Abrir menu principal

Expedito Eduardo de Oliveira

Expedito Eduardo de Oliveira
Bispo da Igreja Católica
1.º Bispo de Patos
Atividade Eclesiástica
Nomeação 25 de fevereiro de 1959
Sucessor Gerardo Ponte
Mandato 25 de fevereiro de 1959
a 8 de maio de 1983
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 30 de novembro de 1933
Fortaleza, Ceará Ceará
por Manuel Gomes
Nomeação episcopal 1 de outubro de 1953
Ordenação episcopal 13 de dezembro de 1953
Fortaleza, Ceará Ceará
por Antônio Lustosa
Dados pessoais
Nascimento Pacatuba, Ceará Ceará
8 de janeiro de 1910
Morte Patos, Paraíba Paraíba
8 de maio de 1983 (73 anos)
Funções exercidas Bispo Auxiliar de Fortaleza (01.10.53-25.02.1959)
Títulos anteriores Bispo Titular de Barca (01.10.53-25.02.1959)
dados em catholic-hierarchy.org
Bispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Dom Expedito Eduardo de Oliveira (Pacatuba, 8 de janeiro de 19108 de maio de 1983) foi religioso católico brasileiro, primeiro bispo da Diocese de Patos de 1959 a 1983, quando de seu falecimento.

BiografiaEditar

Filho do magistrado Alfredo Augusto de Oliveira e de Elvira Espíndola de Oliveira, nasceu em Pacatuba, Ceará. Foi batizado pelo padre João Carlos Augusto na igreja de Nossa Senhora da Conceição de Pacatuba, em 13 de fevereiro de 1910. Ingressou no Seminário de Fortaleza em fevereiro de 1924. Recebeu o presbiterato do arcebispo D. Manuel, em 30 de novembro de 1933. Em 10 de junho de 1934, assumiu a paroquiato da recém-criada freguesia de São Gerardo, em Fortaleza. Durante seu paroquiato, ocorreu a fundação do Teatro São Gerardo, o qual foi de sua iniciativa.

Em 1 de junho de 1942, foi removido para a paróquia de Nossa Senhora do Carmo, onde permaneceu até 10 de setembro de 1948, quando foi nomeado pró-vigário-geral da Arquidiocese de Fortaleza. Em 9 de junho de 1949, recebeu o título honorífico de Camareiro Secreto Supranumerário de Sua Santidade, o papa Pio XII, com honras de monsenhor. Em 14 de fevereiro de 1951, foi nomeado cura da Sé de Fortaleza e, em 6 de outubro de 1953, bispo titular de Barca e auxiliar de D. Lustosa. Sua sagração ocorreu em 15 de dezembro de 1953, na Catedral de Fortaleza, ainda em construção, sendo sagrantes o próprio D. Lustosa, D. Eliseu Simões Mendes, bispo de Mossoró, e D. José Terceiro de Sousa, bispo de Caetité, o qual fora seu colega no seminário.[1]

Em 25 de fevereiro de 1959, foi nomeado pelo papa João XXIII bispo titular da recém-criada Diocese de Patos, na Paraíba, da qual tomou posse em 11 de julho seguinte. Ali esteve durante vinte e quatro anos. Criou doze paróquias, localizadas nas mais diferentes regiões de sua jurisdição; fundou o Seminário Diocesano como Casa de Formação para os jovens que manifestavam o desejo de ser padre; efetivou casas e comunidades religiosas para cuidar da catequese e educação dos mais carentes.

Em 1962, por sua iniciativa, a Diocese de Patos passou a ter o comando da Rádio Espinharas, momento em que a emissora se encontrava em total precariedade. Outro grande feito foi a fundação da Escola Normal São José, inaugurada em 24 de março de 1963, momento em que era ramificada a Congregação das Irmãs Josefinas, as quais ficariam responsáveis pela administração da unidade de ensino e haviam desembarcado em Patos no dia 12 do mesmo mês. O estabelecimento funciona plenamente nos dias atuais, com sede no bairro de São Sebastião, em Patos. No mesmo ano, trouxe para Patos uma unidade de Cáritas Brasileira, objetivando socorrer aqueles vitimados pela seca. Cinco mil famílias cadastradas passaram a receber cestas básicas e roupas, doadas pelos Estados Unidos da América.

Dom Expedito faleceu repentinamente, de enfarte, aos 73 anos de idade, em 8 de maio de 1983. O então vigário da diocese, Monsenhor Luís Laíres da Nóbrega, assumiu a mesma durante nove meses enquanto se processou a escolha de um substituto.[2] O corpo de D. Expedito foi sepultado na Sé de Patos.[3]

Referências

  1. «Portal da História do Ceará». portal.ceara.pro.br 
  2. «Patos em Revista». www.patosemrevista.com 
  3. «Diocese de Patos». www.diocesedepatospb.org.br 


Precedido por
Rufino Jiao Santos
 
Bispo-titular de Barca

1953-1959
Sucedido por
Ferdinand Piontek
Precedido por
 
Bispo de Patos

1959-1983
Sucedido por
D. Gerardo Ponte


  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.