Abrir menu principal

Figueirense Futebol Clube

(Redirecionado de Figueirense FC)
Disambig grey.svg Nota: Para outros clubes de nome Figueirense, veja Figueirense (desambiguação).

Figueirense Futebol Clube, mais conhecido como Figueirense e popularmente como Figueira, é um clube de futebol brasileiro da cidade de Florianópolis, capital do estado de Santa Catarina. Fundado em 12 de junho de 1921 na região central de Florianópolis, suas cores são o preto e o branco.

Figueirense
Figueirense.png
Nome Figueirense Futebol Clube
Alcunhas Figueira
Alvinegro
Furacão do Estreito
Máquina do Estreito
Gigante do Estreito
Esquadrão de Aço
Orgulho do Estado
Torcedor/Adepto Alvinegros
Mascote Furacão
Principal rival Avaí
Fundação 12 de junho de 1921 (98 anos)
Estádio Orlando Scarpelli
Capacidade 19.584[1]
Localização Florianópolis, Brasil
Presidente Francisco de Assis Filho (interino)
Treinador Márcio Coelho
Patrocinador Saladices
Brahma
Unimed
Liderança Serviços
Natusvita Suplementos
Material (d)esportivo Topper
Competição Copa do Brasil
Brasileirão - Série B
Campeonato Catarinense
Copa Santa Catarina
Recopa Catarinense
Website figueirense.com.br
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

É o segundo time mais antigo de Santa Catarina em atividade. Décadas mais tarde após sua fundação, o Figueirense mudou-se para a região continental de Florianópolis, no bairro do Estreito, onde construiu o Estádio Orlando Scarpelli. Na década de 30, o clube atingiu um dos seus auges com a conquista de cinco títulos do Campeonato Catarinense. Após um longo período sem conquistas estaduais nas décadas de 50 e 60, o Figueirense voltou a se consagrar campeão estadual em 1972 e 1974, época em que teve as suas primeiras participações na elite do Campeonato Brasileiro. O Figueirense se firmou nos principais campeonatos de futebol do Brasil no início do Século XXI, quando se consolidou na disputa da Série A e foi vice-campeão da Copa do Brasil de 2007.

O Furacão do Estreito, como também é conhecido, é um dos clubes mais bem-sucedidos no futebol de Santa Catarina, com 18 títulos do Campeonato Catarinense e o maior número de participações de um clube catarinense na elite do Campeonato Brasileiro. O Figueirense detém o melhor aproveitamento, com 50,9%, e a maior série de invencibilidade de um clube de Santa Catarina na Série A, com 14 jogos sem perder, ambos no Campeonato Brasileiro de 2011. Também é o clube catarinense com maior número de participações na Copa do Brasil e na Copa Sul-Americana. No futebol, é considerado pela imprensa catarinense como um dos cinco grandes clubes do estado, junto com o Avaí, Criciúma, Joinville e Chapecoense. O Figueirense possui uma antiga e intensa rivalidade com o Avaí, com quem disputa o Clássico de Florianópolis.

Seu maior ídolo é Fernandes, maior artilheiro da história do clube, com 108 gols, e terceiro jogador que mais atuou pelo time, com 403 partidas, atuando pelo Figueira entre os anos de 1999 e 2012.

HistóriaEditar

O Início dos anos de 1920Editar

A ideia de fundar uma agremiação esportiva, foi atribuída a um jovem esportista chamado Jorge Albino Ramos. O próximo passo foi conseguir a simpatia de amigos. Balbino Felisbino da Silva, Domingos Joaquim Veloso e João Savas Siridakis também assumiram a ideia.

O nome Figueirense foi sugerido por João Savas Siridákis. Esse nome foi defendido, pois a maioria das reuniões que tratavam da fundação da futura agremiação ocorria na localidade da Figueira, situada nas imediações das ruas Conselheiro Mafra, Padre Roma e adjacências.

O dia 12 de junho de 1921 foi definido como a data de fundação do Figueirense. Uma residência localizada na rua Padre Roma foi cedida para a reunião de inauguração. Foram escolhidos os seguintes nomes para compor a primeira diretoria: presidente - João dos Passos Xavier; vice-presidente - Heleodoro Ventura; primeiro secretário - Balbino Felisbino da Silva; segundo secretário - Jorge Felisbino da Silva; primeiro tesoureiro - Jorge Albino Ramos; segundo tesoureiro - Jorge Araújo Figueiredo; orador - Trajano Margarida; guarda-esporte - Higino Ludovico da Silva. Com as cores preto e branco, que foi a preferência da maioria.

Os nomes de todos os fundadores: Alberto Moritz, Agenor Dutra, Balbino Felisbino da Silva, Bruno José Ventura, Carlos Honório da Silva, Dario Silva, Dilgidio Dutra Filho, Domingos Veloso, Heleodoro Ventura, Higino Ludovivo da Silva, João dos Passos Xavier, João Lobo, João Savas Siridákis, João Soares, Joaquim Manoel Fraga, Jorge Albino Ramos, Jorge Araújo Figueiredo, Jorge Silva, Leopoldo Silva, Manoel Noronha, Manuel Xavier, Pedro Francisco Neves, Pedro Xavier, Raymundo Nascimento, Trajano Margarida, Walfrido Silva e Wlisses Carlos Tolentino.

Década de 1930Editar

A Década de 1930 é lembrada como a melhor década, com o maior número de títulos num espaço de dez anos. O Figueirense tornou-se campeão de todos os campeonatos de que participou em 1932: Torneio Início, Campeão da Cidade de Florianópolis e Campeão Estadual. Alcançou novamente o título máximo da cidade em 1933. Tornou-se mais uma vez campeão citadino e estadual em 1935 e conquistou o seu terceiro campeonato estadual em 1936. Em 1937 e em 1939, obteve os títulos de campeão citadino e estadual.

Um jogador esteve presente em todas as conquistas dos anos 1930: Carlos Moritz, conhecido como Calico. Ele foi o jogador que por mais tempo vestiu a camisa do Figueirense, sendo também recordista de títulos pelo alvinegro e um dos seus principais goleadores.

No jogo decisivo do campeonato estadual de 1939, Figueirense 5 a 3 Pery Ferroviário (Mafra), quatro irmãos atuaram pelo Figueirense. Eram os irmãos Moritz: Calico, Décio, Nery e Sidney.

Década de 1940Editar

A Década de 1940 também foi marcante na história do alvinegro, o clube passou a ser reconhecido também por "esquadrão de aço" e "furacão do estreito".

Em 1941 o clube repetiu o feito de 1932 sagrando-se campeão do Torneio Início, Campeonato da Cidade e Campeonato Estadual.

Em 1947, 1948 e 1949 também aconteceram os títulos do Torneio Início de Florianópolis.

