Abrir menu principal
Fabrizio Paolucci
Cardeal da Igreja Católica
Decano do Colégio dos Cardeais
Cardeal Secretário de Estado
Vigário-geral de Roma
Atividade Eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Nomeação 19 de novembro de 1725
Predecessor Francesco del Giudice
Sucessor Francesco Barberini
Mandato 1725 - 1726
Ordenação e nomeação
Nomeação episcopal 9 de abril de 1685
Ordenação episcopal 6 de maio de 1685
por Dom Gasparo Cardeal Carpegna
Nomeado arcebispo 27 de janeiro de 1698
Cardinalato
Criação 22 de julho de 1697 (in pectore)
19 de dezembro de 1698 (Publicado)

por Papa Inocêncio XII
Ordem Cardeal-presbítero (1699-1719)
Cardeal-bispo (1719-1726)
Título Santos João e Paulo (1699-1719)
Albano (1719-1724)
Porto e Santa Rufina (1724-1725)
Óstia-Velletri (1726-1726)
Brasão
Dados pessoais
Nascimento Estados Papais Forlì
2 de abril de 1651
Morte Estados Papais Roma
12 de junho de 1726 (75 anos)
Progenitores Mãe: Luciana Albicini
Pai: Cosimo Paolucci
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Fabrizio Paolucci (2 de abril de 1651 - 12 de junho de 1726) foi um cardeal italiano, arcebispo de Ferrara, Cardeal Secretário de Estado, vigário-geral de Roma e decano do Colégio dos Cardeais.

Índice

BiografiaEditar

Da família dos condes de Calboli, era o quinto dos seis filhos do Conde Cosimo Paolucci e Luciana Albicini. Sobrinho-neto do cardeal Francesco Paolucci e tio do cardeal Camillo Paolucci.

Foi para Roma com oito anos de idade, em 1659, para ser educado por seu tio-avô. Estudou na Universidade La Sapienza, de Roma, doutorado utroque iure, em direito canônico e direito civil em 23 de fevereiro de 1674.

Vida religiosaEditar

Eleito bispo de Macerata-Tolentino em 9 de abril de 1685, sendo consagrado em 6 de maio, na igreja de San Filippo, em Roma, pelo Cardeal Gaspare Carpegna, vigário de Roma. Foi assistente no Trono Pontifício, em 6 de fevereiro de 1696. Foi nomeado núncio apostólico em Colônia, em 24 de fevereiro de 1696.

Criado cardeal e reservado in pectore no consistório de 22 de julho de 1697, sendo publicado no consistório de 19 de dezembro de 1698. Foi transferido para a sé de Ferrara, com o título pessoal de arcebispo, em 27 de janeiro de 1698. Núncio extraordinário na dieta polonesa para a eleição de um novo rei, em 27 de janeiro de 1698. Recebeu o barrete cardinalício e o título de Santos João e Paulo em 5 de janeiro de 1699.

Foi nomeado Cardeal Secretário de Estado em 3 de dezembro de 1700, permanecendo no cargo até 19 de março de 1721. Renunciou ao governo da diocese de Ferrara em 14 de março de 1701. Foi nomeado penitenciário-mór em 25 de janeiro de 1709, respondendo pelo cargo até 11 de maio de 1721. Camerlengo do Sagrado Colégio dos Cardeais, de 25 de janeiro de 1706 até 21 de fevereiro de 1707. Concedido faculdades plenárias para negociar e alcançar a paz com o Sacro Império Romano-Germânico, em 12 de janeiro de 1709.

Passa para a ordem dos cardeais-bispos e assume a sé suburbicária de Albano em 1717. No conclave de 1721, o cardeal Mihály Frigyes Althan, bispo de Vac na Hungria, trouxe o Jus exclusivae do Imperador Carlos VI ao cardeal Paolucci, por suas posições mais próximas dos franceses. Vigário Geral de Roma, em 11 de maio de 1721, também nomeado Prefeito da Sagrada Congregação dos Bispos e Regulares, em 9 de setembro. No conclave de 1724, novamente é vetado. Secretário de Estado de novo, de 6 de junho de 1724 até sua morte. Foi também Prefeito da Sagrada Congregação dos Ritos, de Avignon e de Loreto.

Passa para a sé de Porto e Santa Rufina em 12 de junho de 1724. É-lhe concedido faculdades plenipotenciárias para negociar, juntamente com o cardeal Álvaro Cienfuegos, S.J., arcebispo de Catania, a devolução de Comacchio e regiões adjacentes à Santa Sé, em 1 de setembro de 1724. Em 19 de novembro de 1725, assume a suburbicária de Ostia–Velletri, sé do decano do Sacro Colégio dos Cardeais.

Morreu em 12 de junho de 1726, às 5 horas, em Roma, no palácio apostólico de Quirinale. Transferido para o seu palácio no foro de Ss. XII Apostoli, no mesmo dia às 7 horas. Foi transferido para a basílica de Ss. XII Apostoli, em 13 de junho e o funeral teve lugar no dia seguinte na mesma igreja e às 11 horas, transladado para a igreja de S. Marcello, e enterrado no lado esquerdo da capela de S. Pellegrino Laziosi naquela igreja

ConclavesEditar

Ligações externasEditar

Referências

  1. a b c «Fabrizio Cardinal Paolucci» (em inglês). Catholic-Hierarchy. Consultado em 15 de maio de 2012 


Precedido por
Francesco Cini
 
Bispo de Macerata-Tolentino

16851698
Sucedido por
Alessandro Varano
Precedido por
Gianantonio Davia
 
Núncio apostólico em Colônia

16961698
Sucedido por
Orazio Filippo Spada
Precedido por
Baldassare Cenci
 
Arcebispo-bispo de Ferrara

16981701
Sucedido por
Taddeo Luigi dal Verme
Precedido por
Fortunato Carafa
 
Cardeal-presbítero de Santos João e Paulo

16991716
Sucedido por
Niccolò Maria Lercari
Precedido por:
Fabrizio Spada
 
Cardeal secretário de Estado da Santa Sé

17001721
17241726
Seguido por:
Giorgio Spinola
Precedido por:
Giorgio Spinola
Seguido por:
Niccolò Maria Lercari
Precedido por
Leandro Colloredo
 
Penitenciário-mor

17091721
Sucedido por
Bernardo Maria Conti
Precedido por
Fabrizio Spada
 
Cardeal-bispo de Albano

17171721
Sucedido por
Francesco Barberini, menor
Precedido por
Giandomenico Paracciani
 
Cardeal Vigário de Roma

17211726
Sucedido por
Prospero Marefoschi
Precedido por
Giandomenico Paracciani
 
Prefeito da Sagrada Congregação dos Bispos e Regulares

17211726
Sucedido por
Francesco Barberini, menor
Precedido por
Ferdinando d’Adda
 
Prefeito da Sagrada Congregação dos Ritos

17241726
Sucedido por
Carlo Maria Marini
Precedido por
?
 
Prefeito da Sagrada Congregação de Avinhão

17241726
Sucedido por
?
Precedido por
Vincenzo Maria Orsini da Gravina
 
Cardeal-bispo de Porto e Santa Rufina

17241725
Sucedido por
Francesco Pignatelli
Precedido por:
Francesco del Giudice
 
Cardeal-bispo de Óstia-Velletri

Sucedido por:
Francesco Barberini, menor
Deão do Sacro Colégio Cardinalíco
1725 — 1726