Abrir menu principal

Festival de Artes de Areia

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Festival de Artes de Areia
Período de atividade 1976, 1977, 1978, 1979, 1980, 1981, 1982, 1998, 1999, 2005, 2008, 2011
Local(is) Areia, Paraíba
Data(s) 14 a 18 de setembro
Página oficial http://www.festivaldeareia.pb.gov.br

O Festival Artes de Areia é um festival de mostras de artes e debates sobre cultura que acontece em Areia, no estado da Paraíba. O evento é realizado pela Secretaria de Estado da Cultura, órgão ligado a administração direta do Governo da Paraíba.

HistóriaEditar

 
O Casarão José Rufino abriga as exposições de artes plásticas durante o festival

A 1ª edição do Festival aconteceu pela primeira vez em 1976. A ideia de promover um espaço de discussões sobre arte e política foi proposta pelo escritor e então deputado estadual Eilzo Matos. A propositura recebeu apoio dos demais parlamentares, além de importantes intelectuais paraibanos como José Américo de Almeida e Virginius da Gama e Melo. Pela cidade passaram importantes nomes como Ziraldo, Henfil, Lindurte Noronha, Dias Gomes, Jorge Amado, Vladimir Carvalho, Raul Córdula, Ferreira Gullar e João Ubaldo Ribeiro.

Em 1982 o evento foi interrompido por se caracterizar como importante espaço de aglutinação política de correntes progressistas. Posteriormente, com o declínio do regime autoritário e a ascensão do Estado democrático, o Festival de Artes de Areia sofreu com a descontinuidade, sendo realizado apenas em 1998 [1]..

EdiçõesEditar

1976 - 1ª edição
1977 - 2ª edição
1978 - 3ª edição
1979 - 4ª edição
1980 - 5ª edição
1981 - 6ª edição
1982 - 7ª edição
1998 - 8ª edição
1999 - 9ª edição
2005 - 10ª edição (23 a 27 de novembro)
2008 - 11ª edição (5 a 9 de novembro)
2011 - 12ª edição (14 a 18 de setembro)

RetomadaEditar

Em março de 2011, o governador da Paraíba Ricardo Coutinho anunciou a retomada do Festival, designando à recém-criada Secretaria de Estado da Cultura o papel de produzir o 12º Festival de Artes de Areia. Com o retorno do evento ao calendário artístico-cultural do Nordeste, a proposta é que a partir deste ano a realização volte a ser anual [2].

A 12ª ediçãoEditar

O 12º Festival de Artes de Areia vai homenagear sete artistas paraibanos em reconhecimento ao valor artístico e contribuição à cultura paraibana e nacional. Recebem homenagensAriano Suassuna (literatura), Major Palito (circo), Hermano José (artes plásticas), Vania Perazzo (cinema), José Enoch (dança), Fernando Teixeira (teatro) e Genival Lacerda (música).

Espaços do festivalEditar

  • Centro Social Pio XII
  • Centro Social Padre Ibiapina
  • Teatro Minerva
  • Colégio Santa Rita
  • Colégio José Américo
  • Igreja do Rosário
  • Palco Principal (Calçadão João Cardoso)
  • Circo
  • Casarão José Rufino
  • Espaço de Artes Horácio de Almeida

Programação de TeatroEditar

  • Oficina “Princípios básicos para o ator” (Duílio Cunha)
  • Mesa “A cena da Paraíba” (Fabíola Moraes, Duílio Cunha, Buda Lira e Chico Oliveira)
  • Cartas de Rodez (Grupo Amok)
  • Flor de Macambira (Grupo Ser tão Teatro)
  • Esparrela (Grupo Bigorna)
  • Torturas de um coração (Grupo Oficina)
  • O Mundo Fantástico de Zing (Grupo Gameleira)