No dia 28 de outubro de 1935, o empresário e desportista Orlando Scarpelli, durante a vigência de seu mandato como presidente do clube, doava oficialmente ao Figueirense a área de terra onde hoje encontra-se construído o Estádio que leva seu nome.

Em 1949, começaram os trabalhos da construção da praça de esportes do alvinegro. Em Setembro daquele ano, foram lançados títulos patrimoniais com vistas à arrecadação de recursos destinados ao início das obras.

Um ano depois, em setembro de 1948, tiveram início as obras de construção do Estádio do Figueirense.

Década de 1950Editar

Nos anos de 1950, o Figueirense conquistou três torneios inícios (1950, 1951 e 1959) e cinco campeonatos da cidade (1950, 1954, 1955, 1958 e 1959), além do Vice-Campeonato estadual de 1950.

A falta de conquista de títulos estaduais nesta década está diretamente vinculada à escassez de recursos financeiros. A prioridade era a construção do estádio. Neste período, as obras de implantação da praça de esportes entraram em ritmo acelerado.

Em 20 de julho de 1951, o Figueirense venceu seu maior rival, o Avaí por 1 a 0 no jogo que marcou a inauguração do sistema de iluminação do Estádio Adolfo Konder. Bráulio foi o autor do gol que entrou para a história.

Também em 1951, o Figueirense tornou-se campeão invicto em uma série de amistosos com clubes paranaenses, o Torneio de Paranaguá.[2]

Década de 1960Editar

A década de 1960 iniciou-se com boas notícias. Em 12 de junho de 1960, no aniversário de trinta e nove anos do clube, acontecia a inauguração parcial do Estádio do Figueirense, com a realização do primeiro jogo: Figueirense 1 a 1 Clube Atlético Catarinense.

O Figueirense sagrou-se campeão de dois Torneios Início (1961 e 1962) e de um campeonato da cidade (1965). As divisões de base obtiveram excelente performance neste período. Em 1961 os juvenis do alvinegro sagraram-se campeões invictos, feito este repetido nos dois anos seguintes, resultando em 1963 na conquista do tricampeonato da cidade.

Década de 1970Editar

Em 1970, na administração de José Nilton Szpoganicz, a Figueira foi incorporada ao distintivo do clube.

Em 1973, o Figueirense conquistou a vaga para o campeonato nacional de clubes, tornando-se o primeiro clube catarinense a representar Santa Catarina na competição.

Em 15 de agosto de 1973, num jogo festivo contra o Vitória, Bahia, foram entregues as obras de expansão e melhoramentos do Estádio Orlando Scarpelli, capacitando-o a sediar os jogos válidos pelo Campeonato Nacional.

Nos anos 1970, o Figueirense conquistou dois títulos estaduais (1972 e 1974) e obteve, em 1975, a melhor performance de um clube catarinense em Campeonato Brasileiro nesta década, passando para a Segunda Fase do Nacional e terminando a competição em 21º lugar.

Década de 1980Editar

Durante esta década, o Figueira obteve dois vice-campeonatos estaduais (1983 e 1985), tendo conquistado as taças Mané Garrincha (Primeiro Turno do Campeonato Estadual de 1983) e José Leal Meirelles (Segundo Turno do Campeonato Estadual de 1985). Em 1987, disputou o campeonato estadual da Segunda Divisão. Tendo se destacado muito nos anos 80 o atacante Albeneir, ídolo do clube.

Em 1985, o "Furacão do Estreito" disputou a Taça de bronze, e obteve uma das melhores performances dentre as suas participações em campeonatos nacionais, classificando-se para o triangular final, terminando na terceira colocação do certame.

Década de 1990Editar

Após o vice-campeonato de 1993, o Figueirense, sagrou-se campeão catarinense de 1994.

Em 1995, o Figueirense foi campeão do Torneio Mercosul em cima do Joinville.

Em 1999, quando o clube já usava o seu novo modelo de gestão, com ênfase à reorganização e modernidade administrativa, o alvinegro, na administração de José Carlos da Silva, que negociou a vinda do meio-campo Fernandes, o craque e ídolo alvinegro, que todos já conhecem pelo seu futebol qualificado e por sua superação na carreira. No mesmo ano, o clube conquistou o seu 10º título do Campeonato Catarinense, fazendo a final contra o seu maior rival, o Avaí.

Em 1999, a Associação Amigos do Figueirense (ASFIG) adquire um terreno destinado a implantação do Centro de Treinamento do Figueirense, localizado no município de Palhoça, a 20Km do Estádio Orlando Scarpelli.

Década de 2000Editar

Em junho de 2000, em meio às comemorações dos 79 anos de fundação do clube, é inaugurada a primeira etapa de obras do Centro de Formação e Treinamento do Cambirela (CT).

Em 2001, o Furacão fez uma bela campanha na Série B do Campeonato Brasileiro e foi Vice-Campeão da competição.

Em 2002, conquistou o seu 11ª título do Campeonato Catarinense e fez sua estreia na Série A, o clube teve uma série de superações durante a competição terminando o campeonato na 17ª posição sob o comando de Muricy Ramalho.

Em 2003, foi bicampeão catarinense. No mesmo ano contratou Cléber Américo da Conceição, carinhosamente chamado de Clebão e o centro-avante Evair.

Em 2004, os meias Fernandes e Sergio Manoel fazem uma bela dupla no estadual e no brasileiro comandados por Dorival Júnior, conquistando o Tri-campeonato Catarinense.

Em 2005, foram colocadas cadeiras em todo o Estádio Orlando Scarpelli, junto com outras reformas e melhorias, que estão sendo feitas desde a década passada. Contratou Edmundo, o Animal, uma das maiores contratações da história do clube e de Santa Catarina, também foi nesses dois anos que o clube foi comandado por Adílson Batista.

Em 2006, ganhou o Campeonato Catarinense em uma vitória histórica de 3 a 0 sobre o Joinville, e conquistou a melhor colocação de um clube catarinense na história do Campeonato Brasileiro, a 7ª posição.

Em 2007, o Figueirense chegou até a final da Copa do Brasil porém perdeu o jogo decisivo no Orlando Scarpelli por 1 a 0 após empatar com o Fluminense no Rio de Janeiro em 1 a 1.

Em 2008, o clube venceu de forma invicta o Primeiro Turno do Campeonato Catarinense e no segundo turno fez uma campanha razoável por já estar garantido na final, porém perdeu confrontos diretos importantes que foram decisivos, e não levou o título antecipadamente. Na final enfrentou o Criciúma, vencendo o primeiro jogo por 1 a 0, em casa, dependendo apenas do empate no jogo de volta. Acabou perdendo por 3 a 1 e o jogo foi para a prorrogação, onde o Figueirense venceu por 1 a 0 e sagrou-se campeão do estado de Santa Catarina pela 6ª vez em 9 anos, e pela primeira vez em sua história levantou a Taça no estádio do adversário. No final do ano o clube foi rebaixado à Série B do Campeonato Nacional. Neste mesmo ano, o Figueirense foi campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior, em cima do Rio Branco em uma vitória de 2 a 0.

