Abrir menu principal

Festival Eurovisão da Canção 1967

(Redirecionado de Festival Eurovisão da Canção (1967))
Festival Eurovisão da Canção 1967
Áustria no Festival Eurovisão da Canção Áustria
ESC 1967 Logo.jpg
Logótipo da edição.
Edição
12.ª edição
Datas
Final 8 de abril de 1967
Anfitrião
Local Großer Festsaal der Wiener Hofburg, Viena
Apresentador(es) Áustria Erica Vaal
Diretor Áustria Herbert Fuchs
Maestro Áustria Johannes Fehring
Supervisor executivo Reino Unido Clifford Brown
Transmissão ORF logo.svg ORF
Atuações
Atuações nos intervalos O Danúbio Azul, pelos Wiener Sängerknaben (ou Coral dos Meninos de Viena)
Participantes
Número de entradas 17 países
Países estreantes Nenhum
Países de regresso Nenhum
Países de saída Dinamarca no Festival Eurovisão da Canção Dinamarca
Mapa dos países participantes
Predefinição:Info/Eurovisão/Festival Eurovisão da Canção 1967

     Países que já escolheram o seu artista e/ou canção     Países que não se classificaram para a final     Países que participaram no passado mas não em 1967

Votação
Sistema de
voto
A votação baseou-se em 10 júris por país que atribuíram 1 ponto cada à canção que mais lhes agradou.
Votos nulos Suíça no Festival Eurovisão da Canção Suíça
Vencedor(a) Reino Unido no Festival Eurovisão da Canção Reino Unido
Sandie Shaw
"Puppet on a String"
Cronologia
Fleche-defaut-gauche-gris-32.png  1966 Wiki Eurovision Heart (Infobox).svg 1968  Fleche-defaut-droite-gris-32.png

O Festival Eurovisão da Canção 1967 (em inglês: Eurovision Song Contest 1967, em francês: Concours Eurovision de la chanson 1967 e em alemão: Großer Preis der Eurovision 1967) foi o 12º Festival Eurovisão da Canção e realizou-se a 8 de Abril de 1967, em Viena, Áustria. Erica Vaal foi a apresentadora do evento que foi ganho por Sandie Shaw que representou o Reino Unido com a canção "Puppet on a String". A canção de Luxemburgo, "L'amour est bleu", cantada por Vicky Leandros, ficou em quarto lugar, embora ainda se tornou o maior sucesso internacional da Eurovisão de 1967, e um ano depois seria um grande sucesso instrumental para o músico francês, Paul Mauriat, sob a versão em Inglês, "Love is Blue".

Portugal enviou a canção "O vento mudou" que foi interpretada por Eduardo Nascimento, o primeiro cantor negro na história do Festival Eurovisão da Canção, a primeira cantora negra fora Milly Scott, curiosamente no ano anterior, 1966. Surgiram imediatamente rumores de que a escolha de Eduardo Nascimento para representar Portugal era uma forma de Salazar mostrar à Europa que não era racista, mostrando também que Portugal era um país multirracial.

A Dinamarca optou por não participar e deixou a competição, para retornar em 1978. A razão foi que o novo diretor para o departamento de entretenimento de TV da DR pensava que o dinheiro poderia ser gasto de uma maneira melhor.[1]

Índice

LocalEditar

 Mais sobre a cidade anfitriã: Viena

O Festival Eurovisão da Canção 1967 ocorreu em Viena, na Áustria. Viena é a capital da Áustria, centro cultural e político do país. É também um dos nove estados (Bundesland Wien); com 1.681.469 habitantes, era em 2008 o mais populoso deles, ainda que seus 414 km² façam dele o menor, sendo também a maior cidade sobre o rio Danúbio. Viena é cercada pelo Estado da Baixa Áustria. A sua aglomeração urbana tem 2,3 milhões de habitantes. Segundo a pesquisa "Qualidade de Vida no Mundo 2007", realizada pela consultoria de recursos humanos Mercer, Viena é a melhor cidade do mundo para viver-se, seguida por: Zurique, Genebra, Vancouver e Auckland.

O festival em si realizou-se no Großer Festsaal der Wiener Hofburg. O Palácio de Hofburg foi construído entre o século XIII e o século XIX, e foi a residência vienense dos Habsburgos. Atualmente, serve como residência oficial do Presidente da Áustria.

