Abrir menu principal

Fenestra anterorbital

A fenestra anterorbital em relação às outras aberturas no dinossauro Massospondylus.

Fenestra anterorbital é uma abertura no crânio que está na frente da cavidade ocular. Essa característica craniana é largamente associada com arcossauros, aparecendo inicialmente no período Triássico. Em meio aos arcossauros existentes, Aves ainda possuem fenestras anterorbitais, enquanto crocodilianos as perderam. Acredita-se que a perda em crocodilianos esteja relacionada às necessidades estruturais em seus crânios para a força da mordida e comportamentos alimentares que eles utilizam.[1][2] Em algumas espécies de arcossauros, a abertura está fechada, mas sua localização ainda está caracterizada por uma depressão, ou fossa, na superfície do crânio chamada fossa anterorbital.

A fenestra anterorbital abriga um dos seios paranasais que é confluente com a cápsula nasal adjacente. Embora crocodilianos tenham fechado sua fenestra anterorbital, eles ainda mantêm um seio anterorbital.[3]

Em dinossauros terópodes, a fenestra anterorbital é a maior abertura no crânio. Sistematicamente, a presença da fenestra anterorbital é considerada uma sinapomorfia que une terópodes tetanúreos como um clado. Em contraste, a maioria dos dinossauros ornitísquios reduzem e até mesmo fecham sua fenestras anterorbitais[3] tal como em hadrossauros e em dinossauros do gênero Protoceratops. Esse fechamento distingue Protoceratops de outros dinossauros ceratopsianos.[4]

Veja tambémEditar

ReferênciasEditar

  1. Preuschoft, Holger; Witzel, Ulrich (Junho de 2002). «Biomechanical Investigations on the Skulls of Reptiles and Mammals». Senckenbergiana lethaea (em inglês). 82 (1): 207-222. doi:10.1007/BF03043785 
  2. Rayfield, E. J.; Milner, A.C.; Xuan, V. B.; Young, P. G (2007). «Functional Morphology of Spinosaur "Crocodile Mimic" Dinosaurs». Journal of Vertebrate Paleontology (em inglês). 27 (4): 892-901. doi:10.1671/0272-4634(2007)27[892:FMOSCD]2.0.CO;2. Consultado em 23 de fevereiro de 2016 
  3. a b Witmer, Lawrence M (16 de abril de 1997). «The Evolution of the Antorbital Cavity of Archosaurs: A Study in Soft-Tissue Reconstruction in the Fossil Record with an Analysis of the Function of Pneumaticity». Journal of Vertebrate Paleontology (em inglês). 17 (Supplement 001): 1-76. doi:10.1080/02724634.1997.10011027 
  4. Martin, Anthony J (2006). Introduction to the Study of Dinosaurs. Second Edition. (em inglês) 2 ed. Oxford: Blackwell Publishing. p. 299-300. ISBN 1-4051-3413-5