Em 2009, o clube tentou retornar à primeira divisão do Campeonato Brasileiro, mas ficou na 6ª colocação.

Década de 2010Editar

Em 2010, o Figueirense ficou com a 3º colocação no Campeonato Estadual. Com uma campanha vitoriosa na Série B do Campeonato Brasileiro deste mesmo ano, o clube logrou retornar à 1ª Divisão do futebol nacional, conquistando a vaga no dia 13 de novembro de 2010 após uma vitória do Bahia que impediu o quinto colocado de o alcançar. Na última rodada, o Figueirense derrotou por 4 a 2 o Paraná e sagrou-se vice-campeão do Campeonato Brasileiro da Série B de 2010, repetindo o feito de 2001. No dia 19 de junho de 2010 Fernandes passou Calico, que tinha 94 gols, e na goleada por 6 a 1 sobre o CFZ Imbituba, no estádio Ninho da Águia, marcou o quinto gol do time, seu 99º com a camisa do Figueira, em jogo válido pela Copa Santa Catarina.

Em 2011, o Figueirense montou um de seus melhores elencos da história e fez a sua melhor campanha numa Série A de Campeonato Brasileiro sob o comando do técnico Jorginho, ficando em 7º lugar com 58 pontos.

Em 2012, o clube vivenciou um de seus piores anos, perdendo a final do Campeonato Catarinense para o seu maior rival, o Avaí, e sendo rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro no mesmo ano.

Em 2013, o Furacão do Estreito voltou a elite do Campeonato Brasileiro, conquistando a 4º vaga no dia 30 de novembro de 2013 após um empate em 1 a 1 contra o Bragantino em Bragança Paulista, sendo o primeiro clube fora do Clube dos 13, que subiu no ano seguinte em que foi rebaixado.

Em 2014, no dia 13 de abril o Figueirense sagrou-se campeão do Campeonato Catarinense no Estádio Orlando Scarpelli, conquistando o seu 16º título pelo placar de 2 a 1 em cima do Joinville. Nesse mesmo ano foi o melhor entre os 3 times Catarinenses no Campeonato Nacional da Primeira divisão, ficando em 13ª lugar com 47 pontos, conseguindo assim sua permanência na elite do futebol Brasileiro.

Em 2015, o clube alvinegro teve uma ótima campanha no Campeonato Catarinense de 2015 terminando com apenas 3 derrotas em todo campeonato e chegando à final da competição. Disputou a final com o Joinville, que obteve o direito de jogar a partida de volta em sua casa e a vantagem de resultados iguais por ter terminado em 1º lugar no Hexagonal Final. As duas partidas terminaram empatadas em 0 a 0, dando o título ao Joinville. Porém, devido à escalação de forma irregular do jogador André Krobel na última partida pelo Hexagonal Final contra o Metropolitano, o clube tricolor foi denunciado e julgado pelo TJD-SC, sendo punido por unanimidade com a perda de 4 pontos, o que daria a vantagem e consequentemente o título ao Figueirense. O Joinville recorreu ao Pleno do TJD-SC, sendo novamente votado pela sua punição. Não convencido, recorreu em última instância ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que novamente decidiu pela perda de pontos e indicou o Figueirense como campeão catarinense. O Joinville ainda assim entrou com um embargo à decisão, porém perdeu novamente e o Pleno do STJD recomendou que a Federação Catarinense de Futebol (FCF) homologasse o título ao Figueira em até 3 dias úteis.[3] Com esse título, o Furacão se tornou o clube mais vezes campeão de Santa Catarina, com um total de 17 conquistas, ultrapassando o seu maior rival Avaí, que também teria 16 títulos.

Ainda em 2015, o Furacão do Estreito conseguiu chegar as quartas de finais da Copa do Brasil, sendo eliminado pela equipe do Santos. Terminou a Serie A do Campeonato Brasileiro em 16ª lugar com 43 pontos, conseguindo assim sua permanência na elite do futebol Brasileiro, consequentemente rebaixando o seu maior rival Avaí para a Série B.

Em 2016, o Figueirense ficou em 4° lugar no Campeonato Catarinense, estreou o seu time na Primeira Liga de 2016, sendo eliminado na fase de grupos ficando em 6° lugar, na Copa Sul Americana foi eliminado na segunda fase pelo Flamengo, na Copa do Brasil foi eliminado na terceira fase pela Ponte Preta, no Campeonato Brasileiro fez uma campanha irregular terminando em 18° lugar, assim sendo rebaixado a Série B de 2017

Em 8 de agosto de 2017, o Conselho Deliberativo do clube aprovou uma parceria que transforma o Figueirense em um clube-empresa.

Ainda em 2017, o Figueirense foi eliminado na primeira fase da Copa do Brasil, ficou em 8° colocado no Campeonato Catarinense e ainda fazia a pior campanha de sua história na Série B do Campeonato Brasileiro, na era dos pontos corridos, ficando em 12° lugar.

Em 2018, no dia 8 de abril, o Figueirense foi campeão do Campeonato Catarinense. Venceu a Chapecoense por 2 a 0 em uma final de jogo único na Arena Condá, em Chapecó. Foi o 18º título estadual do clube.

Também em 2018, o Figueirense conseguiu novamente estabelecer uma marca, pelo segundo ano consecutivo fez a pior campanha de sua história na Série B do Campeonato Brasileiro, na era dos pontos corridos, ficando em 15° colocado, apenas 3 pontos na frente da zona de rebaixamento.

O ano de 2019 foi bastante conturbado para a equipe alvinegra, vários meses de salários e outros pagamentos atrasados para o elenco profissional, comissão técnica, categorias de base e funcionários em geral e, com isso, resultou em um w.o. numa partida válida pela Série B do campeonato nacional. Essa crise foi noticiada pelo mundo inteiro, onde até o treinador, campeão europeu e mundial, Pep Guardiola citou o Figueirense em uma entrevista dando seu apoio aos jogadores.

Em julho de 2019, o Figueirense obteve a conquista da Recopa Catarinense, competição que é disputada entre o vencedor do Campeonato Catarinense de Futebol e o vencedor da Copa Santa Catarina.

Ainda em 2019, dia 20 de setembro, o contrato de clube-empresa foi rompido.

No final do ano de 2019, o Figueirense, após estar com uma probabilidade de mais de 90% de rebaixamento e também um w.o., conseguiu se manter na segunda divisão do Campeonato Brasileiro.

