Florbela Oliveira

actriz portuguesa

Florbela Oliveira, igualmente conhecida como Florbela de Oliveira, é uma actriz, encenadora, formadora de expressão dramática e escritora portuguesa.

Florbela Oliveira
Outros nomes Florbela de Oliveira
Nascimento 26 de Abril
Campolide
Nacionalidade Portuguesa
Progenitores Pai: Flório José de Oliveira
Cônjuge Pedro Amaral de Oliveira
Filho(a)(s) João de Oliveira Marques
Ocupação Actriz, encenadora, formadora e escritora

Biografia editar

Nascimento e formação editar

Florbela Oliveira nasceu em Campolide, filha do escritor Flório José de Oliveira, do qual herdou uma inclinação para as artes.[1] ´ Em 1993 frequentou o curso de Técnicas de Marketing, e no ano seguinte o curso de Gestão de Conflitos, ambos da Sensiq.[2] Entre 1995 e 1997 foi aluna no curso de teatro, nas Oficinas de Teatro de Lisboa, e de 1996 a 1997 esteve no curso de Gestão de Recursos Humanos da Sensiq.[2] Entre 1997 e 1999 participou numa iniciativa de formação de actores, do Instituto de Artes do Espectáculo, tendo neste último ano frequentado o curso de Interpretação para TV e Cinema, e o curso de Método no Actor’s Studio.[2] Em 2000 participou num programa para ensino de formadores.[2]

Carreira editar

Esteve presente num anúncio para a imprensa, e esteve em muppys por Lisboa do programa da TVI, Levem tudo menos a casa.[carece de fontes?] Fez cerca de cinco anúncios para a televisão.

Também exerceu durante vários anos como formadora de artes dramáticas e de encenação, incluindo para as Juntas de Freguesia de São Domingos de Benfica e da Lapa.[2] Em 2006, integrou o júri do CineEco - Festival Internacional de Cinema e Vídeo de Ambiente da Serra da Estrela.[3]

Em 2016[carece de fontes?] ingressou na Ordem dos Médicos como formadora, tendo perdido o seu emprego naquela entidade no âmbito da Epidemia de Covid-19.[4] Desempenhou aquela profissão igualmente no Grupo Desportivo Fidelidade.[carece de fontes?] Também exerceu como professora de arte dramática, e escreveu várias obras,[5] incluindo dois livros de poesia: As Nuvens de um Passado, de 2013,[6] e Amo-te mais tarde, de 2014.[7]

Encenações e interpretações editar

Tem uma extensa colaboração na área do teatro, como encenadora e actriz, tendo por exemplo actuado no monólogo A Voz Humana em 2002, encenado por João Ricardo.[8] Escreveu e encenou diversas peças de teatro, como Se eu for Azul,[9] Algumas Vezes foi Tarde Demais, Aqui jaz o Tempo, Um Grito no Vazio,[5] O Trapézio na Arte do Music Hall com o seu filho e Os 10 Mandamentos depois de Cristo, com o actor João de Albuquerque.[carece de fontes?] Em 2000 encenou a peça Reflexos no Auditório Prof. Miller Guerra, da Região do Sul da Ordem dos Médicos.[10] Em 2016 foi autora e encenadora da peça musical Bocage nos Lábios de Uma Mulher, no Cineteatro S. João, em Palmela, onde se prestou homenagem ao poeta Manuel Maria Barbosa du Bocage.[11] Em 2020 também foi autora e encenadora da peça “A Máscara da Minha Adolescência”, no Teatro Bocage, em Arroios, onde se prestou tributo aos profissionais de saúde que lutaram contra a pandemia.[12][13]

Encenou as seguintes peças:

  • O dia seguinte (Teatro D. João V,[5] e Teatro da Comuna, 1999)[2]
  • Reflexos (Auditório Prof. Miller Guerra, 2000)[10]
  • O fim da última página (Teatro da Trindade, 2000)[2]
  • A Casa de Bernarda Alba (IPJ, 2000)[2]
  • A Casa de Bernarda Alba (Teatro Carlos Paredes, 2001)[2]
  • Delírios de Florbela Espanca (Padrão dos Descobrimentos, 2001)[2]
  • Aqui jaz o tempo (IPJ, 2001)[2]
  • Algumas vezes foi tarde demais (IPJ e Teatro Carlos Paredes, 2001)[2]
  • Os Malefícios do Tabaco (IPJ, 2002)[2][14]
  • Um grito no vazio (IPJ, 2003)[2]
  • A Encenação (Teatro Malaposta, 2002)[2]
  • Se eu for azul (Teatro Ibérico, 2002)[9]
  • A vizinha do lado - (IPJ e teatro Lurdes Norberto, 2003)[2]
  • O Sótão (IPJ, 2004)[2]
  • O Trapézio na Arte do Music Hall (Junta de Freguesia de São Domingos de Benfica, 2007)[2]
  • Os 10 Mandamentos depois de Cristo (Teatro Ibérico, 2008)[2]
  • Eu tive um sonho. E tu também? (Teatro Ibérico, 2009)[2]
  • Os Malefícios do Tabaco (Sociedade Musical Ordem e Progresso, 2009[15] e 2010)[2]
  • O Diário de uma Adolescente (2011)[2]
  • As Divas das Compras (2012)[2]
  • Sou eu, a Cinderela (Pavilhão Municipal do Alto do Moinho, Corroios, 2012[2] e 2013)[16]
  • Susana no Mundo dos Fantoches (Auditório Carlos Paredes, 2015)[17]
  • Bocage nos Lábios de Uma Mulher (2015[2] e 2016)[11]
  • Pop Music (2017)[2]
  • Retalhos (OMS)[2]
  • Voz Humana (2017)[2]
  • Mulheres à Beira do Precipício (LX Factory, 2019[2] e 2020)[18]
  • O Fim na Última Página[5]
  • A Máscara da Minha Adolescência (Teatro Bocage, 2020)[12]

