Abrir menu principal

Faculdade de Gestão e Negócios da UFU

UFU Faculdade de Gestão e Negócios
FAGEN
Logomarca fagen.jpg
Lema Referência em Gestão
Universidade Universidade Federal de Uberlândia
Fundação 1969
Nomes anteriores Departamento de Administração
Tipo de instituição Pública Federal
Professores 70
Diretor Kárem Cristina de Sousa Ribeiro
Vice-diretor Vinícius Silva Pereira
Alunos 1300
Localização Uberlândia, Brasão de Minas Gerais.svg Minas GeraisBrasil
Campus Santa Mônica
Afiliações UFU
Site www.fagen.ufu.br

A UFU Faculdade de Gestão e Negócios (também conhecida como FAGEN) é uma das unidades pertencentes à Universidade Federal de Uberlândia criada em 2 de abril 1969, na cidade de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil. A faculdade oferece os cursos de graduação em Administração, Administração Pública (EaD), Gestão da Informação, Mestrado Acadêmico em Administração, Mestrado Profissional em Gestão Organizacional, MBAs e cursos de educação executiva.[1]

A FAGEN organiza-se através de departamentos. Cada departamento se constitui em fórum prioritário para o debate sobre as ciências de sua responsabilidade. São eles:

  • Departamento de Finanças
  • Departamento de Gestão de Pessoas
  • Departamento de Marketing
  • Departamento de Métodos e Informações
  • Departamento de Operações e Sistemas
  • Departamento de Organizações e Estratégia[2].

Bianualmente, a FAGEN organiza o EGEN - Encontro de Gestão e Negócios[3]. O evento tem por objetivo o debate científico, divulgação de pesquisas e práticas empresariais, integração entre a graduação e pós-graduação dos cursos de Gestão e Negócios, facilitando a discussão de idéias, disseminação de experiências e informações sobre os campos de conhecimento em inovação, tecnologia e gestão.[4]

Índice

HistóriaEditar

A história da FAGEN tem início no começo da década de 1960 quando o professor e ex-reitor da UFU, Juarez Altafin, juntamente com o professor Régis Elias Simão fundam a Faculdade de Ciências Econômicas de Uberlândia (FACEU), a convite do professor Jacy de Assis, diretor da Faculdade de Direito. A FACEU, como relata o professor Juarez:

[...] não existia nem no papel, era uma apenas uma ideia, um projeto a ser realizado.

Depois de duas dezenas de viagens ao Rio de Janeiro, onde ainda funcionava o MEC (Ministério da Educação), e a Belo Horizonte, inclusive à procura de professores, em 1963 a FACEU abre suas portas. O primeiro curso a ser autorizado foi o curso de Ciências Contábeis.  A faculdade foi idealizada, naquele momento, para oferecer três cursos superiores, Contábeis, Administração e Economia. É interessante destacar que antes só havia três escolas superiores: Faculdade de Direito – fundada em 1960 e percursora do ensino superior na cidade, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras e a Faculdade Federal de Engenharia – primeira escola pública de ensino superior. Foi uma década importante para o ensino superior no país, que começou a ser democratizado e se expandiu para além dos grandes centros elitistas do país naquela época.

Depois de enfrentar alguns desafios dentre eles, autorizações do MEC para funcionar, contratação de professores, elaboração de vestibular para formar as primeiras turmas e verba para manter os cursos que fariam parte da nova unidade, a FACEU começa a se consolidar. O primeiro curso a ser oferecido, como já lembrado, foi Ciências Contábeis. Em 1965 o curso de Administração inicia suas atividades. Aqui, vale ressaltar que após a autorização do curso de Ciências Contábeis em 1963 e na expectativa de da autorização dos outros cursos – Administração de Empresa e Ciências Econômicas – foi incluído no currículo do curso de Contábeis, como disciplina complementar, disciplinas do currículo mínimo de Administração. Autorizado o curso de Administração em 1965, optou se por colocar no currículo do curso disciplinas básicas do curso de Economia.