ClássicosEditar

Figueirense versus AvaíEditar

 Ver artigo principal: Clássico de Florianópolis

O primeiro clássico a decidir um título ocorreu em 1924, quando o Figueirense venceu o Avaí por 1 a 0 e sagrou-se Campeão do Torneio Início daquele ano.

Figueirense e Avaí decidiram o Campeonato Catarinense em três oportunidades: em 1975, quando o campeão foi o Avaí, em 1999, quando o Figueirense levou o título e em 2012 quando o Avaí foi campeão. As duas equipes já se enfrentaram duas vezes pela Série B do Campeonato Brasileiro e, em 2001, chegaram juntas ao quadrangular final da Série B. O Figueirense terminou em segundo lugar e conseguiu o acesso à Série A. O Avaí ficou em quarto. Em 2011, disputaram pela primeira vez juntos uma edição do Campeonato Brasileiro - Série A em pontos corridos, com o Figueirense terminando em 7º e o Avaí em 20º, na última colocação. Em 2013, pela Série B, foi vencendo um clássico contra o Avaí na Ressacada por 4 a 0 que o Figueirense iniciou uma arrancada rumo ao seu retorno à elite, tirando a vaga do rival, que na ocasião da partida estava no G-4.

Última atualização: Figueirense 1-0 Avaí, 27 de janeiro de 2019.

Rival J V E D GP GC
Avaí 421 147 133 142 535 581

Figueirense versus CriciúmaEditar

Figueirense e Criciúma já realizaram quatro finais de Campeonato Catarinense. O Tigre levou a melhor em 1993, mas viu o Figueirense erguer a taça em 1994, 2002 e 2008.

São os dois clubes catarinenses que mais disputaram edições do Brasileirão (17 participações do Figueirense e 14 do Criciúma). Se enfrentaram na elite em 2003, 2004 e 2014.

Criciúma 1-1 Figueirense, 27 de julho de 2019.

Rival J V E D GP GC
Criciúma 181 61 57 63 197 220

Figueirense versus JoinvilleEditar

Figueirense e Joinville decidiram o Campeonato Catarinense também por cinco vezes. O JEC venceu em 1983 e 1984, enquanto o Figueira deu o troco em 2006, 2014 e 2015.

Joinville 1-0 Figueirense, 21 de março de 2018.

Rival J V E D GP GC
Joinville 198 53 70 75 201 224

TítulosEditar

Continentais
Competição Títulos Temporadas
  Torneio Mercosul 1 1995 
Regionais
Competição Títulos Temporadas
  Torneio de Paranaguá 1 1951 
Estaduais
Competição Títulos Temporadas
  Campeonato Catarinense 18 1932 , 1935 , 1936 , 1937, 1939 , 1941 , 1972, 1974, 1994, 1999, 2002, 2003, 2004, 2006, 2008, 2014, 2015 e 2018
  Recopa Catarinense 1 2019 
  Supercampeonato Catarinense 1 1996 
  Copa Santa Catarina 2 1990 e 1996
  Taça Santa Catarina 1 1986
  Torneio Início do Campeonato Catarinense 1 1924 
Municipais
Competição Títulos Temporadas
  Campeonato Citadino de Florianópolis 13 1932 , 1933, 1935 , 1936 , 1937 , 1939, 1941 , 1950, 1954, 1955, 1958, 1959 e 1965
  Torneio Início de Florianópolis 12 1924 , 1927 , 1932, 1941, 1947, 1948, 1949, 1950, 1951, 1959 e 1961 e 1962

  Campeão Invicto

Campanhas de destaqueEditar

Figueirense Futebol Clube
Torneio Campeão Vice-campeão Terceiro colocado Quarto colocado
  Campeonato Catarinense 18 vezes (último em 2018) 7 vezes (último em 2012) 3 vezes (último em 2010) 2 vezes (2001 e 2016)
  Campeonato Brasileiro – Série B 0 (não possui) 2 (2001 e 2010) 1 (1985) 1 (2013)
  Campeonato Brasileiro – Série C 0 (não possui) 0 (não possui) 1 (1996) 0 (não possui)
  Copa do Brasil 0 (não possui) 1 (2007) 0 (não possui) 0 (não possui)
  Torneio Mercosul 1 (1995) 0 (não possui) 0 (não possui) 0 (não possui)

EstatísticasEditar

ParticipaçõesEditar

 Ver artigo principal: Temporadas do Figueirense
Participações em 2020
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última P   R  
  Campeonato Catarinense 76 Campeão (18 vezes) 1924 2020 1
Série B 1 Vice-campeão (1987) 1987 1987 1
Copa Santa Catarina 11 Campeão (2 vezes) 1990 2018
Recopa Catarinense 1 Campeão 2019 2019
  Campeonato Brasileiro 17 7º colocado (2006 e 2011) 1973 2016 3
Série B 13 Vice-campeão (2001 e 2010) 1980 2020 3
Série C 8 3º colocado (1996) 1981 1999 1
Copa do Brasil 19 Vice-campeão (2007) 1995 2020
Primeira Liga 2 Grupos (2016 e 2017) 2016 2017
  Copa Sul-Americana 4 2ª fase (2012 e 2016) 2004 2016
Torneio Mercosul 1 Campeão (1995) 1995 1995

Mais partidasEditar

Estatísticas atualizadas em 02 de janeiro de 2019.[4]

  Os que mais jogaram  
Pos. Atleta Jogos
Pinga 483
Jaime Casagrande 430
Fernandes 403
Balduíno 335
Wilson 331
Peçanha 304
Gilmar Serafim 259
Reginaldo 236
Caco 236

Maiores artilheirosEditar

Estatísticas atualizadas em 02 de janeiro de 2019.[5]

  Goleadores  
Pos. Atleta Gols
Fernandes 108
Calico 94
Albeneir 93
Ivo 66
Augusto 65
Aldrovani 62
Marcos 57
Ronaldo 54
Edison 54
10º Wilson 53
11º Albeneir 53

Elenco atualEditar

  Última atualização: 03 de dezembro de 2019.

