Abrir menu principal
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde agosto de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.

A Fórmula Truck foi uma categoria do automobilismo brasileiro, composta de caminhões preparados para corrida.[1]

Fórmula Truck
Fórmula Truck logo.png


Edições 22 (até 2017)
País  Brasil
Temporada inaugural 1996
Temporada final 2017
Etapas 3 (em 2017)


Motores Ford, Iveco, Mercedes-Benz, Volvo, Volkswagen, MAN, Scania


Ultimos campeões
Piloto nenhum
Equipe nenhuma


Motorsport current event.svg Temporada atual
Caminhões da F-Truck no final da corrida no autódromo do Eusébio, em 2006.

Índice

HistóriaEditar

 
Renato Martins (#9), o campeão de 1996, o primeiro campeonato, e de 2006.
Na 7a etapa de 2006, em Curitiba.

A origem da categoria veio do contato entre o caminhoneiro santista Aurélio Batista Félix e o jornalista português Francisco Santos. Em 6 de setembro de 1987 houve a primeira corrida no circuito do Autódromo Internacional de Cascavel, no Paraná. A prova de exibição juntou 35 pilotos e foi batizada de "I Copa Brasil de Caminhões", e serviria como teste para averiguar a segurança do inédito tipo de corrida.

Porém houve um acidente fatal com um dos participantes: o piloto e presidente do Autódromo Internacional de Cascavel, Jeferson Ribeiro da Fonseca, o que abalou o projeto e fez com que Francisco Santos se retirasse três anos depois.

Em 1994 a preocupação com a segurança foi prioridade para a realização de uma nova apresentação de volta da categoria para caminhoneiros e empresários do setor no autódromo de Interlagos, em São Paulo.

A consolidação teve início em 1995 com a disputa de quatro provas demonstrativas, realizadas nas cidades de Cascavel e Londrina (PR), Tarumã (RS) e Goiânia (GO). Nesta última cidade o público superou o número de 120 mil pessoas.

No ano de 1996 ocorreu o primeiro campeonato, com regulamento definido e homologado pela Confederação Brasileira de Automobilismo. A primeira prova oficial ocorreu em Guaporé (RS), e contou com 13 caminhões no grid.

Em 5 de março de 2008 o criador da Fórmula Truck, Aurélio Batista Félix, faleceu em decorrência de uma hemorragia estomacal. Félix, que também já tinha problemas no coração, sofreu um infarto na primeira etapa da temporada 2008, em Guaporé. O restante da temporada 2008 foi dedicada a ele.[2] Antes do início da temporada 2017, nove equipes abandonaram a categoria por discordarem da gestão conturbada de Neusa Navarro Félix;[3][4] estas equipes uniram-se em uma associação que deu origem à Copa Truck, categoria que veio a substituir a Fórmula Truck.

OrganizaçãoEditar

O treino classificatório grid de largada era realizado no dia anterior à prova. Cada piloto dava uma volta de aquecimento, três cronometradas e mais uma de desaceleração. Se ele desistisse da sua volta, tinha direito a uma única tentativa no final do treino.

Na Fórmula Truck o número de voltas de uma etapa variava entre 30 e 35, dependendo da extensão da pista e das condições do autódromo, na etapa do Ceará, que foi incluida em 2006, pelo fato da pista ser curta, a prova foi planejada com 60 voltas. As voltas completadas com o Pace Truck não contavam como válidas. Nas largadas e relargadas não havia um emparelhamento dos caminhões parados e as ultrapassagens eram permitidas apenas depois da bandeirada, ou quando o farol verde era aceso.

 
Pace Truck do campeonato de 2006.

Ao completarem a 12ª volta válida (18ª na etapa de Fortaleza/CE), os pilotos recebiam uma bandeira quadriculada em verde e amarelo, que pontuava os seis primeiros colocados. Neste momento, entrava na pista o Pace Truck, que neutralizava a corrida para limpeza e retirada de veículos da pista, permanecendo de três a cinco voltas. Após a relargada, os caminhões completavam o número pré-estabelecido e formavam o pódio de acordo com a classificação na prova, acrescidos os tempos das penalizações, quando fosse o caso.

Na Fórmula Truck, os caminhões passavam de 200 km/h em certos trechos das pistas, mas, em um único ponto de cada autódromo, existia um radar para controlar o limite de velocidade em 160 km/h, a fim de garantir melhor segurança. Normalmente este radar era instalado no final da reta de maior velocidade do circuito.

A partir da criação da Copa Truck, houve uma mudança no formato de disputa. Os treinos classificatórios tem duração de 20 minutos, indicando os oito mais rápidos para o Top Qualifying, de onde sai o pole-position. O campeonato passou a ter o formato de copas regionais (Sul, Sudeste, Mercosul ou Nordeste e Centro-Oeste) com a somatória de pontos a cada duas etapas. Os três primeiros colocados de cada copa adquirem o passaporte para a Grande Final. Cada etapa tem duas corridas de 25minutos cada, com a inversão do grid entre os oito primeiros colocados para a segunda corrida.