Como actriz em teatro fez:

  • Os Saltibancos (Padrão dos Descobrimentos, 1995)[2]
  • A Carta ao menino que não nasceu (1996)[2]
  • A Casa de Bernarda alba (Teatro Ibérico, 1996)[2]
  • O gato com a corda no pescoço[5] (1993)
  • Algumas vezes foi tarde demais (teatro Carlos Paredes e IPJ, 2001)[2]
  • A voz humana (Teatro da Trindade, 2002)[2]
  • L.S.D - Beatles - (Teatro da Trindade, 2004)[2]
  • O Corvo - (Teatro Ibérico, 2008)[19]
  • Diabólica (2015)[2]
  • Relação abusiva (2020)[18]

Televisão editar

Cinema editar

  • Rainha Margot[5]
  • A Casa dos Espíritos[5]

Referências

  1. «Florbela de Oliveira». Portal da Literatura. Consultado em 4 de Julho de 2020 
  2. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am an ao ap aq ar as at au av aw ax ay az ba bb «Comunicado de imprensa: Mulheres à beira do precipício, comédia teatral». Estrategizando. 4 de Outubro de 2019. Consultado em 6 de Julho de 2021 
  3. LUSA (1 de Outubro de 2006). «Mais de cem filmes candidatos ao CineEco de Seia». Público. Consultado em 3 de Julho de 2021 
  4. «Dar a mão a quem precisa». Notícias de Campolide. Ano XXI (95). Campolide: Junta de Freguesia de Campolide. Junho de 2021. p. 7. Consultado em 3 de Julho de 2021 – via Issuu 
  5. a b c d e f g h i «Júri Internacional». CineEco - Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela. 2006. Consultado em 4 de Julho de 2021 
  6. «Nuvens de um Passado». Wook. Consultado em 4 de Julho de 2020 
  7. «Amo-te Mais Tarde». Wook. Consultado em 4 de Julho de 2020 
  8. «João Ricardo, o ator que dormiu na rua e se sustentou da mímica». TVI 24. 23 de Julho de 2017. Consultado em 3 de Julho de 2021 
  9. a b «Xabregas anima-se com cores de festa». Correio da Manhã. 19 de Junho de 2002. Consultado em 3 de Julho de 2021 
  10. a b «Grupo de Teatro da RS apresenta-se em recital». Região do Sul da Ordem dos Médicos. 31 de Julho de 2000. Consultado em 7 de Julho de 2021 
  11. a b «"Bocage nos lábios de uma mulher": Poeta sadino homenageado em musical». Câmara Municipal de Palmela. 7 de Março de 2016. Consultado em 7 de Julho de 2021 
  12. a b «"A Máscara da Minha Adolescência" apresentada pelo Teatro Bocage». Junta de Freguesia de Arroios. 2020. Consultado em 7 de Julho de 2021 
  13. «A máscara da minha adolescência». Agenda Cultural de Lisboa. 2020. Consultado em 7 de Julho de 2021 
  14. «Sofia Arruda». À Roda da Alimentação. Continente. Consultado em 3 de Julho de 2021 
  15. «Os Malefícios do Tabaco». Caras. 7 de Outubro de 2009. Consultado em 4 de Julho de 2021 
  16. «Encontro Intercultural Saberes e Sabores no Seixal: Hoje Sessão de Abertura e Concerto do grupo musical «JOTAS»». Rostos. 25 de Fevereiro de 2013. Consultado em 3 de Julho de 2021 
  17. «Susana no Mundo dos Fantoches - Teatro-Infantil». Junta de Freguesia de Benfica. 2015. Consultado em 3 de Julho de 2021 
  18. a b BARRETO, José Carlos (19 de Fevereiro de 2020). «Mulheres, As Muitas Mulheres em Cada Uma». TSF. Consultado em 3 de Julho de 2021 
  19. «Em cartaz». Público. 27 de Dezembro de 2008. Consultado em 4 de Julho de 2021 

Ligações externas editar