Elenco atual do Figueirense Futebol Clube[6]
N.º Pos. Nome N.º Pos. Nome N.º Pos. Nome
- G   Allan
- Z   Alemão
- Z   Brunetti
- Z   Dener Machado
- Z   Pereira
- LE   Carlinhos
- V   Christian
- V   Kauê
- V   Patrick
- V   Elias
- M   Guilherme
- A   Éverton Santos

Técnico:   Pintado

Transferências em 2020Editar

Legenda
Entradas
  Pos. Jogador Clube oriundo
  G   Allan     Athletico-PR
Saídas
  Pos. Jogador Clube de destino
  G   Matheus Vidotto   Sem Clube
  G   Pegorari     Ituano
  G   Rodolfo Castro   Sem Clube
  Z   Wesley     Tombense
  Z   Ruan Renato     Vitória
  Z   Wálber     Athletico-PR
  Z   Lucas Andrade     Athletico-PR
  Z   Héliton     Santo André
  LE   Matheus Destro     Votuporanguense
  LE   Conrado   Sem Clube
  LD   Luís Ricardo     Água Santa
  LD   Danilo Boza     Athletico-PR
  LD   Victor Guilherme     Hercílio Luz
  LD   Wallace   Sem Clube
  V   Betinho     Tombense
  V   Zé Antônio   Sem Clube
  M   Bruno Santos   Sem Clube
  M   Matheuzinho   Sem Clube
  M   Tony     Ferroviária
  M   Fellipe Mateus     Ferroviária
  M   Andrigo     Internacional
  M   Léo Costa     São Bernardo
  M   Demethryus     Athletico-PR
  AT   Robertinho     Atlético Tubarão
  AT   Yuri Mamute   Sem Clube
  AT   Odilávio     Náutico
  AT   Jefferson Renan     Boavista-RJ
  AT   Breno     Athletico-PR
  AT   Alípio     Tombense
  AT   Rafael Marques   Sem Clube
  AT   Gustavo Poffo   Sem Clube

JogadoresEditar

Jogadores notáveisEditar

  Grandes Ídolos do Clube

  Jogadores/Técnicos Notáveis com passagem importante pelo Clube

  Jogadores da base com passagem notáveis pelo clube

Jogadores com passagem no Figueirense Futebol Clube
Jogadores Comissão técnica


Goleiros

Zagueiros

Laterais

Volantes

Meias

Atacantes


Técnicos

Jogadores estrangeirosEditar

LEGENDA

 : Jogador da Base

jogadores Estrangeiros com passagem no Figueirense Futebol Clube
Jogadores Comissão técnica


Goleiros

Zagueiros

  • 1991 -   Aguirregaray
  • 2007 -   Kwon Jun  
  • 2010 -   Agustín Cattaneo
  • 2012 -   Ignacio Canuto
  • 2013 -   Brandon Ruiz  
  • 2019 -   Agustin Volker  

Laterais

Volantes

Meias

Atacantes Técnicos

TreinadoresEditar

UniformeEditar

Uniformes dos jogadoresEditar

  • 1º uniforme: Camisa preta com listras brancas, calção e meias pretas;
  • 2º uniforme: Camisa branca, calção e meias brancas;
     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme

Uniformes dos goleirosEditar

     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme

Uniformes anterioresEditar

  • 2017/2018

Jogadores

     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
     
 
 
3º Uniforme

Goleiros

     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
  • 2016

Jogadores

     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
     
 
 
3º Uniforme

Goleiros

     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
     
 
 
3º Uniforme
  • 2015

Jogadores

     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
     
 
 
3º Uniforme

Goleiros

     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
     
 
 
3º Uniforme
     
 
 
4º Uniforme
  • 2014
     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
     
 
 
3º Uniforme
     
 
 
4º Uniforme
  • 2013
     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
     
 
 
3º (Raíz)
  • 2012
     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
     
 
 
3º Uniforme
  • 2011
     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
     
 
 
3º Uniforme
     
 
 
4º Uniforme
  • 2010
     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
  • 2009
     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
     
 
 
3º Uniforme
  • 2008
     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
     
 
 
3º Uniforme
     
 
 
4º Uniforme
  • 2007
     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
     
 
 
3º Uniforme
  • 2006
     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
  • 2005
     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme
     
 
 
3º Uniforme
  • 2003-2004
     
 
 
1º Uniforme
     
 
 
2º Uniforme

PatrocinadoresEditar

Ano Patrocinador Master Material Esportivo>
1983 Decorama
1986–1988 Dimas Consorcio
1989 Florisa
1992 Amauri   Malharia NSA
1993 Casas da Água   Malharia NSA
1994 Amauri   Malharia NSA
1995–1996 Amauri   Poker
1996-1997 Amauri   Pieri Sport
1998 Rei Bingo   Pieri Sport
1999   Umbro
2000 Tim   Umbro
2001 Amauri   Umbro
2002   Umbro
2003–2005 Fame   Umbro
2006 Ibagy   Umbro
2006–2008 Taschibra   Umbro
2009–2011 Taschibra   Fila
2012 Taschibra   Penalty
2013–2014 Caixa Econômica Federal   Penalty
2015–2016 Caixa Econômica Federal   Lupo Sport
2017–2018 Caixa Econômica Federal   Adidas
2018–2019 Saladices   Topper

PatrimôniosEditar

Estádio Orlando Scarpelli[7]Editar

O Estádio Orlando Scarpelli, próprio do Figueirense Futebol Clube, está localizado no bairro mais populoso e de fácil acesso da região metropolitana de Florianópolis, considerada a capital brasileira com melhor qualidade de vida. Os bairros adjacentes ao estádio, na região continental da capital (Abraão, Bom Abrigo, Capoeiras, Coqueiros, Estreito e Itaguaçu) perfazem sozinhos cerca de 12% da população metropolitana. Somados à população da região central e demais bairros da Ilha de Santa Catarina, asseguram uma população circunvizinha equivalente a 35% da região metropolitana.

O Estádio encontra-se localizado a apenas 1 km do Corpo de Bombeiros, Batalhão da Polícia Militar e do Hospital Florianópolis. Desde 1999 vem sendo constantemente reformado e novas instalações foram agregadas ao patrimônio do Clube. Novos vestiários para as divisões de base, alambrados renovados, implantação de catracas eletrônicas com cartões indutivos de acesso, novos banheiros, reforma dos bares, modernização do sistema de iluminação, novas casamatas, colocação de 20 mil cadeiras numeradas em todos os setores, novo gramado com sistema automatizado de irrigação e drenagem, são algumas das obras efetuadas.

Em 2002, o estádio foi eleito pela Revista Placar como o “Caldeirão do Brasil”, ocasião em que atingiu o maior percentual de ocupação dos estádios brasileiros, com 49%, feito repetido nas últimas temporadas.

Em março de 2007, o Diário Lance, referência em cobertura esportiva no país, formou o ranking dos estádios brasileiros de acordo com o caderno de encargos da FIFA. Na oportunidade o Estádio Orlando Scarpelli foi classificado em 10º lugar entre as 24 praças esportivas visitadas, sendo o terceiro melhor estádio particular na avaliação do jornal.

À frente do Scarpelli, apenas a Arena da Baixada (Atlético Paranaense), Beira-Rio (Internacional) e Morumbi (São Paulo), enquanto o Couto Pereira (Coritiba) ganhou a mesma pontuação. Os demais eram públicos: Engenhão (Rio de Janeiro), Maracanã (Rio de Janeiro), Mineirão (Belo Horizonte), Raulino Oliveira (Volta Redonda), Serra Dourada (Goiânia) e Mangueirão (Belém do Pará).

