Federação Geral dos Sindicatos da Coreia

A Federação Geral dos Sindicatos da Coreia (FGSC) (em coreano: 조선직업총동맹) é a única central sindical permitida na Coreia do Norte.[1] A FGSC foi formada em 30 de Novembro de 1945,[2] e o atual presidente de seu comitê central é Pak In-chol.[3]

Federação Geral dos Sindicatos da Coreia
(FGSC)
조선직업총동맹
Logótipo
Tipo Central sindical e organização de massas.
Fundação 30 de novembro de 1945 (77 anos)
Sede Pyongyang, Coreia do Norte
Membros 1.6 milhões (2003)
Línguas oficiais Coreano
Filiação Frente Democrática Para a Reunificação da Pátria, Federação Sindical Mundial
Presidente Pak In-chol

OrganizaçãoEditar

A FGSC chegou a contar com 2.4 milhões de membros em 1970[4] Durante a Guerra Fria, tinha duas vezes menos membros do que o Partido dos Trabalhadores da Coreia. Essa proporção era aberrante em comparação com outros países socialistas, evidenciando o papel menos central dos sindicatos na vida política norte-coreana.

De acordo com a Associação de Amizade com a Coreia de Portugal, a função da FGSC é "(Conduzir) a educação ideológica necessária para que os seus membros compreendam plenamente a ideia Juche e faz com que se tornem parte da construção socialista e da organização da economia socialista com a atitude digna dos mestres".[5] De acordo com o Departamento de Estado dos Estados Unidos, a federação é controlada diretamente pelo Comitê Central do PTC.[6] A federação publica o jornal Rodongja Sinmun. A FGSC também coordena manifestações em apoio ao governo norte-coreano e à reunificação das Coreias.[7]

A filiação na FGSC é obrigatória para trabalhadores e trabalhadoras a partir de 30 anos, desde que não sejam membros do PTC, filiados ao Sindicato dos Trabalhadores Agrícolas da Coreia ou filiados à União Socialista das Mulheres da Coreia.[1] Nacionalmente, a federação participa da Frente Democrática Para a Reunificação da Pátria. Internacionalmente, é filiada à Federação Sindical Mundial.

Sindicatos FiliadosEditar

Dois tipos de sindicato podem ser filiados à FGSC: os de empresas públicas norte-coreanas e os de empresas privadas estrangeiras.[6] Alguns dos maiores sindicatos membros da FGSC são:[1]

  • Sindicato da Engenharia e das Industrias Metalúrgicas da Coreia
  • Sindicato das Industrias Energéticas e Mineradoras da Coreia
  • Sindicato das Industrias Químicas da Coreia
  • Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos da Coreia
  • Sindicato das Construtoras da Coreia
  • Sindicato dos trabalhadores da Cultura e Educação da Coreia
  • Sindicato dos Trabalhadores de Transportes da Coreia

Referências

  1. a b c Yonhap, News Agency (2003). North Korea Handbook [Manual da Coreia do Norte] (em inglês). Seoul: East Gate. p. 389 
  2. «Political Parties and Public Organizations» [Organizações Públicas e Partidos Políticos]. Democratic People's Republic of Korea- official webpage of the DPR of Korea (em inglês). 2011. Consultado em 20 de setembro de 2021 
  3. «6th Session of the 13th SPA Held» [Realizada a 6ª sessão da 13ª APS]. North Korea Leadership Watch (em inglês). 14 de abril de 2018. Consultado em 20 de setembro de 2021 
  4. Grande Enciclopédia Soviética 3ª ed. ed. [S.l.: s.n.] 1970 
  5. «Partidos Políticos e Organizações Públicas». InfoCoreia. Fevereiro de 2017. Consultado em 20 de setembro de 2021 
  6. a b «Country Reports on Human Rights Practices for 2015» [Relatório das práticas de direitos humanos em países de 2015]. US Department of State (em inglês). 2015. Consultado em 20 de setembro de 2021 
  7. «Coreia do Norte é varrida por onda de manifestações». Centro de Estudos da Política Songun - Brasil. 19 de junho de 2020. Consultado em 20 de setembro de 2021