Fernando Lobo Leite Pereira

político brasileiro
Fernando Lobo
Senador por Minas Gerais
Período 1896 até 1898
Ministro da Justiça
Período 1892 até 1893
Presidente Floriano Peixoto
Antecessor Antônio Luís Afonso de Carvalho
Sucessor Alexandre Cassiano do Nascimento
Ministro das Relações Exteriores
Período 1891 até 1892
Presidente Floriano Peixoto
Antecessor Justo Leite Chermont
Sucessor Serzedelo Correia
Vice-presidente do Banco do Brasil
Período 1893 até 1895
Vice-presidente da Província de Minas Gerais
Período 1890
Dados pessoais
Nome completo Fernando Lobo Leite Pereira
Nascimento 8 de junho de 1851
Campanha, Província de Minas Gerais, Império do Brasil
Morte 20 de fevereiro de 1918 (66 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileiro
Alma mater Faculdade de Direito de São Paulo
Esposa Maria Barroso Lobo Leite Pereira
Filhos Ao menos dois; incluindo Hélio Lobo
Partido Partido Republicano Federal
Profissão Advogado, escritor, jornalista, político
[1][2][3]

Fernando Lobo Leite Pereira (Campanha, 8 de junho de 1851 — Rio de Janeiro, 20 de fevereiro de 1918) foi um escritor, jornalista e político brasileiro. Exerceu os cargos de senador da República por Minas Gerais, Ministro das Relações Exteriores e da Justiça no governo de Floriano Peixoto. Na eleição de 1898, foi candidato a vice-presidente da República, mas ficou em um distante segundo lugar.

Lobo era irmão de Américo Lobo Leite Pereira, ministro do Supremo Tribunal Federal, bem como pai do diplomata e escritor Hélio Lobo. Além dos cargos ocupados, Lobo atuou como advogado, escritor e jornalista.

Família e educaçãoEditar

Lobo era filho do comendador e professor Joaquim Lobo Leite Pereira e de Ana Leopoldina Lopes de Araújo.[1] Um de seus irmãos, Américo, exerceu cargos políticos antes de integrar o Supremo Tribunal Federal, de 1894 a 1903.[4] Era casado com Maria Barroso Lobo Leite Pereira.[1] Seu filho Hélio atuou como diplomata e embaixador, bem como membro da Academia Brasileira de Letras.[5]

Lobo estudou no Colégio São Bento, no Rio de Janeiro, e em seguida matriculou-se na Faculdade de Direito de São Paulo, de onde bacharelou-se em Ciências Jurídicas e Sociais em 1876.[1]

CarreiraEditar

Durante a faculdade, Lobo realizou ativismo pela instauração da República. Já formado, retornou à Minas Gerais e exerceu advocacia em Leopoldina; eventualmente se mudou para Juiz de Fora. Em 1890, foi designado vice-presidente da Província de Minas Gerais pelo recém instalado governo republicano. Foi um dos fundadores do Banco Popular de Minas Gerais, bem como seu primeiro presidente, em 1891.[1][6]

Em 1891, Lobo foi nomeado pelo presidente Floriano Peixoto como Ministro das Relações Exteriores. Permaneceu nesta função até o ano seguinte, quando Peixoto o designou como Ministro da Justiça.[7]

De 1893 a 1895, Lobo foi vice-presidente do Banco do Brasil.[1] Em 1895, exerceu brevemente o cargo de presidente do banco, em caráter interino.[8] Após recusar um convite para ser nomeado a uma vaga no Supremo Tribunal Federal, foi nomeado senador da República em 1896, no lugar de Joaquim Felício dos Santos.[1]

Na eleição de 1898, Lobo foi o candidato a vice-presidente na chapa liderada por Lauro Sodré. Com o apoio do Partido Republicano Federal, Lobo recebeu 40.629 votos, ante 412.074 votos de Francisco de Assis Rosa e Silva.[1][9] Logo depois, renunciou ao seu assento no Senado e passou a dedicar-se exclusivamente ao exercício da advocacia em Juiz de Fora.[1]

Em 1908, Lobo foi eleito presidente do Banco de Crédito Real de Minas Gerais S.A. Em 1914, tornou-se diretor da Carteira Comercial do Banco do Brasil.[1]

Referências

  1. a b c d e f g h i j Vanessa Lana (2008). «LOBO, Fernando» (PDF). Fundação Getúlio Vargas. Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  2. «Fernando Lobo». Senado Federal. 2020. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  3. «Fernando Lobo Leite Pereira». Brasiliana Fotográfica. 2020. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  4. «Americo Lobo Leite Pereira». Supremo Tribunal Federal. 2020. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  5. «HELIO LOBO LEITE PEREIRA». Fundação Getúlio Vargas. Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  6. Vera Lúcia do Lago Souza (2006). «ATHENAS DO SUL DE MINAS ENTRE A MEMÓRIA E A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO: PRÁTICAS E REPRESENTAÇÕES DAS ELITES DE CAMPANHA – 1870/1930» (PDF). Universidade Estadual de Campinas. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  7. «Fernando Lobo Leite Pereira». Arquivo Nacional. 13 de novembro de 2018. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  8. «BANCO DO BRASIL – RELAÇÃO DOS PRESIDENTES (DESDE 1853)» (PDF). Associação de Aposentados e Pensionista do Banco do Brasil. 2016. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  9. «Eleição para Presidente em 1898». Duplipensar. Consultado em 3 de agosto de 2020 

Ligações externasEditar

Precedido por
Justo Leite Chermont
Ministro das Relações Exteriores do Brasil
1891 — 1892
Sucedido por
Serzedelo Correia
Precedido por
José Higino Duarte Pereira
Ministro do Interior do Brasil
1892
Sucedido por
Alexandre Cassiano do Nascimento
Precedido por
Francisco Rangel Pestana
Presidente do Banco do Brasil
(interino)

1895
Sucedido por
Afonso Augusto Moreira Pena