Em 2008 o mesmo Diário Lance voltou a publicar uma nova avaliação dos estádios brasileiros levando em consideração os anseios do torcedor. Na nova aferição o Estádio Orlando Scarpelli ficou em terceiro lugar com a média de 6,5, perdendo apenas para a Arena da Baixada (6,9) e Engenhão (6,7).

Em 2016 o Scarpelli recebeu mais uma reforma, desta vez com a revitalização das cadeiras e da arquibancada em geral, foi feita também a troca dos alambrados por placas de proteção em vidro, com altura de aproximadamente 1,80m, medida aprovada pela Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

Centro de Formação e Treinamento (CFT)[8]Editar

O Centro de Formação e Treinamento do Cambirela foi inaugurado em agosto de 2000 e é um dos mais importantes locais de treinamento do Furacão Alvinegro. A área de implantação foi adquirida pela ASFIG (Associação Amigos do Figueirense), e cedida ao Figueirense. Um dos mais estruturados do país, o CFT, localizado ao pé do Morro do Cambirela, está a 20 km do centro de Florianópolis.

Com área de 65.000 m², o CFT do Figueirense é o local onde todas as atividades de treinamentos das mais diversas categorias são realizadas. Além da rotina de trabalho das diferentes categorias, o Centro de Formação e Treinamento do Cambirela também recebe os jogos oficiais das divisões de base, válidos pelas competições municipais e estaduais.

O CT tem uma estrutura com 4 campos oficiais, 1 campo exclusivo para treinamento de goleiros, 1 campo de areia, 3 vestiários, Academia, Rouparia, Centro de Convivência, Sala de Imprensa, Sala de Fisioterapia, Sala de Atendimento Médico e Sala da Comissão Técnica.

Projeto Arena FigueirenseEditar

No dia 6 de março de 2012 o Figueirense tornou a público o seu projeto para a nova Arena, que seria construída no local onde está o Estádio Orlando Scarpelli. O trabalho de dois anos para estruturar o projeto foi formalizá-lo junto ao Conselho Deliberativo.

- Sermos os maiores não é uma meta possível, nunca teremos o volume de investimento de um Corinthians, Flamengo e outros time de eixos mais fortes, mas podemos ser os melhores, investir com mais qualidade, com mais objetividade, mais criatividade e melhores resultados que grandes times brasileiros - disse o então diretor executivo do Figueirense, Leonardo Moura.

A nova Arena seria moderna e simples ao mesmo tempo. Ousada ao obedecer na íntegra os padrões FIFA e contida para não extrapolar a capacidade de investimento totalmente privado, sem recorrer a dinheiro público. O projeto foi cuidado para não extrapolar o ambiente já ocupado pelo Scarpelli e a obra previa uso de material encontrado na região. Seriam R$ 300 milhões a serem captados junto à iniciativa privada a partir de agora.

A Allianz Sports assina o empreendimento, que inovaria na região sul por conter, junto à praça multiúso (esportes e shows), um shopping center.

- Seriam áreas independentes nos acessos. Tudo é muito cuidado, mas o complexo seria um só e visaria justamente ao aproveitamento em tempo integral e auto-sustentável, com destaque para a versatilidade do espaço. Seriam 10 tipos de ingressos diferentes, desde o camarote até setores mais populares, e a possibilidade de passar um dia inteiro de lazer junto ao clube - destacou Rodrigo Brilinger, um dos investidores e parceiros do clube.

A ideia seria concluir a prospecção de investidores e começar a construção, que deveria durar dois anos. As arquibancadas do atual Scarpelli seriam remontadas em área que seria doada em São José, tendo como plano B o município de Palhoça.

EscudosEditar

Escudos do Figueirense
1921 - 1930 1930 - 1940 1940 - 1951 1951 - 1974 1974 - 1980 1980 - 1999 1999 - Atualmente
             
[9]

Programa Jovem FuracãoEditar

O Programa Jovem Furacão, que é uma realização do Figueirense, em parceria com a ASFIG, conta com a chancela dos Ministérios da Cultura e Esporte por meio da Lei Rouanet e Lei de Incentivo ao Esporte, respectivamente. O Programa tem como principal objetivo formar além de atletas profissionais, cidadãos que possam desenvolver seus talentos humanos, no esporte e na vida pessoal. O Programa possui uma base pedagógica e cultural que estimula a participação dos jovens em atividades culturais, educacionais e sociais. Além disso, estimula o apoio de seus familiares e é baseado no desenvolvimento contínuo de competências, que abrangem diversas áreas, como ética e cidadania, qualidade de vida, habilidades sociais, gestão de carreira, educação continuada e desenvolvimento cultural.

Categorias de BaseEditar

O Figueirense Futebol Clube oferece infraestrutura para os mais de 100 jovens que compõem as suas categorias de base. Um ambiente familiar dividido em dormitórios, refeitório, sala de estudo, biblioteca, área de serviço, lazer e vestiário. Além dessa estrutura, o Programa Jovem Furacão tem projetos aprovados junto ao Ministério do Esporte que visam a melhoria da estrutura de treinamento das suas categorias de base.

Campeão dos principais torneio de base do País. Alem de contar com revelações como André Santos, que foi lateral da Seleção Brasileira, Roberto Firmino, um dos centroavantes mais letais do planeta, também foi criado nas ‘canteras’ do Alvinegro, assim como lateral-esquerdo e de seleção Filipe Luís, entre tantos outros. Em fevereiro de 2018, o clube foi congratulado pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol) com um selo categoria A, de clube formador

Segundo Murilo Flores, diretor institucional do Figueirense, o clube disponibiliza R$4 milhões para a base. São três categorias administradas: sub15, sub17 e sub20 que somam 100 atletas. Destes, 68 são hospedados no estádio Orlando Scarpelli onde, segundo Murilo Flores, está de acordo com todas as obrigações junto aos órgãos responsáveis. E atual administração quer mais: a direção está em processo de retomada de um projeto antigo que prevê a construção de alojamentos e de um hotel no CFT do Cambirela, em Palhoça.

“Esse volume de recursos e o tratamento que a gente dá, de prioridade na base, levou a ter um certificado de clube formador. A CBF exige instalações adequadas, amparo de saúde e de educação. Esse investimento é importante, principalmente, se levado em conta a proporção que é gasta com o profissional e com a base”, explicou Flores

A partir desse olhar sensibilizado, o dirigente alvinegro falou também sobre a intenção de aprimorar o tratamento nessa fase peculiar da vida humana. A intenção é dar uma espécie de premiação, de valorização das pequenas atitudes. “Por exemplo, o grupo de atletas que tiver o quarto mais organizado, terá direito a um jantar em um restaurante, uma noite no cinema, enfim, são adolescentes, também precisam de mais do que escola e treinamento”, justificou.