FormatoEditar

A configuração do palco foi um pouco incomum este ano. A orquestra foi colocada na parte esquerda, os artistas na parte direita. O pano de fundo atrás dos artistas consistia em três espelhos giratórios que começavam a rodar no início de cada música e paravam no final de cada música. O quadro de votação foi colocado à direita do palco.

250 milhões de espetadores assistiram a esta edição, com a então província de Angola a acompanhar atentamente o festival. Na falta de televisores, as estações de rádio locais passaram todas as músicas da Eurovisão, em disco, pela ordem em que atuaram em Viena. Depois da votação, as rádios depressa deram a notícia da classificação..[2]

VisualEditar

O vídeo introdutório começou com um tiro fixo num dos grandes lustres da prefeitura, antes de desvendar o palco e a orquestra, que começou a tocar várias músicas conhecidas. Depois, o maestro Johannes Fehring, passou para Udo Jürgens, que dirigiu a orquestra com o instrumental de "Merci, Chérie", organizado em valsa.

Erica Vaal abriu o festival apresentando em 7 línguas: alemão, francês, inglês, italiano, castelhano, russo e polaco. Conclui a sua mensagem com as palavras: "Que são as melhores e mais belas canções que ganham, este é o nosso desejo!", arrependendo-se também de não ter tido tempo de aprender a língua de outros países, mas certamente a encontraria quando a competição fosse novamente organizada em Viena.

Pela primeira vez, legendas foram usadas: os títulos das músicas foram legendados em alemão, inglês e francês.[3]

Para o intervalo, a ÖRF decidiu oferecer o que Viena poderia fazer de melhor: interpretar Johann Strauss, o rei da valsa que, na voz Coral dos Meninos de Viena, interpretam a mais famosa das suas valsas, o Danúbio Azul, mas também Land der Berge, Land am Strome, o hino nacional da Áustria.

A apresentadora, Erika Vaal terminou o programa por felicitar a vencedora, e despedindo-se em várias línguas, dizendo que "A música não conhece fronteiras". Esta foi a última edição a ser transmitida em preto e branco.

VotaçãoEditar

Mais uma vez os países votaram pela mesma ordem à da sua actuação, algo que foi feito aparentemente para acelarar o espetáculo, pois os países a actuar não podiam (nem podem) atribuir pontos a si mesmo, sendo assim poderiam acabar a sua votação a tempo de serem os primeiros a serem chamados. O sistema de votação foi o mesmo utilizado em edições anteriores, em que cada país tinha um júri composto por dez membros, e cada um desses dez jurados atribuiam um ponto à sua canção preferida.

O supervisor delegado pela UER foi, mais uma vez, Clifford Brown, que teve que intervir quatro vezes para que os votos dos júris monegasco, jugoslavo, italiano e irlandês fossem corrigidos.

Pela primeira vez, imagens da sala que depois se tornaria conhecida como green room foram exibidas, com a aparição de vários artistas, como Sandie Shaw, Therese Steinmetz, Peter Horten a assinar um autógrafo para um jovem corista e Kirsti Sparboe, com um dos Meninos de Viena ao colo.

A apresentadora confundiu-se durante a votação para declarar vitória britânica antes de ouvir os votos do último júri. Clifford Brown teve que intervir pela quinta e última vez: "Ainda esperando pelo voto irlandês". Erica Vaal pediu desculpas e ligou para Dublin. O porta-voz do júri irlandês respondeu às suas saudações com estas palavras: "Eu pensei que íamos ficar de fora". A plateia então aplaudiu calorosamente. Mas no final o resultado não se alterou após a última votação e o Reino Unido acabou por se sagrar campeão, com mais do dobro dos pontos que a Irlanda, o segundo classificado.[4] Em adição, o quadro de votações avariou-se durante a votação do voto de Mónaco, e as pontuações começaram a ser exibidas incorretamente, depois corrigidas.

Participações individuaisEditar


ParticipantesEditar

 
  Países participantes

A música luxemburguesa, interpretada por Vicky Leandros nos seus primórdios, seria a música com mais sucesso. O mais famoso é a versão instrumental da orquestra de Paul Mauriat, que chegou a número um nos Estados Unidos.[5]

O representante português, Eduardo Nascimento, como já referido, foi o primeiro artista de origem angolana e o primeiro artista negro a participar no concurso.

