Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa

Faculdade de Ciências
Sociais e Humanas
Logótipo NOVA FCSH.png
NOVA FCSH
Fundação 1977
Tipo de instituição Pública
Localização Lisboa, Portugal
Funcionários técnico-administrativos 93
Diretor(a) Francisco Caramelo
Docentes 310
Total de estudantes 4713
Graduação 2553
Pós-graduação 1590
Doutorado 600
Campus Avenida de Berna, 26-C
1069-061 Lisboa
Cores da escola Verde e Azul
Orçamento anual 25 Milhões de Euros
Página oficial http://www.fcsh.unl.pt/

A Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (também conhecida pela sigla NOVA FCSH) é uma unidade orgânica da Universidade NOVA de Lisboa (NOVA).[1]

Descrição geralEditar

 
Edifício principal da FCSH, também designado por Torre B. O seu formato original é, ao centro, inspirado na imagem de um livro aberto

A NOVA FCSH foi criada em 10 de novembro de 1977 na sequência do desenvolvimento da área das ciências humanas e sociais então já existente na NOVA e protagonizada por um grupo de docentes e investigadores, nomeadamente J. S. da Silva Dias, Leonor Buescu, João Morais Barbosa, Artur Nobre de Gusmão, Fernando Gil, Augusto Mesquitela Lima, A. H. de Oliveira Marques, José Augusto França, Vitorino Magalhães Godinho, José Mattoso, Raquel Soeiro de Brito, Teolinda Gersão, Leonor Machado de Sousa, Yvete Kace Centeno e Teresa Rita Lopes. A Faculdade iniciou a sua atividade a 2 de janeiro de 1978.

A NOVA FCSH localiza-se na avenida de Berna, no centro de Lisboa. Em Outubro de 2019, as unidades de investigação associadas à NOVA FCSH passaram a funcionar no antigo Colégio dos Jesuítas (agora, Colégio Almada Negreiros) no campus de Campolide. Neste edifício decorrem também, a partir do ano lectivo de 2019/2020, as aulas dos cursos de doutoramento.

Para resolver as questões logísticas que o seu crescimento gerou, está prevista a alienação de todo o campus da avenida de Berna e a construção de um novo edifício no campus de Campolide,[2] onde continuará a funcionar a NOVA Information Management School (NOVA IMS). Neste campus, está também instalada a residência universitária Alfredo de Sousa.

Órgãos da faculdadeEditar

São órgãos da faculdade, de acordo com o determinado no RJIES e em despacho reitoral:[3]

  • O Conselho de Faculdade
  • O Diretor
  • O Conselho Científico
  • O Conselho Pedagógico
  • O Conselho de Estudantes

Conselho de FaculdadeEditar

O Conselho de Faculdade é um órgão colegial representativo composto por 13 membros[4]: oito docentes ou investigadores, um estudante, um representante dos trabalhadores não-docentes e não investigadores e quatro individualidades externas à Faculdade. Os docentes ou investigadores são eleitos pelos respetivos corpos para mandatos de quatro anos, enquanto as individualidades externas, escolhidas pelo conselheiros eleitos na sua primeira reunião, são nomeadas pelo reitor.[5]

Histórico de dirigentesEditar

Presidentes da comissão instaladora da NOVA FCSHEditar

  • dezembro de 1977 a novembro de 1980: A. H. de Oliveira Marques
  • novembro de 1980 a maio de 1981: J. S. da Silva Dias
  • novembro de 1981 a março de 1982: João Morais Barbosa

Diretores da NOVA FCSHEditar

DepartamentosEditar

Os Departamentos da NOVA FCSH são:

  • Antropologia
  • Ciências da Comunicação
  • Ciências Musicais
  • Estudos Políticos
  • Estudos Portugueses
  • Filosofia
  • Geografia e Planeamento Regional
  • Historia
  • Historia da Arte
  • Línguas, Culturas e Literaturas Modernas
  • Linguística
  • Sociologia
Unidades de Investigação / Classificação FCT 2017
  • CESEM- Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical / Excelente
  • CETAPS- Centre for English, Translation and Anglo-Portuguese Studies / Excelente
  • CHAM- Centro de Humanidades / Em recurso
  • CICS.NOVA- Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais / Em recurso
  • CITI- Centro de Investigação para Tecnologias Interactivas
  • CLUNL- Centro de Linguística da NOVA / Excelente
  • CRIA- Centro em Rede de Investigação em Antropologia / Muito Bom
  • «IAP». [ligação inativa] - Instituto de Arqueologia e Paleociências da Universidade NOVA de Lisboa 
  • ICNOVA- Instituto de Comunicação da NOVA / Excelente
  • IELT- Instituto de Estudos de Literatura e Tradição / Muito Bom
  • IEM- Instituto de Estudos Medievais / Excelente
  • IFIL NOVA- Instituto de Filosofia da NOVA / Excelente
  • IHA- Instituto de História da Arte / Muito Bom
  • IHC- Instituto de História Contemporânea / Muito Bom
  • INET-md- Instituto de Etnomusicologia, Centro de Estudos em Música e Dança / Excelente
  • IPRI- Instituto Português de Relações Internacionais / Excelente

Unidades de investigaçãoEditar

A FCSH integra um total de 16 unidades de investigação,[6] cuja principal missão passa pelo desenvolvimento da investigação e da cultura científicas nas diferentes áreas das ciências sociais e humanas, pela formação de investigadores e pela prestação de serviços à comunidade.