Títulos da Categorias de BaseEditar

INTERNACIONAIS
Competição Títulos Temporadas
  J-League International Youth Cup 1 2016
  Copa Promissão 2 2008 e 2012
NACIONAIS
Competição Títulos Temporadas
  Copa São Paulo de Futebol Júnior 1 2008
  Copa do Brasil de Futebol Sub-15 1 2014
ESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
  Campeonato Catarinense de Futebol Infantil 11 2001, 2002, 2003, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2014 e 2016[10]
  Campeonato Catarinense de Futebol Juvenil 11 2000, 2001, 2002, 2004, 2005, 2007, 2008, 2009, 2011, 2013 e 2016
  Campeonato Catarinense de Futebol Júnior 7 1985, 2002, 2006, 2007, 2009, 2012 e 2015
  Copa Santa Catarina de Futebol Sub-20 1 2016
  Copa Santa Catarina de Futebol Sub-17 1 2007
  SC Cup Juvenil 1 2007
  Antonio Carlos Cup Sub-17 1 2015
  Antonio Carlos Cup Sub-13 1 2015
  Copa ACR de Futebol de Base Sub-13 1 2018
MUNICIPAIS
Competição Títulos Temporadas
  Campeonato Citadino Mirim 1 2002
  Campeonato Citadino Infantil 9 2001, 2002, 2003, 2005, 2006, 2009, 2010, 2014 e 2015
  Campeonato Citadino Juvenil 12 1961, 1963, 1969, 1974, 1997, 2000, 2001, 2002, 2004, 2005, 2009 e 2012

Outras modalidades esportivasEditar

Futebol 7 FemininoEditar

Em 17 de junho de 2017, foi anunciada uma parceria entre o Figueirense e a equipe Veneno Futebol Clube visando um projeto de médio a longo prazo, e já adiantando o processo de encontro com a solicitação da CBF que a partir de 2019 os clubes irão disputar Campeonatos de Futebol Feminino.

O Projeto inicialmente conta com Futebol 7 pelas competições da Associação Brasileira de Clubes de Futebol 7, e agora com a parceria do Figueirense as atletas iniciarão a transição para o campo, já visando as futuras competições em que o Figueirense Futebol Clube irá disputar.

O projeto de futebol feminino do Veneno Futebol Clube teve início no ano de 2008, inicialmente voltado para a modalidade de Futebol 7, a equipe nesses mais de dez anos de existência conseguiu uma grande evolução dentro do cenário regional e nacional da modalidade. Há cinco anos o projeto conta a parceria do Paula Ramos Esporte Clube.

No ano de 2012, a equipe obteve a conquista do I Campeonato Brasileiro de Futebol 7, disputado no estado de Mato Grosso do Sul, onde na final superou a forte equipe do Grêmio.

Já em 2013, no estado de Minas Gerais, a equipe consegue seu segundo título nacional, dessa vez trazendo para Florianópolis o título da Copa do Brasil de Futebol 7.

Desde então o projeto vem acumulando inúmeros títulos regionais, como o Sul-Brasileiro em 2016. Em Santa Catarina, a Federação Catarinense de Futebol 7 organizou quatro campeonatos estaduais femininos e a Associação Brasileira de Clubes de Futebol 7 organizou somente um, em 2019, dois conquistados como Veneno/Paula Ramos e três como Figueirense/PREC.

Em 27 de agosto de 2017, é conquistado o primeiro título da nova parceria Figueirense/PREC. O Figueirense venceu a equipe do Sem Maldade FC (Joinville) pelo placar de 5 a 0 e garantiu o Campeonato Catarinense de Futebol 7 Feminino, de forma invicta. [11]`

No dia 10 de dezembro de 2017, a equipe do Figueirense/PREC é campeã mundial de forma invicta. Em toda competição, o Figueirense marcou 22 gols e sofreu apenas 8. Na final, o Figueirense enfrentou a equipe do Pingüinos Blancos, do Peru. No tempo normal o placar ficou empatado em 1 a 1, porém no shoot-out (jogadora contra a goleira), o Figueirense venceu por 1 a 0 e levantou o troféu da competição mais importante da categoria.

No dia 10 de dezembro de 2018, o Figueirense/PREC conquista novamente o título mundial da competição. Na estreia, derrotou por W.O a equipe colombiana do Gol F7 que não conseguiu chegar a tempo na cidade de Curitiba-PR. Na segunda rodada, nova vitória, desta vez pelo placar de 6 a 3, sobre o União Ribeirão. Na terceira rodada, goleou por 6 a 1 o Águia Dourada e se colocou na semifinal de forma invicta. Na semifinal, goleada inapelável, por 9 a 0, sobre o Barcelona-PR. Na final, o Figueirense enfrentou a equipe Leonas, do México, e venceu de 6 a 2, e levantou a taça do bicampeonato de maneira invicta.

O ano de 2019 foi um ano com varias conquistas para a equipe. Na temporada a equipe foi campeã da Copa Continente, Campeonato Municipal LICOB, Etapa Sul da Liga Fut7, Copa Sul e, no mês de novembro, Campeonato Catarinense. Porém, a equipe também obteve um marco maior. O Figueirense foi novamente campeão mundial de Futebol 7, em 2019, mantendo sua hegemonia e assim dispondo de uma terceira estrela no escudo.

Campanha do Figueirense/PREC no mundial de 2019Editar

      Vitória       Empate       Derrota


Elenco atualEditar

Goleiros
N.º Jogador
'   Luana
'   Pipoca
Defensores
N.º Jogador Pos.
'   Carol Becko Z
'   Carol Heinzen Z
'   Mayara Eiko Z
'   Bel L
'   Carol Prá L
'   Getúlio L
'   Renatta Hulse L
'   Thaty L
'   Thuany L
Meio-campistas
N.º Jogador Pos.
'   Heloísa M
'   Marina M
Atacantes
N.º Jogador
'   Aninha
'   Bruna
'   Monique
'   Renata
Comissão técnica
Nome Pos.
  André Luiz Hoepers T
  Emerson Prado AS

TítulosEditar

MUNDIAIS
Competição Títulos Temporadas
  Mundial de Clubes de Futebol 7 Feminino 3 2017 , 2018 , 2019 
CONTINENTAIS
Competição Títulos Temporadas
  Liga das Américas de Futebol 7 Feminino 1 2018 
NACIONAIS
Competição Títulos Temporadas
  Campeonato Brasileiro de Futebol 7 Feminino 1 2012 
  Liga Nacional de Futebol 7 Feminino 1 2019
  Copa do Brasil de Futebol 7 Feminino 1 2013 
REGIONAL
Competição Títulos Temporadas
  Campeonato Sul-Brasileiro de Futebol 7 Feminino 1 2016 
  Copa Sul de Futebol 7 Feminino 1 2019 
ESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
  Campeonato Catarinense de Futebol 7 Feminino 5 2012 , 2013 , 2017 , 2018 , 2019 
  Torneiro Início de Futebol 7 Feminino 1 2015 
  Liga Metropolitana de Futebol 7 Feminino 1 2014 
  Floripa Cup de Futebol 7 Feminino 3 2011 , 2012 , 2017 
  Sul da Ilha Cup V de Futebol 7 Feminino 1 2011 
  Copa Fair Play de Futebol Society 1 2018 
  Copa Continente de Futebol 7 Feminino 2 2018 , 2019 