A representante britânica, Sandie Shaw, foi a primeiro artista na história da competição a cantar descalça no palco. Shaw viria a revelar que não gostava da música que fez dela a vencedora da edição.[6]

A participação monegasca marcaria o regresso de Serge Gainsbourg à Eurovisão, depois de ganhar pelo Luxemburgo em 1965 com "Poupée de cire, poupée de son". O maestro monegasco, Aimé Barelli, não era mais do que o pai do intérprete, Minouche Barelli.

País Título original da Canção Artista Processo Data da Selecção
Tradução em Português Idiomas de Interpretação
  Áustria "Warum es hunderttausend Sterne gibt" Peter Horton Seleção interna -
Porque é que existem 100.000 estrelas Alemão
  Alemanha "Anouschka" Inge Brück Deutsche Vorentscheidung 1967 11 de março de de 1967
Anouschka Alemão
  Bélgica "Ik Heb Zorgen" Louis Neefs Canzonissima-finale 1967 25 de fevereiro de 1967
Eu tenho preocupações Holandês
  Espanha "Hablemos del amor" Raphael Selecção Interna de 1967 -
Falemos de amor Castelhano
  Finlândia "Varjoon - suojaan" Fredi Euroviisut 1967 11 de fevereiro de de 1967
Para a sombra - para segurança Finlandês
  França "Il doit faire beau là-bas" Noëlle Cordier Sélection française 1967 -
O tempo deve estar bom aí Francês
  Irlanda "If I Could Choose" Sean Dunphy Irish Final 1967 12 de fevereiro de 1967
Se eu pudesse escolher Inglês
  Itália "Non andare più lontano" Claudio Villa Seleção Interna -
Não vás para muito longe Italiano
  Jugoslávia "Vse rože sveta" Lado Leskovar Pjesma Eurovizije 1967 19 de fevereiro de 1967
Todas as flores do mundo Esloveno
  Luxemburgo "L'amour est bleu" Vicky Leandros Selecção Interna -
O amor é azul Francês
  Mónaco "Boum-Badaboum" Minouche Barelli Selecção Interna -
Boum-Badaboum Francês
  Noruega "Dukkemann" Kirsti Sparboe Melodi Grand-Prix 1967 25 de fevereiro de 1967
Boneco Norueguês
  Países Baixos "Ring-dinge-ding" Thérèse Steinmetz Nationaal Songfestival 1967 22 de fevereiro de 1967
Ring-Ding-A-Ding Holandês
  Portugal "O vento mudou" Eduardo Nascimento Grande Prémio TV da Canção Portuguesa 1967 25 de Fevereiro de 1967
O vento mudou Português
  Reino Unido "Puppet on a String" Sandie Shaw A Song For Europe 1967 25 de fevereiro de 1967
Marioneta Inglês
  Suécia "Som en dröm" Östen Warnerbring Melodifestivalen 1967 24 de fevereiro de 1967
Como um sonho Sueco
  Suíça "Quel cœur vas-tu briser?" Géraldine Finale Svizzero 1967 21 de janeiro de 1967
Que coração vais tu partir? Francês

FestivalEditar

# País Idioma Artista Canção Tradução Lugar Pontos
  Países Baixos Holandês Thérèse Steinmetz "Ring-dinge-ding" Ring-Ding-A-Ding 14º 2
  Luxemburgo Francês Vicky Leandros "L'amour est bleu" O amor é azul 17
  Áustria Alemão Peter Horton "Warum es hunderttausend Sterne gibt" Porque é que existem 100.000 estrelas 14º 2
  França Francês Noëlle Cordier "Il doit faire beau là-bas" O tempo deve estar bom aí 20
  Portugal Português Eduardo Nascimento "O vento mudou" O vento mudou 12º 3
  Suíça Francês Géraldine "Quel cœur vas-tu briser?" Que coração vais tu partir? 17º 0
  Suécia Sueco Östen Warnerbring "Som en dröm" Como um sonho 7
  Finlândia Finlandês Fredi "Varjoon - suojaan" Para a sombra - para segurança 12º 3
  Alemanha Alemão Inge Brück "Anouschka" Anouschka 7
10º   Bélgica Holandês Louis Neefs "Ik Heb Zorgen" Eu tenho preocupações 8
11º   Reino Unido Inglês Sandie Shaw "Puppet on a String" Marioneta 47
12º   Espanha Castelhano Raphael "Hablemos del amor" Falemos de amor 9
13º   Noruega Norueguês Kirsti Sparboe "Dukkemann" Boneco 14º 2
14º   Mónaco Francês Minouche Barelli "Boum-Badaboum" Boum-Badaboum 10
15º   Jugoslávia Esloveno Lado Leskovar "Vse rože sveta" Todas as flores do mundo 7
16º   Itália Italiano Claudio Villa "Non andare più lontano" Não vás para muito longe 11º 4
17º   Irlanda Inglês Sean Dunphy "If I Could Choose" Se eu pudesse escolher 22