Inicialmente, a Faculdade funcionou no prédio da Faculdade de Direito. Depois, passou para o prédio da Faculdade de Filosofia. Mais tarde, alugou o prédio da frente do Colégio Brasil Central e, finalmente, instalou-se em prédio próprio, na Praça Dr. Duarte, onde hoje funciona uma escola estadual. Lá permaneceu até que, integrada a Universidade de Uberlândia, teve seus cursos transferidos para o Campus Santa Mônica.

Universidade, federalização, centros e departamentos

Em agosto de 1969, as seis escolas superiores que existiam na época foram integradas na Universidade de Uberlândia (UnU). Na época, a instituição ainda era privada e cobrava mensalidade dos alunos. Dois anos depois, em 11 novembro de 1971, o curso de Administração foi reconhecido pelo MEC por meio do Decreto Lei nº 69.535/71.

A federalização veio apenas em 1978 e marcou um dos momentos mais importantes na história da Universidade e da cidade. A partir daí, foi a Universidade Federal de Uberlândia (UFU) que passou a existir. No mesmo ano, outra mudança importante. No lugar das faculdades, os cursos foram organizados em três centros: Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas (Cetec), Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (Cehar) e Centro de Ciências Biomédicas (Cebim). Dessa forma, cada centro era responsável por departamentos que cuidavam dos cursos. Administração e Ciências Contábeis se desmembraram da Economia e passaram a ter um Departamento próprio dentro da Cehar.

Com isso, cada departamento tinha um chefe – como se fosse o diretor nos dias de hoje – e cada curso um coordenador. Um dos primeiros chefes de departamento nesse momento foi o professor Edvaldo Duarte de Freitas, Ciências Contábeis.

Departamento de Administração

Em 1981 já se começou a discutir a possibilidade de desmembrar os cursos de Administração e Ciências Contábeis em razão do caráter das disciplinas que os compunham. Por exemplo, o aluno não tinha a opção de escolher entre uma das duas graduações logo no início dos estudos. Portanto, fazia disciplinas referentes à Contábeis e à Administração logo no primeiro ano. Apenas no segundo ano de faculdade era possível optar pela carreira de contador ou de administrador. Essa estrutura motivou muitos debates no Departamento ao longo dos anos, resultado na separação definitiva dos dois cursos em novembro de 1986 e dando origem ao Departamento de Administração (DEPAD) que teve como primeiro chefe o professor Francisco José Osterene.

Quem se lembra bem dessa época é Valdir Machado Valadão Júnior, professor e atual coordenador de Mestrado da FAGEN. Ele entrou na UFU em 1984 e formou-se em Administração em 1988. Ele afirma que quando aluno, já era bastante ativo nas atividades da academia. “Fui da comissão que fez a grande primeira mudança curricular em 1986 e que separou o curso de Administração do curso de Contábeis. Eu era representante dos alunos no colegiado e lembro que foi um acontecimento muito importante porque deu uma característica maior de administração ao curso ao incluir disciplinas que antes não existiam na grade curricular”, conta. Portanto, com essa ruptura, os cursos passaram a desenvolver conteúdos mais focados em suas áreas específicas.

MBA’s e Empresa Júnior

Se adequando cada vez mais às novas realidades do mercado de trabalho e do meio acadêmico, o Departamento de Administração começa a oferecer os primeiros cursos de MBAs (Master of Business Administration) na década de 1990. A primeira experiência aconteceu por volta de 1993 com o curso de Gestão Empresarial, coordenado pelo professor Edson Melo. Depois disso, outras especializações foram aprovadas. Atualmente, oferecemos os seguintes cursos de MBA’s: Finanças e Estratégias Empresariais, Gerenciamento de Projeto, Gestão Empresarial, Gestão Estratégica de Pessoas, Logística e Gestão de Operações e Marketing.

