Expedição 53

Expedição 53 foi a 53° expedição à Estação Espacial Internacional, realizada entre 2 de setembro e 14 de dezembro de 2017.[2] Ela teve início com a desacoplagem da Soyuz MS-04 e contou com três norte-americanos, dois russos e um italiano. Três tripulantes já se encontravam a bordo, levados pela Soyuz MS-05 e ela se completou em 13 de setembro com a chegada de mais três na Soyuz MS-06. Encerrou-se com a desacoplagem da MS-05 em 14 de dezembro.[2]

Expedição 53
Insígnia da missão
Informações da missão
Estação espacial Estação Espacial Internacional
Espaçonave Soyuz MS-05
Soyuz MS-06
Número de tripulantes 6
Início 02 de setembro de 2017, 21:58:01 UTC[1]
Término 14 de dezembro de 2017, 05:14:28 UTC[1]
Duração 102d 7h 16m
Imagem da tripulação
Esq. p/ Dir: Acaba, Misurkin, Vande Hei, Ryazansky, Bresnick e Nespoli
Esq. p/ Dir: Acaba, Misurkin, Vande Hei, Ryazansky, Bresnick e Nespoli
Navegação
ISS Expedition 52 Patch.svg Expedição 52
Expedição 54 ISS Expedition 54 Patch.svg

TripulaçãoEditar

Posição Primeira parte
(Setembro de 2017)[3]
Segunda parte
(Setembro até dezembro de 2017)
Comandante   Randolph Bresnik
Engenheiro de voo 1   Sergei Ryazansky
Engenheiro de voo 2   Paolo Nespoli
Engenheiro de voo 3   Aleksandr Misurkin
Engenheiro de voo 4   Mark Vande Hei
Engenheiro de voo 5   Joseph Acaba

InsígniaEditar

A Estação Espacial Internacional é a nossa plataforma para o futuro da exploração humana do espaço. Coletivamente nosso mundo nosso mundo está à beira de incríveis empreendimentos como espécie espacial. A bordo da estação espacial, continuamos a desenvolver as tecnologias vitais para a sustentação e a longevidade dos seres humanos nas duras realidades de viver sem gravidade ou sem a proteção de nossa atmosfera. Estas tecnologias auto-sustentadas ou regenerativas continuamente desenvolvidas a bordo da estação espacial, não só melhoram a vida na Terra, como são essenciais para a existência dos seres humanos além da órbita terrestre baixa (OTB). A estação espacial é o eixo para esta próxima grande fase de desenvolvimento e é fundamental na expansão do uso do espaço, não apenas como um laboratório científico de classe mundial, mas também como um destino para os veículos espaciais da próxima geração. Esta jornada além da LEO é retratada na insígnia da Expedição 53, pois nos esforçaremos para realizar o trabalho que permite que futuras missões explorem ainda mais nosso sistema solar. Esta jornada só será realizada como uma equipe internacional, representada pela nossa equipe multinacional, bem como pelos muitos países representados no mundo. A miríade de estrelas representa o número incontável de pessoas apaixonadas e extremamente dedicadas que se esforçam em todo o planeta diariamente para tornar a estação espacial o incrível veículo que é, além de nos preparar para os próximos grandes avanços na exploração espacial.[4] A insígnia foi criada pelos desenhistas Tim Gagnon e Jorge Cartes.[5]

MissãoEditar

Entre as inúmeras experiências científicas realizadas durante a missão, as mais significativas foram o estudo de partículas cósmicas, a demonstração dos benefícios do manufaturamento de filamentos de fibra ótica na microgravidade, a investigação de novas terapias para melhorar a atrofia muscular e a exploração das possibilidades de uma nova droga para acelerar a recuperação de ossos.[4] Durante a expedição, três caminhadas espaciais foram realizadas num total conjunto de 20 horas. Participaram delas os astronautas Acaba, Vande Hei e Bresnick, que entre outras atividades realizaram reparos e lubrificação no braço robótico Canadarm2,[6] trocaram câmeras externas e fusíveis estragados e instalaram barras para segurar no radiador. Também durante a expedição, duas naves não-tripuladas acoplaram na ISS, Progress MS-07 e Cygnus CRS OA-8E, trazendo mantimentos e equipamento de logística e mini cubosatélites para a ISS.[7][1] Um dos pontos altos da missão aconteceu em 26 de outubro, quando o Papa Francisco, do Vaticano, conversou diretamente em som e imagem com os astronautas na ISS sobre questões da Humanidade e seu lugar no Universo, com o astronauta italiano Paolo Nespoli servindo de intérprete.[8]

GaleriaEditar

Referências

  1. a b c «Expedition 53». Spacefacts. Consultado em 16 de abril de 2019 
  2. a b «International Space Station - Expedition 53». NASA. Consultado em 1 de fevereiro de 2018 
  3. «Upcoming ISS Expeditions». spacefacts. Consultado em 29 de março de 2017 
  4. a b «Expedition 53» (PDF). Mission Summary NASA. Consultado em 16 de abril de 2019 
  5. «ISS Expedition 53 mission patch». collectspace.com. Consultado em 16 de abril de 2019 
  6. Garcia, Mark (5 de outubro de 2017). «Spacewalkers Wrap Up Robotic Arm Work». NASA.gov. Consultado em 6 de outubro de 2017 
  7. «Cygnus OA-8 Cargo Craft Departs ISS after Three-Week Stay for CubeSat Deployment & Re-Entry». spaceflight101. Consultado em 16 de abril de 2019 
  8. Catherine Williams. «Pope Francis and Expedition 53 Crew Exchange Thoughts About Humanity's Deepest and Oldest Questions». NASABlogs. Consultado em 16 de abril de 2019