Programação de CircoEditar

  • Oficina “Clown” (Luis Carlos Vasconcelos)
  • Oficina “Evoluções aéreas e de solo – Técnicas circenses” (Trupe Arlequin)
  • Mesa “O circo tradicional e o circo contemporâneo” (Luis Carlos Vasconcelos, Ismar Pompeu, Simone Alves, Diocélio Barbosa e Thaysa Cabral)
  • Silêncio Total (Palhaço Chuchu)
  • Circo Arlequin (Trupe Arlequin)
  • Kakurrara - A história do teatro (Companhia de Teatro Mambembe)
  • Circo Família Vidal (Família Vidal)

Programação de MúsicaEditar

  • Oficina “Reflexões sobre a identidade musical nordestina na pós-modernidade” (Erivan Araújo)
  • Oficina “Percussão” (Escurinho)
  • Mesa “Paraíba afora, a música paraibana em outros eixos, identidades, tradições e traduções” (Chico César, Fernanda Cabral, Cátia de França e Erivan Araújo)
  • Zé Ramalho
  • Genival Lacerda & Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba
  • Amazan
  • Cátia de França
  • Escurinho
  • Quarteto de Trombones
  • Quinteto da Paraíba
  • Fernanda Cabral
  • Jackson Envenenado + DJ Mustafá + VJ João Faissal
  • Tadeu Mathias
  • Sex on the Beach + DJ Alcides + VJ Spencer
  • Toninho Borbo
  • Junior Cordeiro + DJ Guirraiz + VJ Carlos Downling

Programação de DançaEditar

  • Oficina “Dança Tribal” (Kilma Farias)
  • Oficina “Dança Contemporânea” (Joyce Barbosa)
  • Mesa “Dança em formação: perspectiva de educação e formação” (Guilherme Schulze, Ângela Navarro, Joyce Barbosa e Valmir Vant Vaz)
  • A outra face (Grupo Vivarte The Boys)
  • Caravana (Companhia Lunay)
  • Universo Feminino, Solo Masculino do Corsário, Solo Feminino de Coppélia, Girassol, For Life (Ballet da UEPB)
  • Ethnotron - Ghetto Experiment (Tribo Éthnos)
  • O Jogo da Vida, uma mistura de ritmos (The Crazy Dance)
  • Odalisca do Corsário e Variação de Paysant (Studio Fernanda Barreto)
  • Dois Cânticos e Uma Canção (Paralelo Cia de Dança)

Programação de Cultura PopularEditar

  • Mesa “De Repente Cordel” (Oliveira de Panelas, Bráulio Tavares e Manuel Monteiro)
  • Jessier Quirino
  • Oliveira de Panelas
  • Caiana dos Crioulos
  • Filarmônica Abdon Felinto Milanêz
  • Índios Tabajaras
  • Índios Potiguaras
  • Congos Pombal
  • Grupo de Tradições Folclóricas Moenda
  • Samba de Coco do Mestre Zé Zuca
  • Mazurca de Monteiro
  • Capoeira Angola dos Palmares
  • Reisado de Zabelê
  • Salão de Artesanato Paraibano

Programação de LiteraturaEditar

  • Oficina “Literatura, Carpintaria e Criação Literária”(Janaína Azevedo)
  • Ariano Suassuna
  • Mesa “Fundamentos da literatura paraibana: da ensaística à literatura no litoral e Campina Grande” (Lourdes Luna, José Octávio, Astier Basílio e José Mário da Silva)
  • Mesa “Decadência, cangaço e açudismo na literatura do Brejo, Cariri e Sertão” (José Mario da Silva, Janaína Azevedo, José Avelar Freire, Nadja Claudino, Daniel Duarte e Carlos Gildemar Pontes)
  • Mesa “Regionalismo e novas tendências da literatura paraibana” (Romeu de Carvalho, Bráulio Tavares, Fidélia Cassandra, Sérgio de Castro Pinto e Valberto Cardoso)
  • Lançamento do livro “O Festival de Artes - Areia - PB" (Programa Monumenta/IPHAN)
  • Debate sobre o patrimônio histórico e cultural de Areia
  • Lançamentos de livros do Sebo Cultural, Livaria Lesco-Lesco, Emerson Devid e Bruno Gaudêncio.
  • Lançamento do livro “Komus a uma só voz” (Silvia Perazzo) e de publicações da Academia Paraibana de Letras (Hildeberto Barbosa).
  • Lançamentos de livros da Academia Paraibana de Cinema, UNIPÊ, EDUEP, Sebo Catalivro, Wills Leal, Valberto Cardoso e Fundação Ernani Satyro.