ResultadosEditar

A ordem de votação no Festival Eurovisão da Canção 1967, foi a seguinte:[7]

 
  Vencedor
  2º classificado
  3º classificado
Países Votantes Países Pontuados
                                 
  Países Baixos 4 1 1 2 1 1
  Luxemburgo 2 5 1 1 1
  Áustria 1 3 1 2 3
  França 1 7 1 1
  Portugal 1 1 1 1 1 1 2 1 1
  Suíça 1 1 7 1
  Suécia 4 1 1 1 1 2
  Finlândia 2 1 3 2 2
  Alemanha 2 1 3 4
  Bélgica 1 1 3 1 1 3
  Reino Unido 1 2 2 1 1 1 2
  Espanha 1 1 5 2 1
  Noruega 2 1 7
  Mónaco 1 2 3 2 2
  Jugoslávia 1 1 4 1 1 1 1
  Itália 3 1 1 2 1 1 1
  Irlanda 1 2 1 2 1 1 1 1
Total 2 17 2 20 3 0 7 3 7 8 47 9 2 10 7 4 22
Lugar 14º 14º 12º 17º 12º 14º 11º 2
Países Votantes                                  
Países Pontuados


MaestrosEditar

Em baixo encontra-se a lista de maestros que conduziram a orquestra, na respectiva actuação de cada país concorrente.

País Maestro
  Países Baixos Dolf van der Linden
  Luxemburgo Claude Denjean
  Áustria Johannes Fehring
  França Franck Pourcel
  Portugal Armando Tavares Belo
  Suíça Hans Möckel
  Suécia Mats Olsson
  Finlândia Ossi Runne
  Alemanha Hans Blum
  Bélgica Francis Bay
  Reino Unido Kenny Woodman
  Espanha Manuel Alejandro
  Noruega Øivind Bergh
  Mónaco Aimé Barelli
  Jugoslávia Mario Rijavec
  Itália Giancarlo Chiaramello
  Irlanda Noel Kelehan
Maestro anfitrião Johannes Fehring

Artistas repetentesEditar

Em 1967, os repetentes foram:

País (1967) Foto Artista Ano Anterior País Representado Canção Tradução Pontuação Classificação
  Itália   Claudio Villa ESC 1962 Itália "Addio, addio" Adeus, adeus 3
  Noruega   Kirsti Sparboe ESC 1965 Noruega "Karusell" Carrossel 1 13º
  Espanha   Raphael ESC 1966 Espanha "Yo soy aquél" Eu sou aquele 9

TransmissãoEditar

Os canais de televisão responsáveis pela difussão do concurso quer via televisão, quer via rádio foram as seguintes cadeias televisivas:

Referências

  1. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome thorsson
  2. https://cronicaseurofestivais.blogspot.com/2013/09/a-eurovisao-e-o-festival-da-cancao-na_21.html
  3. KENNEDY O’CONNOR John, The Eurovision Song Contest. 50 Years. The Official History, Londres, Carlton Books Limited, 2005, p.30.
  4. UER. «Eurovision Song Contest 1967» (em inglés) 
  5. FEDDERSEN Jan & LYTTLE Ivor, Congratulations. 50 Years of The Eurovision Song Contest. The Official DVD. 1956-1980, Copenhague, CMC Entertainement, 2005, p.12.
  6. «Eurovision Song Contest 1967». EBU. Consultado em 15 de junho de 2012 
  7. A ordem de votação foi efectuada através da visualização de vídeos da edição do festival, à semelhança de outras secções deste artigo

NotasEditar

  • Os mapas presentes neste artigo, respeitam as fronteiras geográficas estabelecidas na altura em que o festival ocorreu.

Ligações externasEditar

O Commons possui imagens e outras mídias sobre Festival Eurovisão da Canção 1967