Abrir menu principal

Ferdinando Petruccelli della Gattina

Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde novembro de 2016). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ferdinando Petruccelli della Gattina
Nome completo Ferdinando Petruccelli della Gattina
Nascimento 28 de agosto de 1815
Moliterno, Basilicata
Morte 29 de março de 1890
Paris, Ilha de França
Nacionalidade Itália Italiano
Ocupação Jornalista, escritor

Ferdinando Petruccelli della Gattina (Moliterno, 28 de agosto de 1815 - Paris, 29 de março de 1890) foi um jornalista, escritor e politico italiano, considerado um dos jornalistas mais importantes do século XIX, mais conhecido como correspondente de guerra.

BiografiaEditar

Escreveu nos maiores jornais Italianos do tempo, como Omnibus, Salvator Rosa, Raccoglitore fiorentino e fundou Mondo vecchio e mondo nuovo, que foi censurado pelos frequentes ataques ao rei Fernando II.

De espírito leigo e republicano, foi forçado ao exílio pela revolução de 1848 contra la monarquia bourbônica. Refugiou-se em França, onde escreveu para jornais franceses e belgas como La Presse, Journal des débats, Indépendance Belge, Liberté, Paris Journal, Revue de Paris, Revue française.

Depois de participar ao lado dos republicanos contra el Golpe de Estado na França em 1851, fugiu para a Inglaterra, onde trabalhou por The Daily News, The Daily Telegraph e Cornhill Magazine.

Em 1861, foi eleito deputado para o Parlamento italiano e continuou a trabalhar para jornais e revistas como L'Unione, L'Opinione, Fanfulla della domenica, Cronaca bizantina e Nuova Antologia. Foi correspondente de guerra em Italia e França, descrevendo eventos como Expedição dos Mil, Segunda Guerra de Independência Italiana e Comuna de Paris.

Ele também foi o autor de vários romances, o mais famoso e criticado é Memorias de Judas (1867). Viveu o resto de sua vida na França com sua esposa Maude Paley-Baronet, uma escritora inglesa. Petruccelli della Gattina morreu em Paris, seu corpo foi cremado e enterrado em Londres.

Obras fundamentaisEditar

  • La rivoluzione di Napoli del 1848 (1850)
  • Storie arcane del pontificato di Leone XII, Gregorio XVI e Pio IX (1861)
  • I moribondi del Palazzo Carignano (1862)
  • Il Re dei Re, rifacimento dell'Ildebrando (4 voll., 1864)
  • Histoire diplomatique des conclaves (4 voll., 1864-1866)
  • Pie IX, sa vie, son règne, l'homme, le prince, le pape (1866)
  • Memorias de Judas (1867)
  • Le notti degli emigranti a Londra (1872)
  • Il re prega (1874)
  • Il sorbetto della regina (1875)
  • I suicidi di Parigi (1878)
  • Il conte di Saint-Christ (1880)

BibliografiaEditar

  • Emilio Giordano, Ferdinando Petruccelli della Gattina, Edilsud, Salerno, 1987
  • Giuseppe Santonastaso, Edgar Quinet e la religione della libertà, Dedalo, Bari, 1968
  Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.