Programação de Artes PlásticasEditar

  • "Memórias de Areia: Simeão Leal, José Rufino e Pedro Américo" (José Rufino, Madalena Zaccara e Bernardina Freire)
  • Oficina "Artes Plásticas Infantil" (Luiz de Farias Barroso)
  • Oficina "Obra Coletiva" (José Rufino)
  • Vernissage da exposição "José Simeão Leal, Homem de Cultura"
  • Lançamento: “Pedro Américo de Figueiredo e Mello: um artista brasileiro do século XIX” (Prof.ª Madalena Zaccara)
  • Intervenção artística em grafite "Arte no Muro" (Gigabrow, Jailson Múmia, Ítalo Sponja e Marcelo Lopes)
  • Exposição “Simeão Leal, Homem de Cultura” (Bernardina Freire)
  • Exposição “A arte de Mike Deodato” (Mike Deodato)
  • Exposição “Zé Ramalho” (Aurílio Santos)
  • Exposição “Artistas de Areia – 2011” (Severino Ramos, João Carlos Oliveira, José Felipe dos Santos, Delzo Ribeiro, Walfredo de Brito e Ricardo Soares)
  • Exposição “Grandes nomes da Paraíba” (Josafá de Orós)
  • Exposição “Projetos Multimídias”

- Mayara Silveira (Alma não tem cor) - Katarina Castro (Mira) - Mariana Fechine (Mataji’s) - Anderson Marcos (Ex Posição) - Arôdo Filho (Donas de casa) - Hiannay Tupiara (Nua) - Sara de Farias (Fotocubo) - Clarissa Santos (Uma máscara de mil faces)

Programação de AudiovisualEditar

  • Oficina "Introdução ao audiovisual" (Lúcio César)
  • Mesa “O cinema paraibano em perspectiva: de onde vem e pra onde vai a produção cinematográfica atual na Paraíba” (Vladimir Carvalho, Arthur Lins, Marcélia Cartaxo, Torquato Joel e José Dhiones)
  • Mostra “Micro projetos Audiovisual”

- Antoninha, de Laércio Ferreira de Oliveira
- A Caixa d’água do sertão, de Diassis Pires
- As folhas, de Deleon Souto
- Metafísica, de Eduardo Gomes dos Santos
- Olhar particular, de Paulo Roberto de Souza
- Travessia, de Kennel Rógis

  • Mostra Audiovisual

- Zé Ramalho, o Herdeiro de Avôhai, de Elinaldo Rodrigues
- O rei da munganga, de Carolina Paiva
- Radegundis Feitosa, de Arthur Lins

  • Mostra “Festival Ver e Fazer Filmes 2010”

- A Espera no Quintal, de Emidio Josine
- Tempo-de-Criança, de Tambla Almeida
- Contracorrente, de Paulo Roberto de Souza
- Escrito nas Telhas, de Jorge Rocha
- Cicatrizes, de Manuel Narciso “Tonton”
- Irmãs, de Gian Orsini

CuriosidadesEditar

  • Foi o primeiro festival de caráter nacional realizado na Paraíba.
  • Na década de 1970 era possível cruzar com grandes nomes da cultura nacional pelas ruas de Areia. Segundo relatos de participantes da época, era comum encontrar Henfil tomando café numa padaria local.

Notas e referências

  1. «Areia: Importância de um festival é revista em pesquisa de jornalista». Jornal Correio da Paraíba. 14 de abril de 2009. Consultado em 21 de agosto de 2011 
  2. «Reflexão sobre arte e cultura». Jornal A União. 21 de agosto de 2011. Consultado em 21 de agosto de 2011