  Campeão Invicto

Outras conquistasEditar

Futebol 7 MasculinoEditar

Figueirense/Beira Rio de Futebol 7[12]

A parceria entre Figueirense e a Associação Recreativa e Cultural Beira Rio acontece desde o ano de 2009. Neste período a equipe conquistou três títulos da Floripa Cup, mostrando a força da equipe na modalidade. Com a parceria, passarão também a ter o apoio da assessoria de marketing e de imprensa. O Futebol 7 Society é a categoria de futebol amador que mais cresce no Brasil e o Figueirense/Beira Rio é conhecido como um dos mais tradicionais clubes amadores Catarinenses.

Fundado em 1984 por um grupo de amigos, o Beira Rio pleiteou uma vaga junto à Liga Amadora de São José/SC, no início da década de 90, quando começou o projeto de forma oficial. A partir de 2008, o Beira Rio começou a representar o Figueirense Futebol Clube no Futebol 7, popularmente conhecido como Futebol Society e conquistava pela primeira vez o título da Série A da Floripa Cup, torneio mais importante da categoria na região da Grande Florianópolis e de Santa Catarina.

Em 2012, ganhou seu segundo título da Floripa Cup. Ainda em 2012, o Figueirense/Beira Rio participou de um torneio de Beach Soccer realizado em Florianópolis.

Em 2013, sagrou-se tricampeão da Floripa Cup sobre o seu maior rival, o Avaí.[13]

Por três vezes o Figueirense/Beira Rio disputou a Copa do Brasil de Futebol 7, o torneio reuniu 32 equipes, em 2010 terminou na 8ª colocação e em 2011 na 16ª colocação.

Em 2014, venceu a equipe do Metropolitano/BMH em disputa de shoot out (uma espécie de pênaltis), e sagrou-se Campeão da Liga Metropolitana Borges de Mendonça de Futebol 7.[14]

Em março de 2015, foi campeão de forma invicta da 3º edição da Copa Federação de Futebol 7.[15] No dia 14 de novembro de 2015, conquistou o 4ª título da Copa Floripa de Futebol 7, vencendo o time da AABB Florianópolis por 3 a 1 nos shoot Outs.[16]

Em 2016 O Figueirense foi bicampeão da Copa Federação e vice-campeão do Circuito Brasileiro de FUT7 perdendo a final para Santos.

TítulosEditar

ESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
  Copa Floripa 4 2008, 2012, 2013 e 2015
  Copa Federação 2 2015 e 2016
  Liga Metropolitana 1 2014
  Liga Borges de Mendonça 1 2014

Fatos históricosEditar

TorcidaEditar

O Figueirense ficou conhecido como O mais querido de Santa Catarina, superando as torcidas de rivais como Avaí, Joinville, Chapecoense e Criciúma nas principais enquetes e pesquisas populares. A preferência pelo alvinegro também é percebida nas principais redes sociais, onde o Figueirense possui um número muito superior de seguidores que seus rivais Catarinenses.[17]

Sócio-torcedoresEditar

Atualmente, o Figueirense conta com mais de 9.000 sócio-torcedores, sendo o 1º clube de Santa Catarina, o 4º da Região Sul do país e o 25º do Brasil com mais torcedores associados.[18]

Torcidas atuaisEditar

Torcidas extintasEditar

  • Barra Alvinegra
  • Charanga do Paulinho
  • Jovem Alvinegra
  • Resistência Alvinegra (Barra Brava)
  • Os Fanaticos
  • Bobgueira

Outras associaçõesEditar

  • ASFIG - Associação Amigos do Figueirense
  • COFES - Comissão Organizadora de Festas e Eventos no Scarpelli
  • Turma da Figueira
  • Mobilização Alvinegra
  • Figueira Lages
  • Figueira na Estrada
  • Figueira Play
  • Alvinegros do Vale

Ver tambémEditar

Referências

  1. «CADASTRO NACIONAL DE ESTÁDIOS DE FUTEBOL» (PDF). CBF. 18 de janeiro de 2016. Consultado em 11 de abril de 2018 
  2. «Figueirense Futebol Clube | História». www.figueirense.com.br. Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  3. «Pleno do STJD recomenda que FCF homologue Figueira campeão de SC». globoesporte.com. Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  4. http://www.figueirense.com.br/noticia/figueirense-futebol-clube-93-anos-de-historia-glorias-e-vitorias/
  5. http://www.figueirense.com.br/noticia/figueirense-futebol-clube-93-anos-de-historia-glorias-e-vitorias/
  6. «Elenco de Futebol Profissional». Site oficial do Figueirense. Consultado em 3 de setembro de 2019 
  7. «Figueirense Futebol Clube | Estádio Orlando Scarpelli». www.figueirense.com.br. Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  8. «Figueirense Futebol Clube | Centro de Treinamento». www.figueirense.com.br. Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  9. http://www.figueirense.com.br/institucional/simbolos/
  10. «Figueirense é campeão catarinense Infantil 2014 | O Site Oficial do Futebol Catarinense». www.fcf.com.br. Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  11. http://www.figueirense.com.br/noticia/figueirense-fecha-parceria-com-futebol-feminino/?utm_source=feedburner&utm_medium=twitter&utm_campaign=Feed%3A+figueirensefc+%28Figueirense+Futebol+Clube+-+Not%C3%ADcias%29
  12. «Figueirense Futebol Clube | Figueirense e Beira Rio oficializam parceria antes do Jogo Figueirense x Paysandu». www.figueirense.com.br. Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  13. «Figueirense Futebol Clube | Equipe de Futebol 7 do Figueirense/Beira Rio conquistou título da CBN Floripa Cup». www.figueirense.com.br. Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  14. «Figueirense Futebol 7 é campeão da Liga Metropolitana : PolidoroJunior.com.br». polidorojunior.com.br. Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  15. «Figueirense é campeão da 3ª Copa da Federação | Amador Futebol Clube». wp.clicrbs.com.br. Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  16. «Figueirense e Avaí são campeões da Copa Floripa RIC Record de Futebol 7 - Notícias do Dia Online». www.ndonline.com.br. Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  17. «Pesquisa Ibope estuda fenômeno Chapecoense no Facebook e força do Figueirense nas redes sociais». Jornal de Santa Catarina 
  18. http://www.futebolmelhor.com.br/

Ligações externasEditar