Abrir menu principal

Fernando José Monteiro Guimarães

NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita referências, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2018). Ajude a inserir fontes confiáveis e independentes. Material controverso que esteja sem fontes deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Fernando José Monteiro Guimarães, C.Ss.R.
Arcebispo da Igreja Católica
Ordinariado Militar do Brasil

Título

Arcebispo Militar do Brasil
Hierarquia
Papa Francisco
Superior-Geral Pe. Michael Brehl, C.Ss.R.
Atividade Eclesiástica
Congregação Congregação do Santíssimo Redentor
Diocese Ordinariado Militar do Brasil
Nomeação 6 de agosto de 2014
Predecessor Dom Osvino José Both
Mandato 2014 -
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 15 de agosto de 1971
Floresta, Juiz de Fora, MG
Nomeação episcopal 12 de março de 2008
Ordenação episcopal 31 de março de 2008
Igreja de Santo Afonso de Ligório na Via Merulana em Roma
por Dom Frei Cláudio Cardeal Hummes, O.F.M.
Lema episcopal COR NOSTRUM ARDENS
o nosso coração arde
Nomeado arcebispo 6 de agosto de 2014
Brasão arquiepiscopal
Coat of arms of Fernando José Monteiro Guimarães.svg
Dados pessoais
Nascimento Recife,  Pernambuco
19 de julho de 1946 (72 anos)
Nacionalidade brasileiro
Funções exercidas - Bispo de Garanhuns (2008-2014)
dados em catholic-hierarchy.org
Arcebispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Dom Fernando José Monteiro Guimarães, C.Ss.R. (Recife, 19 de julho de 1946) é um bispo católico brasileiro. É o arcebispo do Ordinariado Militar do Brasil.

Índice

BiografiaEditar

Filho de Antônio Monteiro Guimarães e Judith Bacelar Guimarães foi batizado aos 27 de outubro de 1946 na Igreja da Torre, em Recife. Em 1958 ingressou no Seminário Menor dos Redentoristas em Garanhuns, onde permaneceu até 1961; no ano seguinte, até 1963 completou os estudos no Seminário Redentorista de Campina Grande. Depois do noviciado, emitiu a profissão religiosa na Congregação do Santíssimo Redentor no dia 25 de janeiro de 1965, cursando posteriormente as faculdades de Filosofia e Teologia no Seminário Maior Redentorista em Juiz de Fora, até 1969.onde foi ordenado presbítero De 1972 a 1980 excerceu o seu sacerdócio na Arquidiocese do Rio de Janeiro como assessor do Cardeal Dom Eugênio Sales; foi ainda membro do Colégio de Consultores e do Conselho Presbiteral da Arquidiocese.

Em 1980 chamado a Roma desempenhou diversas funções na Santa Sé. Em 1989 obteve o doutorado em Teologia Moral pelo Instituto Alfonsianum de Roma, e o mestrado em Direito Canônico pelo Ateneo Romano della Santa Croce. A partir do ano 2000 foi chefe do Departamento responsável pelo setor que se ocupa da vida e do ministério dos presbíteros no mundo da Congregação para o Clero, no Vaticano. Foi perito no Sínodo dos Bispos de 1990, sobre a Formação sacerdotal nas atuais circunstâncias.

Em 12 de março de 2008, foi nomeado Bispo de Garanhuns, pelo Papa Bento XVI. Foi ordenado bispo em 31 de março de 2008 pelas mãos do Cardeal Cláudio Hummes, Prefeito da Congregação para o Clero na Igreja de Santo Afonso de Ligório na Via Merulana em Roma. Foram concelebrantes dessa cerimônia o Cardeal Crescenzio Sepe, Arcebispo de Nápoles e Mons. Mauro Piacenza, Secretário da Congregação para o Clero. Tomou posse na Diocese de Garanhuns no dia 1 de junho de 2008.

No dia 25 de janeiro de 2010, o Papa Bento XVI, nomeou Dom Fernando José membro do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica.[1][2] Também excerce as seguintes funções: é membro da Comissão Especial para o estudo das causas de declaração de nulidade da Sacra Ordenação e da dispensa das obrigações do diaconato e do presbiterato; é consultor da Congregação para as Causas dos Santos e é juiz externo do Tribunal de Apelação do Vicariato de Roma.

No dia 06 de agosto de 2014, foi nomeado Arcebispo do Ordinariado Militar do Brasil, pelo Papa Francisco.

Lema e BrasãoEditar

COR NOSTRUM ARDENS (Nosso coração ardia): O lema é tirado do Evangelho de Lucas, que descreve o encontro de dois discípulos com o Ressuscitado, no caminho de Emaús. Após ter Jesus se revelado na partilha da Palavra e na fração do Pão, os discípulos se interrogaram e constataram que seu coração ardia pelo caminho enquanto ele conversava conosco (nonne cor nostrum ardens erat in nobis, dum loqueretur nobis... Lc 24, 32). A escolha destas palavras identifica a experiência pascal que o Bispo é chamado a viver como pastor: caminhar com a sua Igreja, partilhando a Palavra e repartindo a Eucaristia, revelando a presença do Cristo ressuscitado, que percorre conosco as estradas da vida, até o Emaús do céu. O coração da Igreja deve arder, porque Ele caminha conosco!

O coração ardente é, também, uma referência a Santa Teresinha, que escreveu: No coração da Igreja, minha Mãe, eu serei o Amor (Ms B, 3v).

BRASÃO: O Brasão azul, com escalão de prata, carregado com três rosas vermelhas, acompanhado por um monte de três cumes de ouro e uma estrela de sete pontas, de ouro, no cantão direito.

1. O azul simboliza o caminho das Virtudes que, através da renúncia ao que passa, impulsionam a Igreja rumo à realidade do Céu, dando testemunho da transcendência de Deus e da eternidade à qual somos todos chamados. Vejamos os elementos do Brasão:

2. O escalão é uma figura heráldica antiga que provavelmente simbolizava a trave principal do teto do edifício sob o qual se reunia a coletividade. Para os cristãos, ele representa a Igreja. O escalão é de prata, cor da transparência e, portanto, símbolo da Verdade revelada, transmitida pela Igreja. As três rosas simbolizam Santa Teresinha do Menino Jesus. Colocadas no centro do escalão, recordam as palavras da Santa: no coração da Igreja eu serei o Amor.

3. O monte é tirado do escudo da Congregação dos Missionários Redentoristas, na qual Dom Fernando Guimarães emitiu sua profissão religiosa. É de ouro, o metal mais nobre, símbolo portanto da . Com efeito, é graças à Fé que podemos compreender a mensagem de Amor e de Redenção que brota do Monte Calvário.

Sobre todo o escudo esplende radiosa a estrela de Maria, nossa Mãe Celeste, cuja luz ilumina o caminho da Igreja. A estrela de sete pontas encontra-se no véu que cobre a cabeça da Virgem, no ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, entregue pelo Beato Papa Pio IX aos Missionários Redentoristas. À proteção desta Mãe, Dom Fernando confia o seu ministério pastoral e a sua Diocese.

Precedido por
Dom Irineu Scherer
Bispo de Garanhuns
2008 - 2014
Sucedido por
Dom Paulo Jackson
Precedido por
Dom Osvino José Both
Arcebispo do Ordinariado Militar do Brasil
2014 - "atualidade"
Sucedido por
-

Referências

Ligações externasEditar