Abrir menu principal

Floriceno Paixão

político brasileiro
Floriceno Paixão
Nascimento 29 de novembro de 1919
Taquara
Morte 24 de fevereiro de 2011 (91 anos)
Porto Alegre
Cidadania Brasil
Ocupação político

Floriceno Paixão (Taquara, 29 de novembro de 1919 - 24 de fevereiro de 2011) foi um advogado voltado às causas trabalhistas e previdenciárias[1], editor e deputado federal por cinco mandatos.

Biografia e CarreiraEditar

Filho de Ricardo Paixão e Olinda Paixão, formou-se em Ciências Jurídicas e Sociais na Pontifícia Universidade Católica de Porto Alegre em 1952[2].

Ocupou o cargo de deputado federal pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), em 1959, por dois mandatos consecutivos e, devido ao bipartidarismo durante o regime militar, filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB) em 1967[2].

Em 1969, teve seu mandato de deputado federal cassado e seus direitos políticos suspensos por dez anos com base no art. 4 do Ato Institucional nº 5, de 13 de dezembro de 1968. Voltou a ocupar o cargo por dois mandatos consecutivos em 1983 pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT)[2].

Também foi autor do projeto de lei que instituiu o décimo terceiro salário em 1962 e o primeiro vice-presidente do Código de Defesa do Consumidor em 1984[3]. No mesmo ano, votou a favor da emenda constitucional Dante de Oliveira, que propunha o restabelecimento das eleições diretas para Presidente da República[4]. Em 1985, foi parlamentar no governo de João Goulart e atuou na defesa dos interesses gaúchos no episódio da intervenção do Banco Sulbrasileiro[3].

Exerceu a advocacia por um curto período, fundou a antiga editora Síntese em Porto Alegre, especializada em publicações técnicas, e atuou como conselheiro editorial da Revista Magíster[3].

Foi casado com Talita Coutinho Paixão, com quem teve cinco filhos: Ana Maria, Luiz Antônio, Marco, Beatriz e Berenice Paixão[3].

Abandonou a carreira política durante o governo de Fernando Collor de Melo e faleceu com 91 anos, em 24 de fevereiro de 2011, devido a uma doença neurológica degenerativa[1].

Obras PublicadasEditar

  • A Nova Acentuação Gráfica Explicada e com Exercícios. Porto Alegre, Ed. Síntese, 1972;
  • Consolidação das Leis do Trabalho e Legislação Complementar. Porto alegre, Ed. Síntese, 1981;
  • O PIS-PASEP em Perguntas e Respostas. Porto Alegre, Ed. Síntese, 1982;
  • Fundo de Garantia em perguntas e respostas. Porto Alegre, Ed. Síntese, 1982;
  • Emprego doméstico em perguntas e respostas. Porto Alegre, Ed. Síntese;
  • Previdência Social em perguntas e respostas. Porto Alegre, Ed. Síntese, 1983.[2]

Referências

  1. a b «Morreu em Porto Alegre ex-deputado Floriceno Paixão - Política - Estadão». Estadão 
  2. a b c d «Conheça os Deputados». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 20 de setembro de 2018 
  3. a b c d «Ex-deputado federal Floriceno Paixão morre aos 91 anos». GaúchaZH 
  4. «Votação da emenda constitucional Dante de Oliveira». Wikipédia, a enciclopédia livre. 10 de maio de 2017