Transmissão pela TVEditar

A primeira transmissão da Fórmula Truck na TV Brasileira foi feita pela Rede Globo em 18 de outubro de 1998, no Esporte Espetacular. Nos anos seguintes foi transmitida ao vivo aos domingos à tarde na TV Bandeirantes, exceto as temporadas 2004 e 2005, que foram transmitidas pela RedeTV![5].

No SBT, a categoria era coberta com reportagens e compactos no Siga Bem Caminhoneiro.

Ao longo do tempo, a categoria teve patrocinadores fortes, como Petrobras, Firestone, Bridgestone, Vipal e Cervejaria Petrópolis, entre outros.

Já a Copa Truck tem as transmissões através do SporTV.

PontuaçãoEditar

A partir de 2015 a pontuação passou a distribuir pontos iguais nas duas baterias realizadas em cada etapa. Atribuíam-se pontos do 1º ao 14º colocado da seguinte forma:

Colocação 10º 11º 12º 13º 14º
Primeira bateria 25 20 17 14 12 10 8 7 6 5 4 3 2 1
Segunda bateria 25 20 17 14 12 10 8 7 6 5 4 3 2 1

O pole position (melhor tempo do Treino Classificatório) recebia um ponto extra.[6]

Na Copa Truck, não há pontuação para o pole-position. Em cada corrida, os 15 melhores recebem pontuação.

A corrida 1 pontua com 22, 20, 18, 16, 15, 14, 13, 12, 11, 10, 9, 8, 7, 6, 5.

A corrida 2 pontua com 18, 16, 14, 12, 11, 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1

CampeõesEditar

Vencedores de corridasEditar

Atualizado em 30/07/2017

Pos. Piloto UF Vitórias Poles Títulos
1   Renato Martins SP 27 18 2
2   Felipe Giaffone SP 27 29 4
3   Wellington Cirino PR 27 30 4
4   Roberval Andrade SP 21 23 2
5   Leandro Totti PR 18 8 3
6   Oswaldo Drugovich Jr. PR 17 6 2
7   Jorge Fleck RS 12 5 2
8   Sergio Drugovich PR 12 5
9   Beto Monteiro PE 11 11 2
10   Geraldo Piquet DF 10 4
11   Paulo Salustiano SP 9 10
12   Djalma Fogaça SP 7 13
13   Valmir Benavides PR 5 4
14   Tiago Grison PR 3 1
15   Vinicius Ramires SP 2 3
16   Vignaldo Fizio SP 2 2
17   Régis Boessio SP 2 2
18   Luis Carlos Zappelini SC 2 0
19   Beto Napolitano SP 1 0
20   Jonatas Borlenghi SP 1 0
21   Diogo Pachenki SP 1 0
22   Pedro Muffato PR 1 1
23   Wagner França SP 1 1
24   André Marques SP 1 1
25   Fred Marinelli SP 1 2
26   Danilo Dirani SP 1 3

Comparação do Tempo da Volta em InterlagosEditar

Os recordes do Autódromo de Interlagos das principais categorias, excluindo-se as categoria de motocicletas.

Categoria Tempo Piloto Equipe Data
Fórmula 1 1 m. 10 s. 023 Nico Rosberg Mercedes 9 de novembro de 2014
Le Mans Series 1 m. 21 s. 787 Marc Gené e Nicolas Minassian Peugeot 2007
Fórmula 3 1 m. 30 s. 170 Andrè Sousa Full Time 9 de dezembro de 2005
Fórmula Renault 1 m. 37 s. 109 Diego Freitas UniOil Sports 6 de dezembro de 2003
Stock Car V8 1 m. 37 s. 672 Allam Khodair Bassani Racing 27 de março de 2010
Troféu Maserati 1 m. 47 s. 655 Guto Negrão Medley 25 de março de 2006
Fórmula Truck 2 m. 03 s. 272 David Muffato RM Competições-MAN 30 de julho de 2016

Temporada 2017 (suspensão e encerramento das atividades)Editar

A temporada 2017 teve início com a etapa do Velopark, em Nova Santa Rita (RS), primeira das 10 etapas inicialmente previstas;[8] após a realização da 3ª etapa, em Londrina, o campeonato veio a ser suspenso em 28 de junho, sendo oficialmente encerrado em 29 de junho, sem um campeão declarado. As etapas realizadas de fato foram: Velopark (RS 19/03), Rivera (URU (09/04)) e Londrina (PR 07/05). Devido a discordância da maioria das equipes que faziam parte da categoria com a direção conturbada da presidente Neusa Navarro Félix criaram a nova categoria do automobilismo intitulada Copa Truck[9] [10] [11], homologada pela Confederação Brasileira de Automobilismo em novembro de 2017 como competição oficial [12].

Por conta desta confusão, não há um campeão brasileiro em 2017, visto que a Copa Truck ainda não era o campeonato oficial pela CBA.

Localização Circuito Época
  Nova Santa Rita Velopark 19 de Março
  Rivera GP Siñeriz 09 de Abril
  Londrina Autódromo Internacional Ayrton Senna 07 de Maio

Ver tambémEditar

Referências

Ligações externasEditar