Força das Nações Unidas para Manutenção da Paz no Chipre

A UNFICYP é a força das Nações Unidas encarregada de manter a paz em Chipre (UNFICYP significa United Nations Peacekeeping Force in Cyprus). Foi criada em 1964. Chipre foi palco de violentos confrontos entre as comunidades greco-cipriota e turco-cipriota. Pela resolução 186 (de 1964), o Conselho de segurança das Nações Unidas entendeu dever "prevenir toda a retoma de combates e, segundo convier, contribuir para a manutenção e restabelecimento da ordem pública até ao retorno à situação normal". Após a intervenção militar turca no verão de 1974, a chamada Operação Átila, o Conselho de Segurança alargou o mandato da UNFICYP e estabeleceu uma zona tampão desmilitarizada, a Linha Verde, controlada pela UNFICYP.[1]

O contingente argentino da UNFICYP no campo Skouriotissa
Implementações do UNFICYP em dezembro de 1972

O seu quartel-geral é em Nicósia.

HistóriaEditar

 
A zona tampão da ONU é mostrada em azul claro no mapa, estabelecida em 1974

A Força de Manutenção da Paz das Nações Unidas em Chipre (UNFICYP) é uma força de manutenção da paz das Nações Unidas que foi criada ao abrigo da Resolução 186 do Conselho de Segurança das Nações Unidas em 1964 para evitar a recorrência dos combates na sequência de violência intercomunitária entre os cipriotas gregos e cipriotas turcos, para contribuir para a manutenção restabelecimento da lei e da ordem e para facilitar o retorno às condições normais.

Após o golpe de Estado cipriota grego de 1974 e a invasão turca de Chipre, o Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU) estendeu e expandiu a missão para evitar que a disputa se transformasse em guerra, e o UNFICYP foi redistribuído para patrulhar a zona tampão das Nações Unidas em Chipre e auxiliar na manutenção do status quo militar. Desde o seu estabelecimento, a força também trabalhou em conjunto com o Representante Especial do Secretário-Geral e representantes das duas comunidades para buscar uma solução diplomática amigável para a controvérsia em Chipre.

 
Implantação do UNFICYP a partir de 2015

Em 5 de dezembro de 2006, o Secretário-Geral das Nações Unidas, Kofi Annan, recomendou uma nova prorrogação de seis meses no mandato da missão da ONU que está posicionada na ilha há mais de quatro décadas.

FatalidadesEditar

Até 30 de junho de 2017, inclusive, o UNFICYP sofreu 183 fatalidades:[2][3]

  • Acidentes: 99
  • Doenças: 45
  • Atos Maliciosos: 15
  • Outros: 24

Ver tambémEditar

Referências

  1. «United Nations Security Council Resolution 186(1964)» (PDF). United Nations. 4 de março de 1964. Consultado em 18 de julho de 2012. Arquivado do original (PDF) em 21 de abril de 2012 
  2. «UN Peacekeeping Fatalities by Mission and Incident Type» (PDF). United Nations. 30 de junho de 2017. Consultado em 29 de julho de 2017 
  3. «About». UNFICYP (em inglês). 7 de maio de 2014. Consultado em 24 de julho de 2021 

Ligações externasEditar