Experto (do latim expertus),[1] especialista ou perito (do latim peritu)[2] é alguém amplamente reconhecido como uma fonte confiável de técnica ou habilidade, cuja capacidade de julgar ou decidir corretamente, justamente ou sabiamente,[3] lhe confere autoridade e status por seus pares ou pelo público.[desambiguação necessária] Um experto, falando mais genericamente, é uma pessoa com vasto conhecimento ou capacidade numa área de estudo em particular. Expertos são chamados a opinar sobre os assuntos que dominam, mas nem sempre concordam sobre as particularidades de um campo de estudo. Acredita-se que um experto, em virtude de treinamento, educação, profissão, publicação de trabalhos ou experiência, tenha um conhecimento especial sobre um determinado assunto que vai além daquele de uma pessoa mediana, o que é suficiente para que outros possam (oficial e legalmente) confiar na opinião do indivíduo.[4] Historicamente, expertos eram denominados "sábios". Geralmente, um sábio era um filósofo culto, diferenciado pela sabedoria e sólido julgamento.[5]

Corpo acadêmico do Instituto de Estudios Internacionales de la Universidad de Chile (2009), congregando expertos em relações internacionais.

Referências

  1. Arnaldo Schüler (2002). «Dicionário enciclopédico de teologia». Editora ULBRA. Consultado em 15 de maio de 2009 
  2. Dic. Enciclopédico Luso-Brasileiro - Porto Editora
  3. «Experto» (em espanhol). Centro Europeo de Empresas e Innovación de Navarra. ISBN 8575280317. Consultado em 28 de janeiro de 2007 [ligação inativa]
  4. «Expert Performance and Deliberate Practice» (em inglês). Consultado em 15 de maio de 2009. Arquivado do original em 22 de fevereiro de 2001 
  5. Monica Aiub. «Diferença entre o sábio da antiguidade e o sábio de hoje». Consultado em 15 de maio de 2009 

Ligações externasEditar

DefiniçãoEditar

QuestionamentosEditar

Outras leiturasEditar

Saiba mais sobre Experto
nos projetos irmãos da Wikipedia:

  Definições no Wikcionario
  Livros e manuais no Wikilivros
  Citações no Wikiquote
  Documentos originais no Wikisource
  Imagens e media no Commons
  Notícias no Wikinotícias
  Recursos no Wikiversidade
Livros e publicações
  • Ikujiro Nonaka, Georg von Krogh, e Sven Voelpel, Organizational Knowledge Creation Theory: Caminhos Evolutivos e Futuros Avanços. Organization Studies, Vol. 27, No. 8, 1179-1208 (2006). SAGE Publications, 2006. DOI 10.1177/0170840606066312
  • Lennart Sjöberg (2001), Limits of Knowledge and the Limited Importance of Trust. Risk Analysis 21 (1), 189–198. doi 10.1111/0272-4332.211101
  • Barbara K. Hofer and Paul R. Pintrich, The Development of Epistemological Theories: Beliefs about Knowledge and Knowing and Their Relation to Learning. Review of Educational Research, Vol. 67, No. 1 (Spring, 1997), pp. 88–140 doi 10.2307/1170620
  • B Wynne, May the sheep safely graze? A reflexive view of the expert-lay knowledge divide. Risk, Environment and Modernity: Towards a New Ecology, 1996.
  • Thomas H. Davenport, et al., Working knowledge . 1998, knowledge.hut.fi.
  • Mats Alvesson, Knowledge work: Ambiguity, image and identity. Human Relations, Vol. 54, No. 7, 863-886 (2001). The Tavistock Institute, 2001.
  • Peter J. Laugharne, Parliament and Specialist Advice, Manutius Press, 1994.
  • Jay Liebowitz, Knowledge Management Handbook. CRC Press, 1999. 328 pages. ISBN 0-8493-0238-2
  • C. Nadine Wathen and Jacquelyn Burkell, Believe it or not: Factors influencing credibility on the Web. Journal of the American Society for Information Science and Technology, VL. 53, NO. 2. PG 134-144. John Wiley & Sons, Inc., 2002. DOI 10.1002/asi.10016
  • Nico Stehr, Knowledge Societies. Sage Publications, 1994. 304 pages. ISBN 0-8039-7892-8
Patentes
  Este artigo sobre filosofia/um(a) filósofo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.