Abrir menu principal

Festa do Divino Espírito Santo de Pirenópolis

A Festa do Divino de Pirenópolis, ou Festa do Divino Espírito Santo de Pirenópolis é um evento cultural do município brasileiro Pirenópolis. A Festa do Divino de Pirenópolis foi registrada como Patrimônio cultural imaterial brasileiro, reconhecido pelo IPHAN, em 15 de abril de 2010. Esta festa acontece nas segundas

Festa do Divino de Pirenópolis
Mastrodivino noname.jpg
Levantamento do mastro
Categoria: Celebrações
Data de Registro: 13/05/2010
Nº de Processo: 01450.000715/2010-15
Cidade: Pirenópolis, Goiás
Órgão: IPHAN

Com duração de doze dias, tem seu ápice no Domingo do Divino, cinquenta dias após a Ressurreição. Mesclada de festejos religiosos e profanos, é constituída de Novena, folias, procissão, missa, roqueira, mascarados, cavalhadas, pastorinhas, congadas, e apresentação de outros grupos folclóricos.

Imperador do DivinoEditar

 
Adão R. Imperador do Divino de 2008, ostentando a Coroa no Cortejo no dia de Pentecostes.
 Ver artigo principal: Imperador do Divino

A presença do Imperador, figura central da Festa, bem como sua corte, faz representar o Rei e a Corte lisbonense, com toda sua pompa. O trajeto feito da casa do Imperador à Igreja, para hora da Missa, quando o Imperador vai dentro do quadro formado por quatro varas e segurado nas pontas por quatro virgens, é também um resquício, do que, outrora , se fazia na corte de Lisboa

CoroaçãoEditar

A solenidade é precedida de uma Procissão que leva à Igreja o Imperador, cujo mandato está vencendo. Há celebração de missa ou realização de cerimônia simples. Após a pregação, o padre convida o Imperador do ano, juntamente com o que promoverá a festa do ano seguinte, a se aproximarem do Altar. Ali, o padre depois de dá - lá a beijar, aos dois, coloca-se sobre a cabeça do novo Imperador. É um momento de tristeza para o imperador que sai, e de regozijo para o que entra.

Coroa e cetroEditar

 Ver artigo principal: Coroa do Divino

Ambos em pura prata. Foram mandados fazer em 1826 pelo Padre Manuel Amâncio da Luz, quando Imperador.

MascaradosEditar

 
Mascarados de Pirenópolis, GO.

Grupo de Pessoas que saem montados a cavalo fazendo algazarras e brincadeiras pela cidade.

CavalhadasEditar

 Ver artigo principal: Cavalhadas de Pirenópolis
 
Rei Cristão e cavaleiros.

Representação da Luta entre Mouros e Cristãos na idade média. Encenada em Pirenópolis desde 1826.

SolenidadeEditar

 
Levantamento do mastro, em Pirenópolis, na 190ª Festa do Divino em 2008.

A escolha do Imperador é feita por sorteio. Todos os Pirenopolinos que se julgam em condições de realizar a festa podem se inscrever. Não se faz distinção entre ricos e pobres. Se rico, promove a festa com suas posses, se pobre, com a ajuda do povo. Não há limite de vezes para uma pessoa ser Imperador, bastando ser sorteada, inclusive várias pessoas já o foram por duas ou três vezes.

Ligações externasEditar