Folha seca

Folha seca, ou Chute de folha seca, é uma terminologia usada no futebol para falar de um chute de três dedos em que a bola, enquanto na ascendente, faz um efeito repentino de descaída, tal qual à queda de uma folha seca da árvore, daí seu nome.[1][2] Foi inventado pelo futebolista brasileiro Didi[3][4]

No Chute de folha seca dois fenômenos aerodinâmicos são responsáveis pelo efeito da bola: a força ascensional, a mesma que ajuda os aviões a voar, e o chamado Efeito Magnus.[5]

Exemplos de Gols marcados com o chute folha secaEditar

  • o gol de falta marcado pelo Didi contra o Peru, em 1957, no Maracanã.[6]
  • O gol do Garrincha, contra a Inglaterra, na Copa de 1966
  • Tiago Luís, do Goias, contra o Goianesia em 2013.[7]

Ver TambémEditar

Referências

  1. sbfisica.org.br/ O Efeito "Folha Seca" (Revista Brasileira de Física, Vol. 7, N? 3, 1977)
  2. cienciamao.usp.br/ A Física e o Futebol: um Experimento Para o Efeito Folha Seca
  3. piaui.folha.uol.com.br/ COMO UMA LESÃO LEVOU A UMA REVOLUÇÃO NO JEITO DE CHUTAR
  4. conmebol.com/ Didi, o inventor da "folha seca"
  5. super.abril.com.br/ A ciência do chute com efeito
  6. folha.uol.com.br/ Craque no Brasil e herói no Peru, Didi morreu sem treinar seleção
  7. globoesporte.globo.com/ Folha seca? Gol de falta de Tiago Luís impressiona por trajeto vertical da bola