Filipe, Príncipe de Portugal

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Príncipe Filipe.

D. Filipe de Portugal (Évora, 25 de março de 1533 - Lisboa, 29 de abril de 1539), foi um Infante de Portugal e depois Príncipe herdeiro de Portugal, sexto filho do rei João III de Portugal e de Catarina de Áustria.[1]

Filipe
Príncipe herdeiro de Portugal
Casa Avis
Nascimento 25 de março de 1533
  Paço de São Francisco, Évora, Portugal
Morte 29 de abril de 1539 (6 anos)
  Paço da Ribeira, Lisboa, Portugal
Sepultado em Mosteiro dos Jerónimos, Lisboa, Portugal
Pai João III de Portugal
Mãe Catarina de Áustria
Religião Catolicismo Romano

BiografiaEditar

Nasceu no Paço de São Francisco, em Évora, onde então se encontrava a Corte, a 25 de março de 1533.[nota 1] Segundo o cronista de João III, Francisco de Andrada, não constavam informações acerca do seu baptismo em nenhuma escritura, que, provavelmente, terá ocorrido na Capela Real do mesmo paço.[1][2][3]

Com a morte do seu irmão mais velho, o príncipe Manuel, a 14 de abril de 1537, foi jurado Príncipe herdeiro de Portugal.[1][2]

Faleceu no Paço da Ribeira, em Lisboa, a 29 de abril de 1533, com apenas 6 anos de idade, facto que mergulhou a Corte e o Reino em profundo luto e consternação e, em especial, os monarcas, que no jovem príncipe tinham boas esperanças de sucessão. Finalizadas as cerimónias fúnebres, foi o seu corpo acompanhado ao anoitecer do mesmo dia pelo deão da Capela Real, duque de Bragança, marquês de Vila Real, arcebispos, bispos e demais fidalgos e sacerdotes da Corte com grande quantidade de tochas acesas ao Mosteiro dos Jerónimos, onde foi sepultado. No dia seguinte, o rei permaneceu retirado e sozinho, ordenando que não se mudasse o vestuário, chegando-lhe a notícia da morte da sua irmã, a imperatriz Isabel de Portugal, três dias depois. Por sua morte, o título de príncipe herdeiro recaiu sobre o seu irmão mais novo, o infante João Manuel.[1][2][3]

Jaz no mesmo túmulo onde repousa o seu irmão Afonso, podendo ler-se o seguinte epitáfio em latim: «Cernitur hoc duplici lacrymari Principe marmor, Durior heu teneris marmore Parca tulit. Ah! Puer Alfonsus latet hîc sociante Philippo, Proh Regum soboles, quàm attenuata jaces!»[1]

Notas

  1. Segundo o cronista Francisco de Andrada, o infante teria nascido a 25 de maio e não a 25 de março.

Referências

  1. a b c d e Sousa, António Caetano de (1735-1749). Historia genealogica da Casa Real Portugueza (PDF). III. Lisboa: [s.n.] pp. 534, 538 
  2. a b c Barbosa, José (1727). Catalogo chronologico, historico, genealogico, e critico, das rainhas de Portugal, e seus filhos,. Lisboa: Officina de Joseph Antonio da Sylva, impressor da Academia Real. p. 403 
  3. a b Andrada, Francisco de (1613). «82 - 2.ª parte / 69 - 3.ª parte». Cronica do muyto alto e muito poderoso Rey destes Reynos de Portugal Dom Ioão o III. deste nome. Lisboa: [s.n.] pp. 117 verso, 93 verso 


Precedido por
Manuel
 
Príncipe herdeiro de Portugal

14 de abril de 1537 - 29 de abril de 1539
Sucedido por
João Manuel