Abrir menu principal

Força-Tarefa Conjunta Combinada — Operação Resolução Inerente

Força-Tarefa Conjunta Combinada — Operação Resolução Inerente
Seal of Combined Joint Task Force – Operation Inherent Resolve.svg
Insígnia da Coalizão[1]
País  Síria
 Iraque
Criação 10 de outubro de 2014–presente[6][7][8]
História
Guerras/batalhas Guerra contra o Estado Islâmico
Logística
Efetivo 6 350[9][10]
Comando
Comandante Tenente-general Paul LaCamera
Sede
Guarnição Quaite[11][12]

A Força-Tarefa Conjunta Combinada — Operação Resolução Inerente (também referida pela sigla em inglês CJTF–OIR)[nota 1] é uma coalizão militar internacional liderada pelos Estados Unidos contra o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL), sendo gerido pelo Comando Central dos Estados Unidos para coordenar esforços militares dos Estados Unidos e mais 30 países participantes.[1][22] O objetivo apresentado pela CJTF–OIR é de "degradar e destruir" o EIIL.[23] Foi estabelecido pelo Comando Central dos Estados unidos e anunciado em Dezembro de 2014, após serem feitos os arranjos necessários para coordenação e, também, devido ao avanço rápido do EIIL no Iraque em Junho do mesmo ano.[24] Formado em outubro de 2014,[7] a primeira conferencia de integração da coalizão ocorreu em dezembro de 2014.[1] O atual comandante da coalizão expressou sua intenção de acabar com EIIL na Síria antes de rotação de seu comando.[25]

Países participantes na CJTF–OIR

Índice

OcorrênciasEditar

Em agosto de 2015 a coalizão tinha feito o total de 45259 surtidas aéreas no total de 12 meses de operações, sendo sua maioria realizada pela Força Aérea dos Estados Unidos, sendo 67 porcento dos ataque ao solo e com mais de 5600 bombas até tal data.[26] O The Guardian apontou que um time independente de jornalistas publicou detalhes de 52 bombardeios realizados teriam matado mais de 450 civis, incluindo 100 crianças. A coalizão reconheceu apenas duas mortes de não combatentes nos ataques realizados.[27]

Entre 18 e 19 de julho de 2016, período que ocorria a Ofensiva de Manbij, a coalizão bombardeou alvos no vilarejo de Tokhar, localizado perto do Eufrates. Tais ataques teriam resultado entre 50 a 200 civis mortos.[28][29][30][31]

Em 17 setembro de 2016, a coalizão bombardeou tropas do governo sírio na cidade de Deir ez-Zor que estavam sobre cerco do Estado Islâmico. O ataque causou mais de 100 mortos e cerca de 100 feridos, possibilitando avanço dos jihadistas na cidade. A coalizão admitiu os ataques e afirmou que foram decorrências de erro.[32][33][34]

Segundo o comando da Coalizão, pelo menos 32 000 alvos no Iraque e na Síria foram destruídos ou danificados nos ataques aeronavais dos Aliados entre 2014 e 2016.[35]

Ver tambémEditar

Notas e referências

Notas

  1. A coalizão militar também é referida em textos em língua portuguesa por nomes traduzidos e originais em língua inglesa (Força-Tarefa Conjunta Combinada, Operação Resolução Inerente, Operação Inherent Resolve, Força-Tarefa Conjunta Combinada — Operação Inherent Resolve, Combined Joint Task Force – Operation Inherent Resolve).[13][14][15][16][17][18][19][20][21]

