Abrir menu principal

Força de Emergência das Nações Unidas

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Soldados iugoslavos da UNEF em Sinai em 1957

A Primeira Força de Emergência das Nações Unidas (em inglês: First United Nation Emergency Force , UNEF I) foi criada pela Assembleia Geral das Nações Unidas para garantir um fim à Crise de Suez de 1956 com a Resolução 1001 (ES-I) em 7 de novembro de 1956. A força foi implantada em grande parte como resultado dos esforços do Secretário-Geral Dag Hammarskjöld e uma proposta do ministro das Relações Exteriores canadense Lester Pearson. A Assembleia Geral tinha aprovado um plano apresentado pelo Secretário-Geral que previa a implantação da UNEF em ambos os lados da linha de armistício. No entanto, o governo de Israel recusou-se a permitir a implantação da UNEF em seu lado da linha.

Índice

HistóriaEditar

A UNEF foi a primeira força militar das Nações Unidas de seu tipo.

Uma vez que as resoluções operatórias da ONU não foram aprovadas no âmbito do Capítulo VII da Carta das Nações Unidas, a implantação prevista de uma força militar teve que ser aprovado pelo Egito e Israel. O Primeiro Ministro de Israel recusou-se a restabelecer as linhas de armistício de 1949 e afirmou que sob nenhuma circunstância Israel concordaria com o estacionamento de forças da ONU no seu território ou em qualquer área que ocupava. Depois de negociações multilaterais com Egito, onze países ofereceram-se para contribuir em uma força no lado egípcio da linha de armistício: Brasil, Canadá, Colômbia, Dinamarca, Finlândia, Índia, Indonésia, Noruega, Polônia, Suécia e Iugoslávia.[1] Foi também prestado apoio por parte dos Estados Unidos, Itália e Suíça. As primeiras forças chegaram pela primeira vez no Cairo em 15 de novembro; a UNEF encontrou seu pleno vigor de 6000 soldados em fevereiro de 1957. A força foi totalmente implantada em áreas designadas em torno do Canal de Suez, no Sinai e em Gaza, quando Israel retirou suas ultimas forças de Rafah em 8 de março de 1957. O Secretário-Geral solicitou estacionar forças da UNEF no lado israelense das linhas do armistício de 1949, mas tal solicitação foi rejeitada por Israel.

Comandantes da ForçaEditar

Estacionadas na cidade de Gaza:

  • Novembro de 1956 a Dezembro de 1959: Tenente-General E.L.M Burns (Canadá)
  • Dezembro de 1959 a Janeiro de 1964: tenente-general P.S Gyani (Índia)
  • Janeiro de 1964 a Agosto de 1964: Major-General Carlos F. Paiva Chaves (Brasil)
  • Agosto de 1964 a Janeiro de 1965: Coronel Lazar Mušicki (Iugoslávia) (em exercício)
  • Janeiro de 1965 a Janeiro de 1966: General Syzeno Sarmento (Brasil)
  • Janeiro de 1966 a Junho de 1967: Major-General Indar J. Rikhye (Índia)

Ver tambémEditar

Referências

  1. Fabiano Luis Bueno Lopes (12 de setembro de 2007). «O Brasil no deserto». Revista de História. Arquivado do original em 20 de setembro de 2016 

Ligações externasEditar