Abrir menu principal
Fire Island

Fire Island é a maior ilha paralela à costa sul de Long Island, Nova York. Ocasionalmente , o nome é usado para se referir, coletivamente, não só para a ilha central, mas também Long Beach Barrier Island, Jones Beach Island, e Westhampton Island, uma vez que os estreitos que separam as ilhas são efêmeros. Em 2012, o furacão Sandy mais uma vez dividiu Fire Island em duas ilhas. Juntas, estas duas ilhas possuem aproximadamente 31 milhas (50 km) de comprimento e varia entre 520 e 1310 pés (160 e 400 m) de largura. Fire Island é parte do condado de Suffolk. Encontra-se dentro das cidades de Babilônia, Islip, e Brookhaven, contendo duas vilas e um número de povoações.

Tinha uma população permanente de 292 habitantes no censo de 2010,[1] que, no entanto, se expande para milhares de moradores e turistas durante os meses de verão.

A área de terra de Fire Island é de 24,9 km2.[2]

Índice

GeografiaEditar

Fire Island encontra-se ao largo de 5,5 milhas (8,9 km) da costa sul de Long Island, mas quase toca ao longo da extremidade leste. A ilha é acessível por automóvel perto de cada extremidade: via Robert Moses Causeway em sua extremidade ocidental, e pela William Floyd Parkway (Suffolk County Road 46), perto de sua extremidade oriental. Os veículos a motor não são permitidos no resto da ilha, com exceção de casos de necessidade, construção e acesso de emergência. As cidades da ilha e seu resort são acessíveis por barco, hidroavião e balsas, que partem de Patchogue, Bay Shore e Sayville.

Fire Island está localizada em 40°39'35" norte, 73°5'23" oeste (40.653188, -73.125795). De acordo com o censo norte-americano, Fire Island possui uma área de 9.6 quilômetros quadrados (24.9 km2).[2]

HistoriaEditar

 
Farol de Fire Island

História GeográficaEditar

Os atributos físicos da ilha tem mudado ao longo do tempo e continuam a mudar. Em um ponto se estendia mais de 60 milhas (97 km) de Jones Beach Island para Southampton.

Por volta de 1683, a enseada de Fire Island rompeu, separando-o de Jones Beach Island.[3] A enseada cresceu para nove milhas (14 km) de largura antes de recuar. O Farol da ilha foi construído em 1858, logo na entrada, mas o fim ocidental da ilha em Democrat Point tem deslocado-se para o oeste, sendo que o farol hoje está há 6 milhas (10 quilômetros) a partir da enseada.

Fire Island separou-se de Southampton a Nordeste em 1931, quando a enseada de Moriches rompeu. Esforços por parte das comunidades locais a leste de Fire Island para proteger sua praia levaram a uma interrupção da deriva litorânea de areia que vai de leste a oeste e é responsabilizado pela erosão beira-mar da ilha. Entre essas grandes rupturas tem havido relatos sobre seis enseadas que atravessaram a ilha, mas, desde então, desapareceram.

Restauração das praiasEditar

Um programa de reestruturação em 2009 foi creditado como salvação da ilha a partir de todos os efeitos do furacão Sandy em 2012.

No inverno e na primavera de 2009, um projeto de reestruturação da praia foi realizado na Ilha, com a colaboração do Serviço Nacional de Parques, o Corpo de Engenheiros do Exército dos Estados Unidos, as cidades de Brookhaven e Islip, e os moradores de Fire Island. O programa envolvia dragagem de areia de uma área ao largo, bombeá-lo para a praia e moldar a areia em um modelo de frente à praia diante das comunidades de Corneille Estates, Davis Park, Dunewood, Fair Harbor, Fire Island Pines, Fire Island Summer Club, Lonelyville, Ocean Bay Park, Ocean Beach, Saltaire, and Seaview. Os moradores concordaram com um aumento de imposto sobre as propriedades, importante para ajudar a pagar o projeto, que foi estimado entre $23 e $ 25 milhões (6,020 dólares por unidade habitacional), incluindo o custo de monitoramento ambiental, e era esperado para adicionar 1,4 milhão de metros cúbicos (1,8 milhões metros cúbicos) de areia em frente das comunidades participantes. As cidades de Brookhaven e Islip, em que as comunidades estão localizadas, emitiu obrigações para pagar o projeto, apoiado pelos novos impostos cobrados.

