Festa popular

dia em que se descansa do trabalho devido a celebração civil ou religiosa
(Redirecionado de Festas populares)

Uma festa popular pode ser definida como uma manifestação popular, cuja intensidade ultrapasse os limites de uma atividade festiva individual, abrangendo a coletividade em festas realizadas em diversos países com manifestações diferentes.

Feriados globais

editar

A celebração do Ano Novo é um feriado comum em todas as culturas há pelo menos quatro milênios.[1] Tais feriados normalmente celebram o último dia de um ano e a chegada do ano seguinte em um sistema de calendário. Nas culturas modernas que usam o calendário gregoriano, a celebração de Ano Novo abrange a véspera de Ano Novo em 31 de dezembro e o Dia de Ano Novo em 1 de janeiro. No entanto, outros sistemas de calendário também têm celebração de Ano Novo, como o Ano Novo Chinês e o Tet vietnamita.[2] O Dia de Ano Novo é o feriado público mais comum, observado por todos os países que usam o calendário gregoriano, exceto Israel.[3]

O Natal é um feriado popular em todo o mundo devido à propagação do cristianismo. O feriado é reconhecido como feriado em muitos países da Europa, Américas, África e Australásia e é comemorado por mais de 2 bilhões de pessoas.[4] Embora seja um feriado com origens religiosas, o Natal é frequentemente celebrado por não-cristãos como um feriado secular.[5] Por exemplo, 61% dos britânicos celebram o Natal de forma totalmente secular.  O Natal também se tornou uma tradição em alguns países não cristãos. Por exemplo, para muitos japoneses, tornou-se costume comprar e comer frango frito no Natal.[6][7]

Feriados recentemente inventados comemoram uma série de questões sociais e políticas modernas e outros tópicos importantes. As Nações Unidas publicam uma lista de Dias e Semanas Internacionais. Um desses dias é o Dia Internacional da Mulher, em 8 de março, que celebra as conquistas e campanhas das mulheres pela igualdade de gênero e pelos direitos das mulheres.[8] O Dia da Terra tem sido celebrado por pessoas em todo o mundo desde 1970, com 10 000 eventos em 2007. É um feriado que marca os perigos dos danos ambientais, como a poluição e a crise climática.[9]

Festas nacionais e regionais

editar

São muitas manifestações realizadas e baseadas em fatos e atos populares normalmente incentivadas pelo governo e até mesmo oficializadas, pois grande parte delas homenageia fatos marcantes do país, do estado ou da região.[10][11]

Exemplos de festas nacionais e regionais

editar
  • Dia da bandeira - Patriótica incentivada pelos governos, na forma de um ato de louvar a bandeira.
  • Dia da independência - Uma manifestação nacional, conduzida ao rumo nacionalista com fulcro na liberdade de ação.
  • Dia ou evento comemorativo - Mais para comemorar uma data importante a nível qual quer por exemplo dia do contador no Brasil.
  • Dia de Reis - é uma celebração tradicional da Igreja Católica que é celebrada no dia 6 de janeiro. Essa festa católica relembra a viagem dos reis magos para encontrar e homenagear Jesus.

Feriados seculares comuns

editar

Outros feriados seculares são observados regionalmente, nacionalmente e em várias regiões de vários países. O Calendário de Observâncias das Nações Unidas dedica décadas a um tópico específico, mas também a um ano, mês, semana e dias completos. Feriados dedicados a uma observância, como a comemoração do fim da Segunda Guerra Mundial, ou a Shoah, também podem fazer parte da obrigação de reparação, de acordo com a Resolução 60/147 da Assembleia Geral das Nações Unidas Princípios e Diretrizes Básicas sobre o Direito a Reparação e Reparação para as Vítimas de Graves Violações do Direito Internacional dos Direitos Humanos e Graves Violações do Direito Internacional Humanitário.[12]

Outro exemplo de um grande feriado secular é o Ano Novo Lunar, que é celebrado em todo o Leste Asiático e Sudeste Asiático. Muitos outros dias são marcados para celebrar eventos ou pessoas, mas não são estritamente feriados, pois o tempo de folga raramente é dado; exemplos incluem o Dia da Árvore (originalmente EUA), o Dia do Trabalho (celebrado às vezes com nomes diferentes e em dias diferentes em diferentes países) e o Dia da Terra (22 de abril).[12]