Referências

  1. a b c d Rosen, Armin (9 de dezembro de 2014). «The US-Led War On ISIS Now Has A Logo». Business Insider Australia. Consultado em 9 de dezembro de 2014 
  2. Spokesperson, Office of the (3 de dezembro de 2014). «Joint Statement Issued by Partners at the Counter-ISIL Coalition Ministerial Meeting». U.S. Department of State. Participants commended the efforts of the Lebanese Armed Forces in fighting ISIL/Daesh, and noted that ISIL/Daesh’s finances and recruitment are also increasingly being challenged through international cooperation. Participants affirmed, however, that a successful campaign against ISIL/Daesh will take time, and will require a sustained, united, and coordinated response. Participants reiterated their long-term commitment to this effort. 
  3. CJTF-OIR News Release. «Dec. 8: Military Airstrikes Continue Against ISIL in Syria and Iraq». US Central Command. Consultado em 9 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 23 de setembro de 2015 
  4. «US forms joint anti-ISIL command». The Journal of the Turkish Weekly. 9 de dezembro de 2014. Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  5. «Special Presidential Envoy for the Global Coalition to Counter ISIL». State.gov. 1 de outubro de 2014. Consultado em 23 de abril de 2015 
  6. «Defense.gov News Article: DoD Authorizes War on Terror Award for Inherent Resolve Ops». Defense.gov. Consultado em 1 de dezembro de 2014 
  7. a b «Inside the Coalition to defeat ISIL» (PDF). Combined Joint Task Force — U.S. Department of Defense. 21 de abril de 2015. Consultado em 27 de abril de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 14 de julho de 2015 
  8. Kohn, Sally (14 de outubro de 2014). «Warren and Christie Are the Anti-Hillarys». The Daily Beast. Consultado em 25 de agosto de 2015 
  9. «4,600 International Troops Pledged to Train Iraqi Forces». NewsMilitary.com. Consultado em 23 de abril de 2015 
  10. Harper, Jon (19 de dezembro de 2014). «1,000 soldiers from the 82nd Airborne headed to Iraq». Stars and Stripes. Consultado em 23 de abril de 2015 
  11. «4,600 international troops pledged to train Iraqi forces». Military Times. 8 de dezembro de 2014. Consultado em 12 de junho de 2015 
  12. Georgy, Michael (13 de junho de 2015). «Militants attack government forces near Iraq's Baiji refinery». Reuters. Consultado em 25 de agosto de 2015 
  13. Sputnik. «Coalizão dos EUA realiza nove ataques contra o Daesh perto de Raqqa». br.sputniknews.com. Consultado em 7 de junho de 2017 
  14. ZAP. «Centenas de jihadistas mortos na batalha por Kobane - ZAP». ZAP 
  15. Group, Global Media (7 de novembro de 2014). «Obama pede ao Congresso 2,5 mil milhões para guerra contra "jihadistas"». JN 
  16. RTP, RTP, Rádio e Televisão de Portugal - Graça Andrade Ramos -. «Iraque e Coligação iniciam reconquista de Mossul» 
  17. «Forças militares dos EUA matam líder do Estado Islâmico na Síria». Agência Brasil - Últimas notícias do Brasil e do mundo 
  18. Weiss, Michael; Hassan, Hassan (14 de setembro de 2015). Estado Islâmico: Desvendando o Exército do Terror. [S.l.]: Seoman. ISBN 9788555030161 
  19. 24/7, Brasil (7 de Janeiro de 2017 às 11:18). «Em seu último ano, Obama lançou mais de 26 mil bombas em sete países». jornal  Verifique data em: |data= (ajuda)
  20. «A Criação de um Recurso». www.armyupress.army.mil (em inglês). Consultado em 7 de junho de 2017 
  21. «Coalizão dos EUA realiza ataques contra o EI perto de Raqqa - Jornal Correio do Brasil». www.correiodobrasil.com.br. Consultado em 7 de junho de 2017 
  22. Katz, Whitney (13 de janeiro de 2015). «JECC assists in the establishment of Combined Joint Task Force – Operation Inherent Resolve» (Nota de imprensa). JECC Public Affairs. Consultado em 14 de setembro de 2015 
  23. Pomerleau, Mark (14 de agosto de 2015). «Can the US really destroy terrorist groups like ISIS?». The Hill. Consultado em 14 de setembro de 2015 
  24. Ripley, Tim (9 de dezembro de 2014). «US sets up new headquarters for Operation 'Inherent Resolve'». IHS Jane's Defence Weekly. Consultado em 14 de setembro de 2015. Arquivado do original em 1 de junho de 2015 
  25. Andrew Tilghman,Military Times "The ISIS war has a new commander — and ISIS may be the least of his worries" 21 de agosto de 2016
  26. Everstine, Brian (7 agosto de 2015). «Operation Inherent Resolve: One year after the first bombs fell». AirForce Times. Consultado em 14 setembro de 2015 
  27. Ross, Alice (3 de agosto de 2015). «Hundreds of civilians killed in US-led air strikes on Isis targets – report». The Guardian. Consultado em 3 de agosto de 2015 
  28. «An airstrike in Syria killed entire families instead of ISIS fighters». Washington Post. Consultado em 22 de julho de 2016 
  29. Abdulrahim, Raja (19 de julho de 2016). «Airstrikes on Islamic State-Held Villages Kill at Least 56 Civilians, Say Syrian Activists». The Wall Street Journal. Consultado em 20 de julho de 2016 
  30. Sly, Liz (19 de julho de 2016). «Suspected U.S. airstrikes in Syria kill scores of civilians, activists say». The Washington Post. Consultado em 20 de julho de 2016 
  31. «Syria war: Dozens killed in 'US-led strikes' on Manbij». www.aljazeera.com. Consultado em 22 de julho de 2016 
  32. Almasy, Starr, Roth, Steve, Barbara, Richard (18 de setembro de 2016). «Syria, Russia: Coalition airstrike kills regime forces». CNN. Consultado em 27 de outubro de 2016 
  33. Fadel, Leith (27 de setembro de 2016). «US Coalition knew they were bombing the Syrian Army in Deir Ezzor». Al masdar news. Consultado em 27 de outubro de 2016 
  34. Barnard, Mazzetti, Anne, Mark (17 de setembro de 2016). «U.S. Admits Airstrike in Syria, Meant to Hit ISIS, Killed Syrian Troops». U.S. Admits Airstrike in Syria, Meant to Hit ISIS, Killed Syrian Troops. The new york times. Consultado em 27 de outubro de 2016 
  35. «Airstrikes in Iraq and Syria». US Department of Defense. 27 de setembro de 2016. Consultado em 19 de abril de 2018 

Ligações externasEditar