008, após perder força devido as ofensivas das forças armadas iraquianas, o grupo foi dispersado e, teoricamente, abolido.[4]

No auge do seu poder, o Exército Mahdi tinha um exército de até 60 000 milicianos. Eles controlavam, por influência, governos locais, a polícia e chegou até a colaborar com alguns grupos sunitas rivais moderados. Eles também chegaram a ter boas relações com as autoridades de Bagdá e com as forças armadas iraquianas. Segundo informações, eles também recebiam financiamento, treinamento e até armas de nações xiitas como, especialmente e majoritariamente, o Irã.[5][6]

O grupo era considerado um dos mais bem armados e organizados do Iraque e ficou conhecido por seu uso de artefatos explosivos improvisados. Tais bombas eram usadas contra o governo iraquiano, a coalizão ocidental e contra outras organizações sunitas.[7]

Em 28 de agosto de 2008, al-Sadr ordenou que o Exército Mahdi suspendesse a atividade militar por tempo indeterminado. [8] Mais tarde, no entanto, al-Sadr criou duas ou três novas organizações para ocupar o lugar do Exército Mahdi: as Brigadas do Dia Prometido, fundada em novembro de 2008 como uma milícia, [9] e a Muhamidoon, focada no trabalho social e educação religiosa. [10]

As Brigadas do Dia Prometido permaneceram como uma facção influente no movimento xiita.[6] Anos depois, era novamente um dos grupos mais fortes e influentes dentro do Iraque.[11]

Em 2014 al-Sadr ordenou a formação das "Companhias de Paz" para proteger santuários xiitas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante. [12] Em junho de 2014, essas Companhias de Paz marcharam em Sadr City, um bairro pobre de Bagdá infame por ser o principal centro de operações do Exército Mahdi durante a Guerra do Iraque. [13] Além de guardar santuários, as Companhias de Paz participaram de operações ofensivas, como a recaptura de Jurf Al Nasr em outubro de 2014.[14]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Ricks, Thomas E. «Intensified Combat on Streets Likely». The Washington Post. Consultado em 12 de maio de 2010 
  2. "Iraq crisis: Isis allies 'turn on jihadists' as 17 killed in clashes near Kirkuk". Página acessada em 22 de junho de 2014.
  3. «Mahdi Army military parade in Iraq». RT. Consultado em 21 de junho de 2014. Arquivado do original em 10 de outubro de 2017 
  4. a b "Who are Iraq's Mehdi Army?". Página acessada em 22 de junho de 2014.
  5. Al-Sadr calls on Iraqis 'to resist'. English.aljazeera.net. Página acessada em 22 de junho de 2014.
  6. a b "Iran's Foreign Legion: The Role of Iraqi Shiite Militias in Syria". Página acessada em 22 de junho de 2014.
  7. Harkin, Greg; Elliott, Francis; Whitaker, Raymond (16 de outubro de 2005). «Revealed: IRA bombs killed eight British soldiers in Iraq». The Independent. Londres. Consultado em 12 de maio de 2010 
  8. Anthony Cordesman; Adam Mausner (2009). Withdrawal from Iraq: Assessing the Readiness of Iraqi Security Forces. [S.l.]: Center for Strategic and International Studies. p. 45. ISBN 9780892065530 
  9. «Mapping Militant Organizations: Promised Day Brigades». Stanford University. 27 de agosto de 2012 
  10. Tim Arango (21 de Setembro de 2011). «Sadr's Path Could Determine How Iraq Turns». New York Times 
  11. Londoã±O, Ernesto; DeYoung, Karen. «U.S. Commanders Are Concerned About New Iraqi Restrictions on American Troops». The Washington Post. Consultado em 22 de maio de 2010 
  12. Cassandra Vinograd (23 de Junho de 2014). «Anti-U.S. Cleric Muqtada al-Sadr Retakes Stage Amid Iraq Turmoil - NBC News». NBC News 
  13. «Iraqi Shia groups rally in show of power». Al Jazeera 
  14. Loveday Morris; Mustafa Salim (17 de fevereiro de 2015). «Iraqi Shiite cleric recalls militiamen from fight against Islamic State». Washington Post 
  Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.