Ciclos de EstudoEditar

A FCSH é atualmente a segunda maior unidade orgânica da NOVA, tanto em número de alunos como em dotação orçamental contando com 273 docentes e cerca de uma centena de funcionários administrativos.[carece de fontes?]

A oferta letiva da NOVA FCSH integra licenciaturas, mestrados e doutoramentos, os dois últimos em regime pós-laboral.[7]

Os ciclos de estudos abrangem as áreas tradicionais das ciências sociais e humanas, mas também várias temáticas interdisciplinares e ainda diversos cursos de natureza mais profissionalizante. Além de uma Escola de Verão, a NOVA FCSH dispõe ainda cursos de pós-graduação, especialização, breves, longa duração e de ano novo. Possui ainda o programa Pedro Hispano, para estudos doutorais.

Bibliotecas[carece de fontes?]Editar

 
Biblioteca Mário Sottomayor Cardia

A NOVA FCSH tem duas bibliotecas. A Biblioteca Mário Sottomayor Cardia, instalada no edifício principal da NOVA FCSH, é assim designada desde 2008, na sequência da doação da biblioteca do Professor Mário Sottomayor Cardia, feita pela família à Faculdade.

A BMSC é detentora de um acervo com cerca de 150 mil títulos (142 mil monografias, 4 mil títulos de periódicos e 4 mil unidades de material não-livro).

A BMSC é depositária de doações particulares cedidas pelos legatários de antigos professores e investigadores da NOVA FCSH: Biblioteca António G. Mattoso (BM) – 8500 livros de âmbito geral, com particular importância para a área da História, Biblioteca Leonor Buescu (BLB) – 3 mil volumes de âmbito geral, com maior relevância para a área da Linguística e da Literatura Portuguesa; Biblioteca Luís Krus (BLK) – 3700 obras sobre a História Medieval Portuguesa e Europeia, Antropologia e Sociologia; e Biblioteca Mário Sottomayor Cardia (BMSC) – 60 mil volumes, ainda não totalmente tratados, que versam temáticas de carácter generalista, com particular evidência para a Filosofia e Ciência Política.

A BMSC integra, também, a coleção bibliográfica do American Ladies Club (ALC) – 1000 volumes dedicado à Literatura, bem como algumas bibliotecas pessoais, como é o caso da Biblioteca António Rita Ferreira (BRF) – 850 livros relacionados com Antropologia; Biblioteca Dragomir Knapic (BK) – 250 obras sobre Geografia; Biblioteca João Catarino (BJC), contendo 700 obras sobre Arqueologia; Biblioteca José Rodrigues Miguéis (BRM) – 1400 obras dedicadas à História da Literatura e Colonização Africana, Etno-História de África; Biblioteca Martin Dean (BMD) – 1650 livros sobre Arqueologia Náutica e Subaquática e Biblioteca Macário santiago Kastner (BSK) – 1000 livros na área da música e da musicologia.

A Biblioteca Vitorino Magalhães Godinho é uma biblioteca especializada, vocacionada para a investigação e dirigida sobretudos para investigadores. É assim designada desde 2018, na sequência da doação da biblioteca do Professor Vitorino Magalhães Godinho, feita pela família à Faculdade. Para além desta biblioteca particular, disponibiliza, ainda, os fundos documentais de 14 Unidades de Investigação da NOVA FCSH incidindo sobre áreas com a Antropologia, Estudos de Género, Filosofia, Literatura, Música, História e Sociologia. Aqui se acolhe, também, a biblioteca de Samuel Schwarz, uma coleção que versa sobre a história, cultura e religião do povo judeu, conservando obras que datam desde 1510 a 1953.

Referências

  1. Diário da República, II série, nº128, de 4 de junho de 1990
  2. Silva, Samuel. «Universidade Nova espera vender edifício da FCSH por 40 milhões de euros já no próximo ano». PÚBLICO. Consultado em 2 de novembro de 2019 
  3. Artigo 8 do Capitulo II do Despacho Reitoral Nº 3849/2009
  4. «Membros do Conselho de Faculdade» 
  5. Artigo 9, alínea 9 e artigo 10 alínea 2 dos Estatutos da FCSH
  6. «Página do Diário da República» (PDF). Dre.pt 
  7. «Universidade Nova de Lisboa». Universidade Nova de Lisboa. Consultado em 30 de junho de 2016 

Ligações externasEditar