Abrir menu principal

A família Hungaria é um grupo de asteroides no cinturão de asteroides.[1] Os asteroides Hungaria orbitam o Sol com uma "distância" (semieixo maior) entre 1,78 e 2,00 unidades astronômicas (UA). Eles são a concentração mais densa de asteroides no interior do Sistema Solar (os asteroides próximos da Terra, por exemplo, são muito mais escassos) e retiram o nome de seu maior membro, o 434 Hungaria.

Índice

Cinturão EEditar

 Ver artigo principal: Cinturão de asteroides estendido

Os asteroides da família Hungaria são provavelmente os restos da hipotética população do cinturão de asteroides E. A dispersão da maioria dos corpos que faziam parte do hipotético cinturão E podem ter sido causado pela migração dos gigantes gasosos para fora do Sistema Solar de acordo com simulações feitas sob o modelo de Nice — e estes asteroides dispersos do cinturão E podem por sua vez, terem sido os corpos do Intenso bombardeio tardio.

Formação da família HungariaEditar

Teoricamente muitos dos asteroides que faziam parte do cinturão E sofreram uma evolução de suas órbitas, e os mesmo teriam adquirido órbitas semelhantes aos dos asteroides da atual família Hungaria com altas inclinações e semieixo maior entre 1,8 e 2,0 UA.[2] Porque órbitas nesta região são dinamicamente pegajosas, então esses objetos formaram um reservatório quase estável.[3] Como esta população do cinturão de asteroides E espalharam-se a partir deste reservatório supostamente eles produziram um longo tempo de duração de impactos após o fim do tradicional intenso bombardeio tardio de 3,7 bilhões de anos atrás.[4] Os remanescentes representam aproximadamente 0,1-0,4% dos asteroides originais do cinturão E que permaneceriam como os atuais asteroides da Família Hungaria.[3]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Spratt, Christopher E. (abril de 1990). «The Hungaria group of minor planets». Royal Astronomical Society of Canada, Journal (ISSN 0035-872X). 84 (2): 123–131. Bibcode:1990JRASC..84..123S 
  2. «The E-Belt: A Possible Missing Link in the Late Heavy Bombardment» (PDF) (em inglês). Consultado em 17 de dezembro de 2014 
  3. a b «An Archaean heavy bombardment from a destabilized extension of the asteroid belt» (PDF) (em inglês). Consultado em 17 de dezembro de 2014 
  4. «Ancient asteroids kept on coming» (em inglês). Consultado em 17 de dezembro de 2014