Família Lecapeno

página de desambiguação da Wikimedia
Miliarésio de 931–944 mostrando o busto de Romano sobre uma cruz no obverso e uma lista com o nome de Romano e seus coimperadores Constantino VII, Estêvão e Constantino no reverso
Selo do imperador Pedro I (r. 927–969) com Irene Lecapena (r. 927–966)

Lecapeno (em grego: Λεκαπηνός; transl.: Lekapenós; em latim: Lecapenus) ou Lacapeno (em grego: Λακαπηνός; transl.: Lakapenós), com forma feminina Lecapena (em grego: Λεκαπηνή; transl.: Lekapené), foi o nome duma família bizantina de ascendência humilde e etnicamente armênia, que casou-se com e quase conseguiu usurpar o trono da dinastia macedônica na primeira metade do século X. Foi fundada por Teofilacto, de sobrenome Abactisto ou Abastacto, um camponês armênio que salvou a vida do imperador Basílio I, o Macedônio (r. 867–886) em 872 e recebeu propriedades como recompensa. O sobrenome da família deriva da localidade de Lacape; possivelmente estas propriedades estavam situadas ali.[1]

O filho de Teofilacto, Romano, tornou-se comandante-em-chefe da frota imperial e posteriormente imperador sênior em 920 após casar sua filha Helena com o imperador legítimo Constantino VII Porfirogênito (r. 913–959), neto de Basílio I. Ele elevou seus três filhos, Cristóvão, Estêvão e Constantino como coimperadores ao lado de Constantino VII. Outro filho, Teofilacto, foi feito patriarca de Constantinopla, e a filha de Cristóvão chamada Maria-Irene casou-se com o imperador búlgaro Pedro I (r. 927–969).[1]

Romano foi deposto por Estêvão e Constantino em dezembro de 944, mas eles também foram depostos em seguida e Constantino foi restaurado como imperador único. Seus descendentes continuaram a ocupar ofícios seniores no palácio imperial nas décadas seguintes, mas o membro mais notável da família foi Basílio Lecapeno, filho ilegítimo de Romano, que ascendeu ao posto de paracemomeno e tornar-se-ia governante virtual do império até a década de 980. A família é precariamente atestada depois disso; apenas um certo Constantino Lecapeno é conhecido através de seu selo do século XI, e o último membro importante foi Jorge Lecapeno, um oficial e escritor do século XIV.[1]

Árvore genealógicaEditar

Segundo Steven Runciman, The Emperor Romanus Lecapenus and His Reign: A Study of Tenth-Century Byzantium, Apêndice IV:

Teofilacto Abactisto
Romano I Lecapeno (870–948),
imperador sênior 920–944
Teodora (morte em 922),
Augusta
Cristóvão Lecapeno (morte em 931),
coimperador júnior 921–931
Sofia, filha de NicetasEstêvão Lecapeno (910–963),
coimperador júnior 924–945
Ana Gabalaina,
Augusta
N. LecapenaRomano SaronitaTeofilacto Lecapeno (917–956),
Patriarca de Constantinopla 933–956
Helena Lecapena (morte em 961),
Augusta
Constantino VII (905–959),
imperador único 913–920 & 944–959,
coimperador júnior 920–945
Ágata LecapenaRomano ArgiroHelena, filha de AdrianoConstantino Lecapeno (912–946),
coimperador júnior 924–945
Teófano MamasN. LecapenaMusele
Pedro I,
Imperador búlgaro 927–969
Maria-Irene Lecapena (morte ca. 966)Romano LecapenoMiguel Lecapeno,
magistro and reitor
Romano Lecapeno,
sebastóforo
Romano Lecapeno,
patrício e eparca

Referências

  1. a b c Kazhdan 1991, p. 1203–1204.

BibliografiaEditar

  • Kazhdan, Alexander Petrovich (1991). The Oxford Dictionary of Byzantium. Nova Iorque e Oxford: Oxford University Press. ISBN 0-19-504652-8