Feriados religiosos

editar

Muitos feriados estão ligados a crenças e religiões. Os feriados cristãos são definidos como parte do ano litúrgico, sendo os principais a Páscoa e o Natal. A festa patronal cristã ortodoxa e católica ocidental-romana ou "dia do nome" são celebrados no dia do santo padroeiro de cada lugar, de acordo com o Calendário dos santos. As Testemunhas de Jeová comemoram anualmente "O Memorial da Morte de Jesus Cristo", mas não celebram outros feriados com qualquer significado religioso, como a Páscoa, o Natal ou o Ano Novo. Isso vale especialmente para aqueles feriados que combinaram e absorveram rituais, conotações ou práticas de crenças não cristãs na celebração, bem como aqueles feriados que distraem ou substituem a adoração a Jeová. No Islã, os maiores feriados são o Eid al-Fitr (imediatamente após o Ramadã) e o Eid al-Adha (no final do Hajj). Os muçulmanos Ahmadi também celebram o Dia do Messias Prometido, o Dia do Reformador Prometido e o Dia de Khilafat, mas, ao contrário da crença popular, nenhum deles é considerado feriado. Hindus, jainistas e sikhs observam vários feriados, sendo um dos maiores o Diwali (Festival da Luz). Os feriados japoneses, bem como alguns feriados católicos, contêm referências pesadas a várias religiões e crenças diferentes. Os feriados celtas, nórdicos e neopagãos seguem a ordem da Roda do Ano. Por exemplo, ideias natalinas como decorar árvores e cores (verde, vermelho e branco) têm ideias muito semelhantes à Wicca moderna (uma crença pagã moderna) Yule, que é um Sabbat menor da roda do ano. Alguns estão intimamente ligados às festividades suecas. A Fé Bahá'í observa 11 feriados anuais em datas determinadas usando o calendário Bahá'í. Os judeus têm duas temporadas de férias: as Festas da Primavera de Pessach (Páscoa) e Shavuot (Semanas, chamado de Pentecostes em grego); e as Festas de Outono de Rosh Hashaná (Chefe do Ano), Yom Kipur (Dia da Expiação), Sucot (Tabernáculos) e Shemini Atzeret (Oitavo Dia de Assembleia).[13][14][15]

Comemorações não oficiais

editar

Não são tradicionalmente marcados nos calendários. Estes feriados são celebrados por vários grupos e indivíduos. Alguns promovem uma causa, outros reconhecem eventos históricos não reconhecidos oficialmente e outros são feriados "engraçados" celebrados com intenção humorística. Por exemplo, o Dia do Macaco é comemorado em 14 de dezembro, o Dia Internacional do Pirata é comemorado em 19 de setembro e o Dia da Blasfêmia é celebrado em 30 de setembro. Outros exemplos são o Dia da Mentira, em 1º de abril, e o Dia Mundial Sem Tabaco, em 31 de maio. Vários organizadores da comunidade e profissionais de marketing promovem feriados estranhos nas redes sociais.[16]

Referências

  1. «New Year's». HISTORY (em inglês). 16 de fevereiro de 2010. Consultado em 27 de dezembro de 2022 
  2. Crump, William D. (25 de abril de 2014). Encyclopedia of New Year's Holidays Worldwide (em inglês). [S.l.]: McFarland. ISBN 978-0-7864-9545-0 
  3. «New Year's Day around the world in 2023». Office Holidays (em inglês). Consultado em 27 de dezembro de 2022 
  4. «Christmas Day around the world». Office Holidays Blog (em inglês). 19 de dezembro de 2022. Consultado em 27 de dezembro de 2022 
  5. «How Britons celebrate Christmas and Easter | YouGov». yougov.co.uk (em inglês). Consultado em 27 de dezembro de 2022 
  6. Kate Springer. «How KFC became a Christmas tradition in Japan». CNN (em inglês). Consultado em 27 de dezembro de 2022 
  7. Barton, Eric. «Why Japan celebrates Christmas with KFC». www.bbc.com (em inglês). Consultado em 27 de dezembro de 2022 
  8. «International Women's Day 2023 campaign theme: Embrace Equity». International Women's Day (em inglês). Consultado em 27 de dezembro de 2022 
  9. «Earth Day Timeline». HISTORY (em inglês). Consultado em 27 de dezembro de 2022 
  10. CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do Folclore Brasileiro. 12. ed. São Paulo: Global, 2012. 756 p. [1. ed., Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro, 1954. 660p.]
  11. TANI, Alice. Festas e calendários. São Paulo: Editora Unesp, 2003. [1]
  12. a b «Basic Principles and Guidelines on the Right to a Remedy and Reparation for Victims of Gross Violations of International Human Rights Law and Serious Violations of International Humanitarian Law». 2005 
  13. Watchtower Bible and Tract Society of Pennsylvania. Reasoning from the Scriptures. Watchtower, 1985, pp. 176–182
  14. Keck, Kristi (2009). «Heated Debate Again over 'War on Christmas' Claims». CNN 
  15. «UK | Winterval gets frosty reception». BBC News. 9 de novembro de 1998 
  16. «Lists of holidays». Wikipedia (em inglês). 14 de março de 2024. Consultado em 17 de março de 2024