Furacão SandyEditar

A ilha foi fortemente danificada nas marés altas associadas ao furacão Sandy em 2012, incluindo três violações ao redor de Smith Point County Park na extremidade leste escassamente povoada da ilha. A maior quebra (e politicamente mais difícil de lidar, porque ele está em uma área de deserto) foi em Pike Wilderness, a oeste de Smith Point County Park.

Os relatórios indicam que 80 por cento das casas, particularmente aquelas na extremidade leste, foram inundadas e 90 casas foram completamente destruídas.[4] A tempestade também arrancou cerca de 75 metros de dunas da costa. Mas Fire Island não foi atingido tão duramente quanto outras áreas e mais de 4.500 casas na ilha sobreviveram, mesmo danificadas. Funcionários creditaram o programa de reposição das dunas a ajudar a poupar a ilha.[5]

EtimologiaEditar

A origem do nome "Fire Island" não é certo. Acredita-se que seu nome nativo americano era Sictem Hackey, que pode ser traduzido como "Terra dos Secatogues". Os Secatogues eram uma tribo na área da atual cidade de Islip. Era parte do que também foi chamado de "Seal Island". [6]O nome de Fire Island apareceu pela primeira vez por volta de 1789.

O historiador Richard Bayles sugere que o nome deriva de uma uma interpretação equivocada ou uma corrupção da palavra alemã vijf ("cinco", ou "five" em inglês), ou em outra versão vier ("quatro"), referindo-se ao número de ilhas próximo a enseada de Fire Island[7] Às vezes, as histórias têm se referido a ela no plural, como "Fire Islands", por causa das quebras da enseada.

Outras versões dizem que a ilha teve seu nome derivado do fogo feito na beira do mar por nativos americanos ou por piratas para atrair navios desavisados ​​para os bancos de areia. Alguns dizem que é pelas porções da ilha parecerem estar em chamas no mar no outono. No entanto, outra versão diz que vem da erupção causada por hera venenosa na ilha.

Enquanto a parte ocidental da ilha era conhecida como Fire Island por muitos anos, a porção oriental foi referida como Great South Beach até 1920, quando o desenvolvimento generalizado fez com que toda a massa de terra passasse a ser denominado Fire Island.

ColonizaçãoEditar

William "Tangier" Smith segurou direito em toda a ilha no século 17, sob uma patente real de Thomas Dongan. Os restos de Smith são abertas ao público em Shirley (Nova York).

Marcos e ReservasEditar

Panorama de Fire Island do topo do farol

Exceto para o oeste 4+1/2 milhas (0 81 km) da ilha, a ilha é protegida como parte do Fire Island National Seashore. O Robert Moses State Park, ocupando a porção ocidental restante da ilha, é um dos destinos mais populares de lazer da cidade de Nova York. O farol fica a leste do Robert Moses State Park.

Um memorial ao voo 800 da TWA está localizado no extremo leste de Smith Point County Park, perto do local do desastre.

HabitantesEditar

Fire Island é uma área muito sazonal. As habitações são principalmente em estilo bangalô, com generosas porções de bambu. Algumas estão à beira-mar, construídas sobre as dunas do Oceano Atlântico, enquanto outros são em calçadões ou caminhos de concreto, como uma cidade em miniatura. Há poucos residentes nos meses de inverno, mas a população explode no final da primavera. O estilo de vida é muito casual e amigável, com Ocean Beach como o principal destino para turistas e excursionistas. Residentes durante todo o ano podem encontrar escolas, igrejas, lojas e até um serviço de ônibus escolar para Long Island através de um veículo modificado off-road.

As aldeias tranquilas fornecem solidão, enquanto as cidades maiores, como Ocean Beach e Cherry Grove, proporcionam um ambiente mais social, com clubes, bares e restaurantes ao ar livre. Duas dessas aldeias, Fire Island Pines e Cherry Grove, são populares destinos para veranistas LGBT.

As aldeias constituídas de Ocean Beach e Saltaire, dentro de Fire Island National Seashore, são zonas livres de automóveis durante a temporada turística de verão, e permitem apenas o tráfego de pedestres e de bicicletas (durante certas horas apenas em Ocean Beach). Para o uso fora de temporada, há um número limitado de licenças de condução para os moradores durante todo o ano. O povoado de Davis Park não permite veículos ou bicicletas durante todo o ano.

