Abrir menu principal

Floresta Atlântica do Alto Paraná

Floresta Atlântica do Alto Paraná
Fotografia aérea do Parque Nacional do Iguaçu.

Fotografia aérea do Parque Nacional do Iguaçu.
Bioma Mata Atlântica
Área 471.204km²
Países  Argentina,  Brasil e  Paraguai
Rios Rio Paraná
Ecorregião do Alto Paraná, segundo o WWF.

Ecorregião do Alto Paraná, segundo o WWF.


A ecorregião das Florestas do Alto Paraná faz parte do bioma da Mata Atlântica e compreende a região que vai desde o Noroeste Paulista no Brasil, até o sudeste do Paraguai e a província de Misiones, na Argentina. Abrange uma área de 471.204 km²[1] e é um dos ecossistemas mais ameaçados do mundo. No Brasil, resta menos de 5% de sua cobertura original e a maior parte dos fragmentos que restam são muito diminutos e são compostos por floresta secundária regeneradas após desmatamento[1].

CaracterizaçãoEditar

 
Floresta no Paraguai

A vegetação predominante é a floresta estacional semidecidual, com algumas variações decorrentes do tipo de solo, permitindo o aparecimento de palmitais (içara), por exemplo. Em altitudes mais elevadas, essa vegetação dá lugar a Mata de Araucárias, a sul e sudeste, e ao Cerrado, ao norte.

O clima vai desde o clima tropical com estação seca (Aw), no Noroeste Paulista, até o clima subtropical (Cf), no sul do Brasil e Argentina de acordo com a classificação climática de Köppen-Geiger.

A fauna é extremamente diversa, com destaque para espécies de grandes mamíferos, como a onça-pintada, a onça-parda, a anta e o cervo-do-pantanal. Foram registradas mais de 500 espécies de aves nessa ecorregião, algumas muito raras hoje em dia, como a harpia e o papagaio-de-peito-roxo. Uma espécie de arara da região foi extinta, a arara-azul-pequena. A região também é hábitat de um dos primatas mais ameaçados do mundo, o mico-leão-preto.

ConservaçãoEditar

 
Floresta alterada em Santa Fé do Sul, Brasil. Grande parte dos remanescentes de floresta do Alto Paraná no Brasil encontram-se bastante degradados.

Dos mais de 400.000 km² de extensão originais, restam apenas 7,8%, a maior parte na Argentina. No Brasil, restam apenas 2,7% (7.712km²), incluindo o Parque Nacional do Iguaçu, o Parque Estadual Morro do Diabo e o Parque Estadual do Turvo, sendo o restante distribuídos em fragmentos bem menores, muito deles com menos de 100 hectares. Essa fragmentação prejudica muito a conservação, seja pelo isolamento dos fragmentos, seja por efeitos associados ao tamanho diminuto, como o efeito de borda. Na Argentina, na província de Misiones, restam cerca de 50 % da cobertura original, totalizando 11.230km². Os remanescentes nesta área formam um imenso corredor verde de 11.000km², sendo de importância estratégica na conservação das Florestas do Alto Paraná. No Paraguai, apesar de ser uma área significativa de 11.520km², os fragmentos são de menor área e menos conectados, e representam ao todo, cerca de 13,5% da cobertura original[1].

Corredor Ecológico TrinacionalEditar

Visto o grau de fragmentação dessa ecorregião e sua enorme biodiversidade, propõe-se a criação de um corredor ecológico, unindo os fragmentos de floresta do Brasil, Argentina e Paraguai. Do lado brasileiro, o corredor vai desde a bacia do rio Aguapeí(SP) até a bacia do rio Turvo(RS). O corredor abrangeria várias unidades de conservação ao longo desse trajeto, e descontando as áreas de conexão, somariam 570 mil hectares. É uma importante iniciativa para a conservação da biodiversidade no Cone Sul, visto que é de suma importância a conexão entre as diversas unidades de conservação da região[2].

Lista de Unidades de Conservação das Florestas do Alto Paraná[2]
Unidade de Conservação País/Estado Área(hectares)
Parque Nacional do Iguaçu Brasil/Paraná 170.000
Parque Estadual do Turvo Brasil/Rio Grande do Sul 17.000
Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema Brasil/Mato Grosso do Sul 73.000
Estação Ecológica Caiuá Brasil/Paraná 1.427
Parque Nacional de Ilha Grande Brasil/Paraná e Mato Grosso do Sul 78.000
Parque Estadual Morro do Diabo Brasil/São Paulo 34.000
Reserva Florestal Lagoa São Paulo Brasil/São Paulo 945
Parque Estadual do rio do Peixe Brasil/São Paulo 7.720
Parque Estadual Aguapeí Brasil/São Paulo 9.043
Refúgio da Vida Silvestre Pantanal Paulista Brasil/São Paulo 15.960
Reserva Ecológica de Cisalpina Brasil/Mato Grosso do Sul 12.000
Estação Ecológica Mico-Leão-Preto Brasil/São Paulo 6.677
Reserva Nacional de Mbaracayú Paraguai 64.000
Reserva de Recursos Manejado de San Rafael Paraguai 78.000
Parque Nacional Iguazú Argentina 54.380
Parque Provincial Urugua-í Argentina 84.000
Parque Provincial Puerto Penísula Argentina 6.800
Parque Provincial Esmeralda Argentina 31.619
Parque Provincial Valle del Arroyo Cuña-Pirú Argentina 12.495
Reserva Nacional Papel Misionero Argentina 10.397

Referências