Outro marco importante nesse mesmo ano foi a criação da Apoio Consultoria, a empresa júnior da FAGEN. Considerada referência para toda a comunidade universitária, a Apoio surgiu de uma iniciativa da professora Raquel Radamés. Hoje, conta com vinte membros efetivos e mais treze treinees, todos alunos de graduação dos cursos de Administração e Gestão da Informação.

FAGEN: uma nova fase

Em 1999, a Universidade Federal de Uberlândia criou um novo estatuto que trouxe outra mudança de grande impacto na estrutura dos campi: a extinção dos Centros e Departamentos e a volta das Faculdades. Dessa forma, a Universidade traz a ideia de Faculdades dentro de uma única instituição e não mais instituições independentes como na década de 1960.

Com isso, em 2000, quando a mudança foi colocada em prática, todos os cursos precisaram pensar em como iriam se reestruturar, se unir ou se separar. O curso de Administração (e suas especializações) optou por permanecer separado e o antigo DEPAD se tornou a Faculdade de Gestão e Negócios –FAGEN.

Dois anos depois, o projeto para criação do programa de Pós-Graduação em Administração - Mestrado Acadêmico - foi aprovado, dando origem a primeira turma em 2003. A partir daí a faculdade experienciou um crescimento acentuado. Em 2006, houve a criação do curso piloto de Administração à distância e em 2008 veio a aprovação do curso de Administração em período Integral pelo REUNI (Plano de Reestruturação e Unificação das Universidades) com início das atividades em 2009/1.

Em 2009 também outro momento marcante: a aprovação do projeto pedagógico do curso de Gestão da Informação. A comissão que elaborou o plano do curso foi encabeçada pelo professor André Carlos Menck e a primeira coordenadora foi a professora Márcia Freire. Dessa forma, a primeira turma de GI inicia suas atividades no primeiro semestre de 2010 para suprir a demanda de profissionais capacitados a transformar dados em informações como apoio à tomada de decisão, em outras palavras, profissional com habilidades e competências em gestão e tecnologias da informação e comunicação. Já no primeiro semestre de 2011, a FAGEN dá início a outro projeto: o curso de Administração Pública EaD, e, em 2015, o tem início o Pós-Graduação em Gestão Organizacional - Mestrado Profissional.

EnsinoEditar

Graduação

  • Administração Integral e Noturno
  • Administração Pública
  • Gestão da Informação

Pós-Graduação (stricto sensu)

  • Mestrado Acadêmico em Administração
  • Mestrado Profissional em Gestão Organizacional

Pós-Graduação (lato sensu)

  • MBA em Finanças e estratégias Empresariais
  • MBA em Gerenciamento de Projeto
  • MBA em Gestão Empresarial
  • MBA em Gestão Estratégica de Pessoas 
  • MBA em Logística e Gestão de Operações
  • MBA em Marketing 
  • Educação Executiva

PesquisaEditar

Núcleos de pesquisa[5]

  • Empreendedorismo e Inovação
  • Estratégia e Gestão
  • Gestão Estratégica de Pessoas
  • Estudos Organizacionais
  • FAGEN Saúde
  • Finanças
  • Gestão Ambiental
  • Gestão do Esporte e do Entretenimento
  • Gestão Social
  • Operações e Sistemas
  • Tecnologia e Educação

Referências

  1. «Início». portal.fagen.ufu.br. 2014. Consultado em 10 de outubro de 2014 
  2. «FAGEN | Departamentos | Universidade Federal de Uberlândia». www.fagen.ufu.br. Consultado em 29 de julho de 2016 
  3. «EGEN2016 | Encontro de Gestão e Negócios». egen.org.br. Consultado em 29 de julho de 2016 
  4. «Sobre | EGEN2016». egen.org.br. Consultado em 5 de dezembro de 2016 
  5. «Pesquisa FAGEN | Universidade Federal de Uberlândia». www.fagen.ufu.br. Consultado em 28 de julho de 2016 

Ligações externasEditar