A erosão costeira, em grande parte devido à construção de um cais na Enseada Moriches, abriu-se naturalmente por uma tempestade em 1931 e ampliou-se em 21 de setembro de 1938, e é descrita em um relatório sobre os efeitos geológicos do furacão de 1938. [14]

Serviços de EmergênciaEditar

A localização única e em constante mudança geografica de Fire Island desempenha um papel importante na proteção dos seus cidadãos. Embora seja servido por dez bombeiros e dois departamentos de polícia, [15] a residência sazonal e a distância remota são um desafio para a segurança pública. Como não há estradas habitadas em Fire Island, veículos de bombeiros estão fortemente modificados com tração nas quatro rodas, suspensão reforçada, pneus off-road e equipamentos de resgate, o que lhes permite atravessar a areia solta.

Até 1986, não havia serviço de ambulância em Fire Island,[16] o que levou Saltaire a formar sua companhia de resgate, mais tarde seguida de Ocean Beach e, em seguida, na década de 2000 com Fair Harbor. Devido a distâncias relativamente próximas, o corpo de bombeiros de Fire Island é obrigado a fornecer ajuda mútua em ambos os sentidos.[17]

Alguns departamentos costeiros de incêndio em Long Island estão totalmente equipados para salvamento marítimo, com barcos de incêndio, e também contam com o departamento de polícia do condado de Suffolk.

O escritório de marinha do Departamento de Polícia de Suffolk é a principal agência de aplicação da lei. Ocean Beach também possui um departamento de polícia próprio. Processos penais são tratados pelo Tribunal do Distrito de Suffolk e pessoas que são presos irão para a 3 ª, 1 ª ou 5 ª delegacias, ou a uma das prisões do escritório do sheriff do condado de Suffolk. Pequenas causas e questões de propriedade são geralmente tratadas individualmente pela aldeia de origem do caso. É uma prática comum para a polícia escrever bilhetes e, em seguida, enviar aos visitantes indisciplinados fora da ilha via táxis aquáticos, a custa do infrator.[18]

A Suffolk County Park Police e a New York State Park Police patrulham o Robert Moses State Park, enquanto que o National Park Service está estacionado no farol de Fire Island e no Fire Island National Seashore.

A Guarda Costeira dos EUA tem uma base na Ilha e fornece patrulhas aéreas e náuticas para o Fire Island National Seashore, bem como para todas as praias da região. Uma das mais antigas estações da Guarda Costeira, a Estação n º 25, está em operação ininterrupta desde 1849.

DemografiaEditar

De acordo com o Censo de 2000, cerca de 491 pessoas, e 138 famílias residiam em Fire Island. A densidade populacional era de 52.82/mi2 (21.82/km2). Havia 4.153 unidades habitacionais, em uma densidade média de 478.1/mi2 (184.6/km2). O mapa racial mostrava 96.77% de brancos, 0.65% de asiáticos, 0.32% de origem das ilhas do Pacífico, 0.65% de outras raças, e 1.61% de duas ou mais raças. Hispânicos e latinos somavam 2.90% da população.

Havia 138 famílias na Ilha, dos quais 25,4% possuíam membros menores de 18 anos, 48,6% eram casais casados vivendo juntos, 2.2% tinham uma proprietária mulher com sem a presença de um marido, e 44,2% não eram famílias.

A população era distribuida com 20,6% abaixo de 18 anos, 6,5% de 18 a 24, 29,0% de 25 a 44, 33.5% 45 a 64, e de 10.3% com 65 anos de idade ou mais. A idade média era de 42 anos. Para cada 100 mulheres havia 133.1 homens.

A renda media para uma casa em Fire Island era de U$73.281, e a renda media para uma família era de U$83.672. Os homens possuiam uma renda media de U$46,875 contra U$41,429 para as mulheres. A renda per capita em Fire Island era U$43,681. 3.1% dos indivíduos estavam abaixo da linha da pobreza, incluindo 8.6% daqueles com 65 ou mais.

