Abrir menu principal

Wikipédia β

Fernando dos Santos (pintor)

Disambig grey.svg Nota: Se procura outras referências de Fernando Santos, veja Fernando Santos (desambiguação).

Fernando dos Santos (Setúbal, 14 de julho de 18921965) foi um pintor e autor teatral português, que recebeu o Prémio Gil Vicente em 1954 e o o Prémio Bordalo (1963).

Placa colocada na casa onde nasceu

Índice

BiografiaEditar

Fernando Santos nasceu em 14 de Julho de 1892, em Setúbal.[1][2]

Estudou na Escola Industrial Rainha D. Amélia de Setúbal e realizou o curso de Pintura na Escola de Belas-Artes de Lisboa.[3]

Em 1929, pelo quadro Bocage, Fernando dos Santos recebeu o Prémio Rocha Cabral, atribuído pelo Conselho de Arte e Arqueologia da Academia Nacional de Belas Artes de Lisboa, juntamente com Leopoldo Neves de Almeida e Domingos Rebelo.[4]

No teatro, a peça Prémio Nobel valeu-lhe em 1954, juntamente com Leitão de Barros e Almeida Amaral, o Prémio Gil Vicente do Secretariado Nacional de Informação.[5]

O texto Prémio Nobel seria editada 1955 pela Empresa Nacional de Publicidade (Lisboa), registando como autores Fernando Alves dos Santos, José de Almeida Amaral e José Júlio Marques Leitão de Barros.[6]

Fernando Santos recebeu o Prémio Bordalo (1963), ou Prémio da Imprensa, na categoria "Teatro de Revista", a par de Nelson de Barros como autores, tendo a Casa da Imprensa em 1964 que também distinguido nesta categoria os actores Aida Baptista e José Viana e a Companhia de Hermes Portela.[7]

Em 1959 foi feito Comendador da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada, a 2 de maio.[carece de fontes?][8]

Fernando Santos morreu em 1965.[1]

ObrasEditar

PinturaEditar

  • Bocage e as Musas
  • Casario Junto à Serra de Sintra

TeatroEditar

Referências

  1. a b «Registo de batismo de Fernando Santos». Arquivo Distrital de Setúbal. 1 de Julho de 2013. Consultado em 17 de Fevereiro de 2014 
  2. a b «Ficha de Pessoa : "Fernando Santos"». Centro de Estudos de Teatro & Tiago Certal. 1 de Setembro de 2011. Consultado em 19 de setembro de 2017 
  3. Envia, João Francisco (2003). Setubalenses de Mérito. Setúbal: a. ISBN 972-97298-4-0 .
  4. Academia Nacional de Belas Artes (1879–1964). «ANBA : Documentos relativos à concessão de prémio». Ficheiro "m0764". Arquivo Nacional / Torre do Tombo. Consultado em 26 de setembro de 2017 
  5. a b Moura, Nuno Costa (2007). «Apêndice 2 : Prémios Gil Vicente (entre 1935 E 1962)». "Indispensável dirigismo equilibrado" : O Fundo de Teatro entre 1950 e 1974 : (Volume II) (PDF) (Tese de Mestrado). Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. p. 36, 37. Consultado em 18 de maio de 2016 
  6. OCLC 14470354. Consultado em 19 de setembro de 2017
  7. «Prémios Bordalo». Em 1963 denominado "Prémio da Imprensa". Presumido que "Fernando Santos" é "Fernando dos Santos". Sindicato dos Jornalistas. 22 de janeiro de 2002. Consultado em 26 de setembro de 2017 
  8. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Análise do resultado da busca de "Fernando dos Santos". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 19 de setembro de 2017 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.