Female Chauvinist Pigs

Female Chauvinist Pigs: Women and the Rise of Raunch Culture ("Porcas Chauvinistas: Mulheres e a ascensão da cultura raunch")[1] (2005) é um livro escrito por Ariel Levy criticando a extrema sexualização da cultura popular americana, onde mulheres são objetificadas, objectificam umas às outras e são encorajadas a objetificar a si mesmas. Levy se refere a esse fenômeno como "cultura raunch" (raunch significando lascívia, vulgaridade).

Female Chauvinist Pigs: Women and the Rise of Raunch Culture
Autor(es) Ariel Levy
Assunto Feminismo, Cultura popular
Editora Free Press
Lançamento Agosto de 2005
Páginas 240
ISBN 0-7432-4989-5

RecepçãoEditar

O livro foi recebido com resenhas positivas em grandes jornais como The Guardian[2] e New York Times.[3] A repercussão também chegou ao Brasil, onde pouco após o lançamento do livro a Folha de S.Paulo publicou uma entrevista com a autora.[4]

Referências

  1. Ariel Levy, Female Chauvinist Pigs: Women and the Rise of Raunch Culture, Free Press, 2005, ISBN 0-7432-8428-3
  2. Gaby Wood. «Ariel Levy documents how porn has taken over American culture in Female Chauvinist Pigs. Where are the groundbreaking visions of Gloria Steinem and Betty Friedan, asks Gaby Wood» (em inglês). The Guardian. Consultado em 8 de julho de 2014 
  3. Jennifer Egan. «'Female Chauvinist Pigs': Girls Gone Wild» (em inglês). New York Times. Consultado em 8 de julho de 2014 
  4. Luciana Coelho. «Jornalista americana investiga sexualidade para consumo e obsessão feminina em parecer estrela pornô». Folha de S.Paulo. Consultado em 8 de julho de 2014