Na cultura popularEditar

  • O episódio 23 da primeira temporada de Naked City é intitulado "Fire Island" e trata sobre um grupo de fabricantes de bebidas clandestinas que se mudam para uma cabana para passar o inverno destilando licor.
  • Em Rowan & Martin's Laugh-In, piadas gays foram frequentemente apresentadas por "On Fire Island". Referências específicas a homossexualidade raramente foram permitidos pelos padrões de rede no momento.
  • Uma peça intitulada "Shel Silverstein on Fire Island" apareceu na edição de agosto de 1965 da revista Playboy, com sarcasmos bem-humorados sobre os clubes gays da cena de lá.
  • Banco de imagens do farol de Fire Island foi usado como parte de duas das sequências de abertura da novela da CBS Guiding Light. A primeira sequência, mostrando o farol com um céu azul, foi utilizado a partir de janeiro de 1970 a primavera de 1974; a segunda sequência, mostrando o farol com um céu alaranjado, foi usado a partir da Primavera de 1974 a novembro de 1975.
  • A canção "Come to Me" foi descrita como "o clássico dance definitivo de Fire Island" porque o lendário concerto na praia pelo garoto de 16 anos France Joli de frente para o mar com um público de 5000 pessoas em 7 de julho de 1979. Quando Donna Summer cancelou no último minuto, Joli entrou em cena como um substituto e tornou-se a sensação da noite.[21]
  • A canção "Gay Messiah", do álbum de 2004 Want Two de Rufus Wainwright faz referência a popularidade de Fire Island entre turistas gays and lesbiscas, observando que quando o Messias gay vem, "Ele vai cair a partir da estrela / do Studio 54 / e aparecer na areia / da costa de Fire Island" (no original: "He will fall from the star / of Studio 54 / and appear on the sand / of Fire Island's shore").
  • O Village People incluiu uma canção chamada "Fire Island" no álbum de estreia de 1977, Village People. Na música, eles se referem a ilha como "um fim de semana badalado" e mencionam vários locais, como Ice Palace, Monster, Blue Whale, e o Sandpiper. A canção também inclui o aviso "Não vá ao mato", porque "alguém pode agarra-lo" ou "alguém poderia apunhalar-te."
  • Robert Kelsos, na série da NBC Scrubs, tem um filho chamado Harrison, que abriu uma loja em Fire Island chamada "Everything Mesh".
  • Fire Island é repetidamente citada no sitcom da NBC Will & Grace. Muitas referências são feitas para as aventuras vividas por Will Truman e Jack McFarland durante suas férias lá; a impressão dada nas referências é que os gays são bem-vindos e há um afrouxamento das próprias inibições. Em outro sitcom da NBC, 30 Rock, a ilha foi citada por Devon Banks (Will Arnett), um jovem executivo gay que flerta com um funcionário da loja gay e os planos para se encontrar com ele mais tarde em Fire Island.
  • No filme de 2002 Men in Black II, o farol de Fire Island foi usado para representar a estação de correios de Massachusetts onde o personagem de Tommy Lee Jones, Kevin Brown, estava trabalhando depois de deixar o MIB no primeiro filme.

LocaisEditar

BabylonEditar

IslipEditar

 
Navio alemão Peter Rickmers encalhado em Fire Island, 30 de abril de 1908

BrookhavenEditar

 
O primeiro petroleiro do mundo, o Glückauf, encalhado em 23/24 de março de 1893 em um forte nevoeiro em Blue Point Beach, Fire Island

Outras ilhas menores ao redor de Fire IslandEditar

A seguir estão ilhas associadas a jurisdição do Fire Island National Seashore, de oeste para leste:

Other locationsEditar

  • Clam Pond, uma pequena enseada entre Saltaire e Fair Harbor

Famosos residentes de verãoEditar

Após a comunidade do teatro de Manhattan começar a ficar em Fire Island durante a década de 1920, a ilha teve numerosos famosos residentes de verão.[23]

