Abrir menu principal

Língua Negra de Mordor

(Redirecionado de Fala Negra)
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde janeiro de 2011). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.

A Língua Negra de Mordor é um idioma artificial criado por J.R.R.Tolkien para Mordor, um reino fictício de sua obra, O Senhor dos Anéis. De acordo com o mito, Sauron, senhor de Mordor, criou a Língua Negra, para ser falada por todos os servos de seu reino, substituindo vários dialetos dos Orcs e outros idiomas de seus servos. Tolkien descreve a língua como tendo duas formas, a antiga e mais "pura", falada por Sauron e por seus soldados mais importantes como os Nazgûl e a mais simples, usadas pelos soldados de baixo escalão.

HistóriaEditar

A Língua Negra foi baseada provavelmente no Valarin, a língua dos Valar e Maiar (sendo o próprio Sauron dessa última divisão). Pode ser que ela tenha elementos do Quenya, o Alto-élfico.

Tendo criado a Língua Negra para ser desagradável, J.R.R.Tolkien não gostava de escrever usando-a (de acordo com o escritor, ele certa vez recebeu de um fã um cálice com a inscrição do Um Anel em Língua Negra, e, considerando o cálice desagradável, usava-o como cinzeiro). Como resultado, a Fala Negra é uma das línguas mais fragmentadas das histórias do professor Tolkien. As forças do bem recusam-se a pronunciá-la em voz alta, já que ela atrai o Olho de Sauron. Diferentemente do Élfico, não há poemas e canções escritas nessa língua, à exceção da Inscrição do Um Anel.

Exemplos do Idioma NegroEditar

O único exemplo dado por Tolkien na pura Língua Negra é a inscrição do Um Anel:

Ash nazg durbatulûk, ash nazg gimbatul,
ash nazg thrakatulûk, agh burzum-ishi krimpatul.

Ou, traduzido:

Um Anel para a todos governar, Um Anel para encontrá-los,
Um Anel para a todos trazer, e na Escuridão aprisioná-los.

Outros exemplos incluem palavras encontradas nos apêndices de O Senhor dos Anéis ou no decorrer do texto de As Duas Torres

Usos no filmeEditar

A inscrição do Anel e sua tradução mostram ser a Língua Negra extremamente aglutinante. Para o filme O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel, o linguista encarregado, David Salo, usou o pouco que se sabe sobre a língua para criar o suficiente para ser usado no filme, que é geralmente chamada pelos Tolkienistas de Neo-Fala Negra. Duas frases foram criadas para o filme: Gu kibum kelkum-ishi, burzum-ishi. Akha-gum-ishi ashi gurum., ou "Não há vida no frio, na escuridão. Aqui, no vazio, só há morte."

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar