Força de Proteção de Êzidxan

A Força de Proteção de Êzidxan ou HPÊ (em curdo curmânji/ezdiki: Hêza Parastina Êzîdxanê, em árabe: قوة حماية ايزيدخان) é uma milícia yazidi fundada por Haydar Shesho no verão de 2014 em resposta ao genocídio dos yazidis pelo Estado Islâmico.[4] É maior que a outra principal milícia yazidi, as Unidades de Resistência de Sinjar, no entanto, é menos ativa e armada que esta na Guerra contra o Estado Islâmico.[5]

Força de Proteção de Êzidxan
País Iraque, Curdistão
Subordinação Aliança de Sinjar (2015-2017)

Peshmerga (desde 2017)[1]

Missão Defesa regional
Tipo de unidade Milícia
Sigla HPÊ
Criação 2014
História
Guerras/batalhas Guerra Civil Iraquiana
Logística
Efetivo 7.500[2] - 10.500[3]
Insígnias
Bandeira Êzîdxan Protection Force.svg
Comando
Comandante Haydar Shesho

O HPÊ afirma ser a única força indígea e independente na região de Sinjar, embora os seus membros sejam pagos pelo governo iraquiano. As outras mílicias yazidis são afiliadas com vários partidos curdos. "Nós lutamos apenas pelos yazidos, não por nenhum partido", afirmou Haydar.[6]

Haydar Shesho foi preso a 5 de abril de 2015 pelo governo regional do Curdistão por ter criado uma milícia ilegítima,[7][8][9] tendo sido libertado uma semana depois.[6]

Em outubro de 2015, o então HPŞ (Hêza Parastina Şingal - Força de Proteção de Sinjar, como era inicialmente chamado) participou na criação da Aliança de Sinjar, uma frente de milícias yazidis junto com os seus rivais das Unidades de Resistência de Sinjar (YBŞ), as Unidades das Mulheres de Êzidxan (YJÊ, contraparte feminina dos YBŞ)[10] e outras unidades yazidis independentes.[11]

Sob o comando conjunto da recém-criada aliança, a Força de Proteção de Sinjar participou da ofensiva de novembro de 2015 em Sinjar[12] (Operação Turayi Melek Taus - Fúria de Melek Taus).[13]

Em novembro de 2015 o HPŞ mudou o seu nome para Hêza Parastina Êzîdxanê or HPÊ (em português, Força de Proteção de Êzidxan).[14]

Em março de 2017 a Força de Proteção de Êzidxan anunciou que se irá juntar aos peshmerga e receber ordens do Presidente do Curdistão iraquiano, Masoud Barzani.[1]

Referências

  1. a b Goran, Baxtiyar (9 de março de 2017). «Haider Shesho: Ezidkhan Units take orders from President Barzani, Peshmerga Ministry». Kurdistan 24 (em inglês). Consultado em 7 de abril de 2017 
  2. «IS-Terror in Shingal: Wer kämpft gegen wen? Ein Überblick». Êzîdî Press (em alemão). 12 de outubro de 2014. Consultado em 7 de abril de 2017 
  3. Salih, Mohammed. «With the Islamic State gone from Sinjar, Kurdish groups battle for control». Al-Monitor (em inglês). Consultado em 7 de abril de 2017 
  4. Frankfurter Allgemeine Zeitung: Die Angst der Yeziden im Sindschar-Gebirge, 30 de agosto de 2014
  5. Paraszczuk, Joanna (11 de junho de 2015). «Yazidi militias fight IS in Iraq, amid Kurdish rivalries». Radio Free Europe/Radio Liberty 
  6. a b van den Toorn, Christine (10 de maio de 2015). «The hero Yazidis hope will save them». Daily Beast (em inglês). Consultado em 26 de outubro de 2015 
  7. «Kurdish government: Shesho arrested by official order». Êzîdî Press (em inglês). 6 de abril de 2015. Consultado em 10 de abril de 2017 
  8. «Breaking news: HPS Supreme Commander Haydar Sesho arrested». Êzîdî Press (em inglês). 6 de abril de 2015. Consultado em 10 de abril de 2017 
  9. «Top Yazidi commander Haydar Shesho arrested by Iraqi Kurdish authorities». Ekurd Daily (em inglês). 6 de abril de 2015. Consultado em 10 de abril de 2017 
  10. «Yezidi forces form alliance against IS». Êzîdî Press (em inglês). 31 de outubro de 2015. Consultado em 13 de novembro de 2015 
  11. «Independent Yezidi units join Shingal alliance». Êzîdî Press. 31 de outubro de 2015. Consultado em 13 de novembro de 2015 
  12. «Shingal: KurdInnen starten mit vereinten Kräften Großoffensive gegen IS». Kurdische Nachrichten (em alemão). 12 de novembro de 2015. Consultado em 13 de novembro de 2015. Arquivado do original em 17 de novembro de 2015 
  13. «Massoud Barzani supervises Shingal operation» (em inglês). Kurdpress News Agency. 12 de novembro de 2015. Consultado em 13 de novembro de 2015 
  14. «HPŞ benennt sich in HPÊ um: Hêza Parastina Êzîdxan». Êzîdî Press (blogue) (em alemão). 17 de novembro de 2015. Consultado em 10 de abril de 2017