Filipa Vacondeus

chefe de cozinha autodidacta e gastrónoma Portuguesa

Maria Filipa Carneiro de Mendonça Corte-Real Vacondeus (Lisboa, Lapa, 12 de maio de 1933 – Lisboa, Lumiar, 6 de janeiro de 2015) foi uma chefe de cozinha autodidata e gastrónoma Portuguesa.

Filipa Vacondeus
Nascimento 12 de maio de 1933
Lisboa
Morte 6 de janeiro de 2015 (81 anos)
Lisboa
Cidadania Portugal

BiografiaEditar

Filha de Joaquim Filipe de Proença Fortes de Mendonça Corte-Real e de sua mulher Alice Carneiro (31 de Dezembro de 1912 - ?) e irmã de António Filipe Carneiro de Mendonça Corte-Real, casado com Liliane Pimenta Leitão, com geração.

O seu percurso profissional foi muito variado e iniciou-se na TAP como hospedeira de bordo, sendo mais tarde assessora do presidente da Junta de Turismo da Costa do Sol, hoje denominada Costa de Lisboa, e secretária de administração de uma fábrica de montagem de automóveis em Setúbal.[1]

Casou-se a 30 de Março de 1968 com José Baldomero Pinto Vacondeus (Caldas da Rainha, 19 de Março de 1930), jornalista e fundador de vários jornais (O Tempo e O País) ligados à direita portuguesa e filho de José da Silva Vacondeus, Comendador da Ordem Civil do Mérito Agrícola e Industrial Classe Industrial a 5 de Junho de 1965,[2] do qual não teve descendência, e abriu um restaurante em Alfama, que teria de encerrar no período do Verão Quente de 1975. Instigada pelo marido começou a fazer crítica gastronómica nos seus jornais.

Em 1981 foi convidada a apresentar uma série de programas de Culinária na RTP, em horário nobre, onde conseguiu granjear uma boa audiência. No entanto, a sua fama e enorme popularidade foi conseguida quando Herman José no seu programa O Tal Canal criou (com autorização da própria), a personagem Filipa Vasconcelos, "pseudo-cozinheira" que cozinhava tudo com imensa paprika. [1] O seu sucesso televisivo levou-a a publicar livros de gastronomia e culinária, e pertenceu a júris de concursos gastronómicos.

Faleceu em Lisboa, em 6 de janeiro de 2015, aos 81 anos de idade, vítima de doença prolongada.[3][4]

Livros publicadosEditar

  • Cozinhar é Fácil - 1994
  • As Minhas Receitas de Massas - 1995
  • As Minhas Receitas de Peixe e Mariscos - 1996
  • 50 Novas Receitas de Bacalhau - 1998
  • As Minhas Receitas de Conservas - 2000
  • Receitas Fáceis de Caça - 2000
  • Receitas Fáceis de Bacalhau - 2000
  • Receitas Fáceis de Frango - 2000
  • As Minhas Receitas de Bacalhau - 2005
  • Receitas Low-Cost - 2009
  • As Grandes Receitas das Famílias Portuguesas - 2009
  • Os Truques da Filipa - 2010
  • Viver Mais e Melhor - 2012
  • Os Petiscos da Filipa - 2013

Referências

  1. a b Garrido, Diana (27 de Novembro de 2010). «Filipa Vacondeus. "Sou uma dona de casa que aprendeu com o tempo" - vídeo». Ionline. Arquivado do original em 29 de dezembro de 2010 
  2. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "José da Silva Vacondeus". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 12 de fevereiro de 2014 
  3. «Morreu Filipa Vacondeus». Sábado. 6 de janeiro de 2015. Consultado em 6 de janeiro de 2015 
  4. Alexandra Prado Coelho e Bárbara Wong. «Filipa Vacondeus, morreu a chef de cozinha que nunca usava paprica». Consultado em 6 de janeiro de 2015 


  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.