ReferênciasEditar

  1. «Geographic Identifiers: 2010 Demographic Profile Data (G001): Fire Island CDP, New York». U.S. Census Bureau, American Factfinder. Consultado em 28 de dezembro de 2012 
  2. a b Consisting of the Fire Island CDP plus the villages of Saltaire and Ocean Beach: «Geographic Identifiers: 2010 Demographic Profile Data (G001): Fire Island CDP, New York». U.S. Census Bureau, American Factfinder. Consultado em 28 de dezembro de 2012 «Geographic Identifiers: 2010 Demographic Profile Data (G001): Saltaire village, New York». U.S. Census Bureau, American Factfinder. Consultado em 28 de dezembro de 2012 «Geographic Identifiers: 2010 Demographic Profile Data (G001): Ocean Beach village, New York». U.S. Census Bureau, American Factfinder. Consultado em 28 de dezembro de 2012 
  3. Thompson, B. F. (1839). History of Long Island; containing an account of the discovery and settlement; with other important and interesting matters to the present time. New York, E. French.
  4. «Residents Return To Fire Island, Where The Protective Dunes Are No More « CBS New York». Newyork.cbslocal.com. 14 de novembro de 2012. Consultado em 6 de abril de 2013 
  5. Lisa W. Foderaro (20 de novembro de 2012). «After Saving Fire Island, Line of Defense Is Lost to the Sea». The New York Times. p. A18. Consultado em 30 de julho de 2013 
  6. Edwards, C. (1935). A History of Early Sayville, Sayville, N.Y.: Suffolk County News Press
  7. «history - Retrieved 2007-11-02». Fairharbor.com. 23 de janeiro de 2005. Consultado em 23 de setembro de 2010 
  8. Fire Island: From Pirates to Slavery to Fun in the Sun - NewsdayRetrieved 2007-11-03 Arquivado em 6 de janeiro de 2008, no Wayback Machine.
  9. Stansell, Christine. The New Republic. March 26, 2008. From an article on the life of Margaret Fuller, who died 1850 in a shipwreck at Fire Island: "The Fire Islanders of the day were a nasty group, who lived off pickings from shipwrecks that washed up on the beach, and they had no use for rescue efforts. So although the boat was in clear sight of the shore, no one acted while there was time. The family spent the night with other desperate passengers huddled on the disintegrating ship."
  10. «Cópia arquivada». Consultado em 14 de agosto de 2015. Arquivado do original em 27 de abril de 2005 
  11. Cherry Grove Fire Island by Esther Newton – 1995 - Beacon Press ISBN 0-8070-7927-8
  12. «Fire Island Pines Chamber of Commerce - Retrieved 2007-10-31». Fireislandcc.org. Consultado em 23 de setembro de 2010 
  13. «Robert Moses Causeway Historic Overview». Eastern Roads. Consultado em 28 de março de 2011. This final link of the Robert Moses Causeway opened in 1964. 
  14. «o Grande furacão de 1938 - Impacto Geological». sunysuffolk.edu. Consultado em 23 de setembro de 2010  Parâmetro desconhecido |. date= ignorado (ajuda)
  15. # A3 «Suffolk County FD & E.M.S. Rádio Códigos e Informações» Verifique valor |url= (ajuda). Fordyce.org. Consultado em 18 de abril de 2012 
  16. «About SVFC - Saltaire Volunteer Fire Company». Saltairefd.com. Consultado em 18 de abril de 2012 
  17. «A Fire in Fire Island Pines Reportedly Destroys Pavilion Complex | Out Magazine». Out.com. 15 de novembro de 2011. Consultado em 18 de abril de 2012 
  18. Deirdre M Gurry. «City Chick: Fire Island». Copia Magazine. Consultado em 18 de abril de 2012 
  19. ISBN 0-9641099-6-4
  20. ISBN 0-9641099-5-6
  21. Ferguson, Dean. "France Joli: Full Circle," DMA/Dance Music Authority, Volume 4, Number 11, December 1996.
  22. «When Ocean Meets Sky». Craytonrobeyproductions.com. Consultado em 23 de setembro de 2010. Arquivado do original em 28 de janeiro de 2011 
  23. «Nadelson, Reggie. ''Travel + Leisure'', "Hit the Beach in Fire Island," July 2003». Travelandleisure.com. Consultado em 23 de setembro de 2010 
  24. «''Playbill''». Playbill.com. 20 de novembro de 2005. Consultado em 23 de setembro de 2010. Arquivado do original em 6 de janeiro de 2008 
  25. «Barbara Corcoran's Photos». Facebook. Consultado em 17 de outubro de 2012 

Links externosEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Fire Island
O Wikivoyage possui o guia Fire Island